Gilberto bagunça o Flamengo da Bahia

O jogo de hoje foi um desafio aos comentaristas de resultado, função que assumi com gosto e bom humor aqui neste espaço. Se o Fluminense tivesse perdido, o que quase aconteceu, seria o inferno na terra, estaríamos todos praguejando o Abel, o Pedro, o Marcos Júnio e o inominável Marlon, o pior jogador que já vestiu nossa camisa. E, convenhamos, que com uma certa razão.

A vitória, no entanto, muda a cor das tintas e a perspectiva. A gente passa a valorizar o esforço do Abel na intenção de dar um padrão de jogo ao time. E o esforço do time em tentar se encaixar no padrão proposto pelo Abel. O problema é que o time é tão ruim, que o que salva mesmo são o empenho e a dedicação, nossas marcas registradas. E contra time rubronegro, é aquilo: saco.

Quando o goleiro deles fez o símbolo da Jovem Fla, o churrasco inteiro gritou: “IH, GOL DO FLU”. Não deu outra. Por isso que a gente também teria um desgosto profundo se faltassem os fregueses no mundo. Vamos às notas dos nossos craques:

JÚLIO CÉSAR – O maior Júlio César que já atuou com uma camisa 1 no futebol mostrou, numa saída de bola, que não é bom. Mas tem ido bem. NOTA DEZ.

RENATO CHAVES – Horroroso. Voltou aos piores dias. NOTA ZERO

NATHAN – Não deu para saber se é horroroso ou se é mais ou menos. Falhou no gol. NOTA QUATRO

FRAZAN – Como bem destacou Emiliano Tolivia, que também escreve aqui, parece um holograma. As bolas sempre passam por ele. Por isso o Gum é o que é. Se fosse bom, seria Fluzan em vez de Frazan. NOTA QUATRO.

GILBERTO CARLOS – Incorporou o espírito de Airton Beijinho e foi o melhor em campo. Acertou praticamente tudo, mostrou vontade, disposição para o ataque e a defesa, e fez o que importa: o gol da vitória. NOTA DEZ.

RICHARD – É o melhor que temos na posição. Há bastante tempo. NOTA NOVE.

JADSON – O maior tocador de bola para o lado do mundo. NOTA ZERO.

SORNOZA. – Vampiro. NOTA ZERO.

MARLON – O pior jogador da história do Fluminense. Erra tudo. Não gosta de marcar, de driblar, de atacar, de correr. NOTA ZERO.

MARCOS JUNIO – É tricolor e corre. NOTA SETE.

PEDRO – Brigou o jogo todo. Com a bola e pela bola. NOTA SEIS.

PABLO DYEGO – É ruim, mas sabe o valor de um pão com ovo. NOTA DEZ.

ROBINHO – Coitado. Já entrou cansado. NOTA ZERO.

DÔDI – É pequenininho. Achei engraçado. NOTA CINCO.

Caio Barbosa avatar

Jornalista desde o século passado. Estudou na Universidade Federal FLUMINENSE e foi setorista dos clubes cariocas, inclusive o FLUMINENSE, pelo Diário Lance!, UOL/Folha, Jornal Extra e Globoesporte.com