Curso de Gestão: Aprenda com a Flusócio TUDO que você não deve fazer

Você pensa em ser um gestor de equipe algum dia? Sonha em ser um líder respeitado? Quer que as pessoas vejam em você uma figura de confiança, digna de admiração, alguém que pode fazê-los melhorar?

Você está com sorte. A Flusócio traz para você um curso intensivo de como DESTRUIR a imagem de um grande clube em apenas 1 ano. (Infelizmente teremos cenas dos próximos capítulos…)

Aqui neste singelo registro de vergonhas acumuladas em meros 365 dias de gestão você aprenderá:

  1. Como “chutar” seu maior parceiro financeiro. Com o detalhe de ainda dever dinheiro para o mesmo e ainda precisar dele para a conclusão do projeto que ELE possibilitou;
  2. Como passar meses indo a público sempre que possível para dizer que o clube está falido. E depois reclamar que não consegue alcançar seus objetivos porque o clube está falido;
  3. Como ter a cara de pau de reclamar da herança da gestão anterior, quando a gestão anterior faz parte do mesmo grupo e te apoiou nas eleições; Com o agravante de que você aprovou todas as contas geradas pela tal gestão;
  4. Como negociar. Convidado Especial: Fernando Veiga (ex-VP de Futebol exonerado após mais um papelão)
  5. Como deixar seu gerente de futebol representar o clube em cadeia nacional apenas para demiti-lo no dia seguinte (sendo que o mesmo ainda sai se dizendo surpreso da demissão);
  6. Como colocar em risco um ativo de quase R$ 30 milhões e transformá-lo em uma possível dívida. E tudo sem receber nada em troca;
  7. Como deixar seu centroavante dar uma entrevista em campo, com o uniforme do clube e dando quase um ultimato em você. E aproveitando para jogar mais publicidade negativa no clube;
  8. Como ficar sumido durante boa parte do ano e correr para dar entrevista após 2 vitórias seguidas (sim, DUAS vitórias….deve ser um novo tipo de recorde)

Tenho certeza que tem mais. “Só” lembrei destes casos no momento, mas sintam-se a vontade para contribuir.

1 – O atual presidente se uniu ao Pedro Antônio sabendo que seu apoio seria crucial nas eleições do Flu. Dito e feito, nosso ex-VP de Projetos Especiais anunciou publicamente seu apoio ao candidato da Flusócio. Abad ganhou e a parceria parecia que daria certo. Pelo menos até Junho, quando Pedro Antônio foi desligado do clube.

Entendo quem ache que ele errou ao se pronunciar publicamente no tema do estádio. Mas nada justifica você se livrar de um parceiro tão importante desta forma. Gestão não se faz apenas nos momentos bons. O bom gestor é aquele que consegue contornar situações difíceis e trazer os melhores resultados para o seu empregador.

Detalhe, você corta relações com o cidadão sendo que ainda deve dinheiro para ele. E segundo o próprio, em entrevista, a demissão se deu pela internet.

Atuação brilhante. Merece, no mínimo, uma nota 8!

2 – Quando assumiu o clube, Abad deu entrevista declarando que o Peter teria equacionado as dívidas do Flu e deixado o clube em uma situação muito melhor. Disse, inclusive, que o momento complicado não impedia a chegada de um novo ídolo ao clube (é verdade que ele também não disse que ia chutar qualquer potencial ídolo…ingenuidade minha).

De lá para cá o discurso mudou. Apesar de ter assinado e aprovado as contas do ex-presidente, Abad diz que não tem espaço para investimentos (apesar de gastar R$ 7 milhões no Robinho) e que o clube precisará enxugar a folha. Um elenco que brigou para não cair já perdeu: Cavaliere, Henrique, Wendel, Orejuela, W. Silva. Pode perder ainda Scarpa e Dourado.

O clube não mostra nenhum movimento no sentido de novas receitas. Não temos uma loja virtual decente, não evoluímos no sócio-torcedor e por aí vai.

E depois a gestão quer nos fazer acreditar que os outros clubes estão se aproveitando da nossa fragiliidade? Porque será? Quais outros presidentes estão sempre chorando miséria?

Nota 9!

3 – Este ponto acaba se misturando com o anterior. Hoje é normal ver admiradores da Flusócio tentando separar as gestões de Abad e Peter como se o segundo não fosse parte do grupo.

4 – Essa é fantástica. Vá a público desmerecer uma proposta de 7 milhões de euros dizendo que “por menos de 15 milhões de euros, nem tem conversa”. Apenas para alguns meses depois vender o mesmo jogador por cerca de 7,5 milhões de euros (segundo o que saiu na mídia).

