Algumas curtas sobre o Fluminense

– O Samorin não é uma idéia ruim, muito pelo contrário, mas está claro que não sabemos fazer. Quem tem “pam”, não faz trato com “pam”.

– O Scarpa pode até ser mau caráter, mal assessorado e sem gratidão, mas quem não paga o seu salário e afastou o Cavalieri do jeito que foi feito não é melhor que ele.

– A Flórida Cup seria uma excelente oportunidade de pré-temporada, com exposição internacional para Américas e Europa, transmissão de TV, cobertura. Só faltou ter um time de futebol pra preparar e jogar.

– Quem se diz avançar em governança e profissionalismo, não faz acordo de boca com jogador. Acordo de boca, cada um diz que falou o que bem quiser. Uma metodologia operacional de vendedores de muamba paraguaia.

– Quem se diz avançar em governança e profissionalismo, não cobra gratidão de colaboradores. Cumpre os deveres, para poder se valer dos direitos.

– Quem se diz avançar em governança e profissionalismo, não coloca a culpa no cliente por não querer comprar um produto ou serviço essencialmente ruim. Ter um produto ou serviço péssimo e continuar sendo alavancado infinitamente é coisa de empresa pública.

– Opa, esta acima me lembrou alguma coisa sobre o presidente do clube e sobre a cúpula do seu grupo de origem … pano rápido!

– Quem se diz avançar em governança e profissionalismo, não acredita que um clube de futebol vive de caridade de torcedores abnegados.

– Quem se diz avançar em governança e profissionalismo, não troca exposição em camisa, o mais importante canvas de exposição de uma marca gigantesca, por colchões.

– Só o futebol, atividade core, tem cortes e tem atrasos salariais. A mamata de diretores, comitês e caciques sem índio segue rigorosamente em dia.

– A Ernst & Young é fantástica para prestar auditoria e consultoria financeira para empresas que visam lucro operacional e enriquecer os seus donos, mas pra clubes de futebol que visam tão somente alimentar a paixão do torcedor e viver disso sem fins lucrativos, não serve. Taí a prova.

– Normalmente empresas contratam consultorias para justificar as lambanças que querem executar. “Foi a EY, big four, que mandou …”. Então tá … nenhuma consultoria vai propor que você faça o que você não quer … senão você não paga … morou? Óticas do Povo …

– O Peter era irritante e mentiroso. O Abad e o seu grupo político também, e compulsivamente.

– O Marcelo Teixeira executa um trabalho profissional (remunerado ou não) pelo clube. Se o trabalho dele não atinge o resultado esperado, deve ser desligado. Se não o desligam, de duas, uma: ou o resultado dele é o esperado ou fatores externos aos interesses do Fluminense fazem com que seja mantido. Seja qual for a realidade, a responsabilidade é exclusivamente do Presidente.

– Aliás, isso acima serve para qualquer um que esteja nas mesmas condições do Marcelo.

– O Flamengo não quer o bem do Fluminense e jamais será seu parceiro em nada. Nunca quis e nunca irá querer. É preciso saber diferenciar bom relacionamento de subserviência e parceria. Bom relacionamento, com todos, sempre. Parceria, apenas com quem tem objetivos comuns e com quem o seu sucesso não represente um risco. Subserviência, NUNCA! Quem não consegue entender isso, não pode gerenciar um botequim de cinco metros quadrados. Será que 2013 não foi o bastante para entender isso?

– Segundo a Flusócio, o objetivo do Fluminense é montar um time em 2018 que surpreenda os seus adversários. Subentendido que qualquer vitória será uma surpresa!

– Pela primeira vez na minha vida, e vivo intensamente o clube há 45 anos, inclusive a sua pior fase histórica, vejo tricolores de toda uma vida dando as costas, de cabeça baixa, num misto de decepção e resignação que acaba erradamente respingando no Fluminense como instituição, como se o Fluminense de 115 anos de glórias e protagonismo no futebol tivesse que ficar associado às lambanças e “mal feitos” de suas últimas gestões. Tá errado isso, fato. Entretanto, ninguém conseguiu antes gerar esta visão negativa com tanta intensidade. Nem Fábio Egypto, Gil Carneiro de Mendonça, Álvaro Barcelos, Vanguarda Tricolor … ninguém. Parabéns, Flusócio! O estrago é enorme! Seja quem for que venha pra consertar, vai ter uma missão quase impossível.

Abraços

Ex-jogador, auxiliar técnico e instrutor de futebol, escrevendo sobre o tema há mais de 20 anos. Torcedor do Fluminense Football Club.

Comments

  1. Abigail Cavazos

    Parabéns Antônio! Realmente tenho visto os torcedores do Flu bem desanimados mesmo. Nem na época de times fracos como o que foi campeão em 95, a torcida sempre comprou o barulho. Esse ano parece que já começou sem esperança. Vamos aguardar e ver.

    1. Antônio Ramos Post author

      A torcida, que é o principal cliente do clube, foi deixada em 2o plano, Abigail … nem na época dos rebaixamentos o Fluminense tinha pessoas com uma visão tão errada sobre futebol e o seu negócio como tem hoje. Chega até a ser inacreditável o que acontece, mas se não tenho como comprovar que o problema não é incompetência , e sim ma fé, não posso acusar e tenho que acreditar que seja meramente um monte de burros com iniciativa fazendo besteira atrás de besteira.