Quem eliminou a Juventus?

Na vitória de 3 x 1 da Juventus sobre o Real Madrid, que eliminou o time italiano, criou-se uma polêmica até agora pouco compreensível pra mim, em relação ao gol do Real.

Fico muito à vontade para falar de arbitragem porque, quem costuma me ler pode comprovar, sou um grande crítico em relação ao papel que esta tem no futebol, que por vários motivos tem uma capacidade de alterar o resultado que de fato nunca deveria ter. Então, por uma questão de justiça, tenho que vir aqui dizer que a marcação do penal foi absolutamente correta.

O Benetia entra no raio de ação do Vázquez, se apoia nas costas dele com a mão e depois, sem atingir a bola (e mesmo que atingisse, isso não define nada), entra com a perna no tórax do cidadão, deslocando-o nitidamente, por trás e pelo lado. Alguns minutos antes, o mesmo Benatia tinha levado amarelo por uma falta atabalhoada e duríssima na altura do meio de campo.

Das diversas “coisas” que li para recriminar a marcação do penal, destaco:

  • “Falta pra penal tem que ser muito clara” – Sem comentários … e leio isso de profissionais de imprensa esportiva, de clubes e de jogadores. De qualquer forma, essa foi claríssima.
  • “Se fosse do outro lado ele não dava” – Se a idéia era marcar qualquer pênalti pro Real, Cristiano Ronaldo cavou uns 5 só no 2o tempo. Nenhum foi e nenhum foi marcado.
  • “Tocou na bola primeiro” – Primeiro que a tese não se sustenta nas imagens e, segundo, mesmo que fosse, dar primeiro em bola não significa que você não invadiu o espaço do adversário faltosamente ou de forma temerária, impedindo-o de jogar. Isso é outra lenda criada em pelada que persiste …
  • “Estava tudo armado para o Real Madrid” – Isso … aí a arbitragem permitiu que a Juventus fizesse 3 gols, repito, 3 gols e só aí resolveu executar o plano … por favor, né?

Quanto à expulsão do Buffon, não sei dizer o que ele fez ou disse e não vi a súmula do jogo, mas não vi agressão ou ofensa, apenas reclamações veementes, que, aliás, partiram de todo o time da Juventus mais ou menos com a mesma intensidade. Se, como andaram lendo labialmente por aí, ele apenas perguntou se o árbitro era cego (o que é educadíssimo), acho que não justificaria a expulsão. Mas ele falou um monte, não deve ter sido só isso. A teoria de que o árbitro escolheu um pra expulsar, o que até se justificaria pela forma como foi coagido, e que foi o Buffon pra reduzir as chances de o penal ser defendido, me parece um tanto quanto fantasiosa.

Fantasiosa, apaixonada e desembasada, como a imensa maioria das opiniões que vi por aí a respeito.

Lógico, depois de fazer 3 x 0 no Real Madrid em pleno Santiago Bernabeu, qualquer um que não fosse torcedor do Real estava torcendo para a Juventus executar algo que parecia impossível horas antes. Eu torcia muito pela Juventus e, como apaixonado pelo futebol, para que aquele jogo sensacional tivesse mais 30 minutos em condições iguais. Natural que aquele gol, que jogava tudo isso “pelo ralo” gerasse um grande desapontamento. Ninguém o queria ! Mas e daí ? Resultados de futebol têm que refletir a vontade popular? Claro que não, AINDA BEM QUE NÃO, por mais que vejamos movimentos neste sentido, por objetivos mercadológicos e financeiros.

Uma pena que se tenha tentado transformar em culpado pela elininação da Juventus um árbitro que, até 2a ordem, sei lá, pode ser que descubram amanhã que havia alguma armação mesmo (se houve o Benatia fazia parte do esquema), fez apenas o que um árbitro deve fazer, que é simplesmente zelar pelo cumprimento da regra e manter a disciplina em campo. Aliás, ele foi bonzinho. Poderia ter mandado uns 3 da Juventus pra fora na hora do tumulto.

Assim sendo, não foi o árbitro que eliminou a Juventus, foi o Real Madrid, que fez o resultado em Turim e não desistiu de reduzir a vantagem da Juventus em Madri até o final. Desta vez, felizmente, o árbitro não me parece ter tido qualquer influência no excelente jogo que os dois gigantes fizeram. Como sempre, aliás, deveria ser.

Não se pode perder a razão, mesmo que a paixão, o desapontamento e a tristeza gerem desequilíbrios na avaliação e no julgamento.

De qualquer forma, é bom para compreender que uma pessoa só, por estes mesmos motivos, pode estar sujeita a cometer e a sustentar injustiças. Com os árbitros não é diferentes e repito: os árbitros justos precisam de ajuda. É muita carga para um sujeito só numa partida. Isso precisa ser URGENTEMENTE revisto. Os corruptos não têm jeito … sempre acharão um meio.

Abraços

Ex-jogador, auxiliar técnico e instrutor de futebol, escrevendo sobre o tema há mais de 20 anos. Torcedor do Fluminense Football Club.

Comments

  1. Carlos Gaia

    Depois que vc falou, fui rever o lance e foi muito pênalti sim.
    Que pena que o Bufon foi expulso, imagina se ele pega o penal???

    ST

  2. Carlos Gaia

    Aliás alguém no Flu deveria convidar ele pra jogar aqui ano que vem.
    Mesmo que seja pra ouvir um não.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*