Isso porque o dito cujo foi exonerado após um episódio lamentável de vazamento de áudio onde dava declarações ridículas sobre o clube.

Nota 10 pelo brilhantismo na condução da negociação!

5 – Na terça-feira (dia 05/12) Torres deu entrevistas para a Rádio Globo e TV Bandeirantes. Tudo seguia normal e o ex-jogador estava tocando planejamento para o futebol tricolor em 2018. No dia seguinte foi demitido pelo presidente Abad. Veio a publico depois dizer que estava surpreso, já que havia cumprido todos os objetivos traçados pela diretoria no começo do ano.

É um show de incompetência de gestão. Se a ideia já era demitir o Torres, não faz nenhum sentido que ele vá aos meios de comunicação como representante do clube falar sobre o planejamento do ano seguinte, Se a ideia não era demitir, então o que houve? Ele falou algo que não devia? Se for isso, mas um problema. Não existe um alinhamento interno sobre o que pode ou não ser falado?

O cara se diz surpreso com a demissão. Não vou entrar no mérito de dizer se concordo ou não. O ponto é: não existe comunicação? Ele não sabia que os resultados do trabalho dele não estavam de acordo com a expectativa? Como era feito esse acompanhamento (se é que era feito)?

Nota 10. Essa não tem como ser menor.

6 – Caso Scarpa. Em um ano péssimo dele e do clube, ele ainda se destacou nas assistências. Líder do campeonato pelo segundo ano. Isso nos dá uma informação importante: o jogador está valorizada e possui mercado.

E o que você faz? Atrasa salários a ponto de o jogador poder acionar o clube na justiça e conseguir assinar com outro clube. Atrasar 1 mês é errado, não existe discussão quanto a isso. Agora, o que não pode é colocar o clube em um risco desses.

E outra, ninguém entra na justiça e some do clube (ele errou feio ao fazer isso) se não tiver motivo. Como foi feita a gestão desse caso? Quem se manteve perto do jogador para termos um termômetro da situação? Como tentamos nos prevenir disso? Quais ações foram tomadas para reverter o quadro e convencer o Scarpa a ficar?

Nota 10!

7 – Essa foi a gota d’agua. Um profissional do clube vestido com o uniforme dando uma entrevista completamente surreal e bizarra. Dizendo com todas as letras que quer sair do clube e que o presidente já sabe disso. Sabe, inclusive, o motivo.

Porque escalamos o jogador? Como permitimos uma entrevista ridícula e humilhante como essa? Aonde está a diretoria que não blindou essa situação?

Já tem cerca de 1h que vi a entrevista na TV e continuo sem acreditar no que vi. Não me lembro de uma situação tão absurda em um clube grande.

Falta de comando, falta de respeito, falta de cobrança…

Nota 100! Porque 10 não é suficiente.

8 – Eu não ia incluir essa, porque parece implicância perto de tanta coisa bizarra já listada. Mas, sinceramente, pode até parecer pouco para algumas pessoas, mas um líder que se comporta desta forma perde todo o respeito e credibilidade com o grupo liderado.

No momento em que o Abad veio dar entrevista todo feliz pelas 2 vitórias (após meses deixando a bronca para o Abel e jogadores) ele perdeu qualquer controle que tinha sobre o grupo. E recuperar é extremamente complicado. Se é que é possível.

Junte isso aos atrasos de salários e a todos os casos acima.

Nota 9!

Analise esses casos com cuidado. Busque as matérias envolvendo todas estas histórias, leia com calma, preste atenção nos detalhes. É um material riquíssimo para você aprender o que NÃO fazer quando tiver a oportunidade de liderar. Nem todas as pessoas possuem as habilidades ou sequer o interesse de liderar, mas quando você se coloca nessa posição deve ser cobrado.

O Flu tem apostado alto nas categorias de base. Alguém viu a campanha do sub-20 em que fomos eliminados em um grupo por Tubarão e Marília? Alguém viu os jogos?

Estou de cabeça quente sim. E não foi por perder um amistoso para o time reserva do PSV, isso é o de menos (se bem que 1 vitória na Flórida cairia bem…já que até hoje…). A bagunça está atingindo níveis estratosféricos e o caminho de volta se mostra cada vez mais complexo.

Não me lembro de ver tantos episódios bizarros em tão pouco tempo. É assustador. Falei que não iria acompanhar o Flu este ano, já sabia que seria assim. E mesmo assim lá estava eu em frente a TV para ver a entrevista lamentável do Dourado (que errou feio, mesmo tendo direito de querer sair).

Apertem os cintos e tentem aprender o que puderem com esse show de horrores.

Comments