Blog dos torcedores - Futebolzinho

Seguir na Sula e ter algo pra sonhar

O Fluminense tem pela frente uma partida muito importante amanhã em Montevidéu. Decide a vaga na última competição da qual ainda pode ser campeão em 2018. Bem, se formos analisar com frieza, a verdade nua, crua, dura e feia é que não há a menor condição desse time conquistar um título ou uma vaga na Libertadores, os dois objetivos principais de qualquer clube grande normal. Mas não é de frieza nem de análises objetivas que vive o torcedor. É preciso ter um sonho para seguir em frente. Uma eliminação amanhã significa sepultar o último sonho da temporada, ainda em agosto, e mergulhar de cabeça no mar de tédio do meio da tabela. Ou coisa pior. Apesar das evidentes limitações do nosso elenco, é razoável esperar que o Fluminense passe pelo Defensor e também pelo Deportivo Cuenca na fase seguint...

Fla dinossauro

É inegável, estamos batendo todos os recordes de bilheteria possíveis. Não importa o campeonato e a Nação está lá, enchendo estádio. Porém, cada vez mais eu ouço comentários sobre o comportamento da torcida. E cheguei a uma conclusão: estou em extinção. Se você é daqueles que acha estranho quem comemora gol com câmera na mão e faz stories de 10 em 10 minutos e o humor muda conforme a respostas de sua timeline, parabéns, pegue sua almofadinha com escudo do Flamengo e sente-se ao meu lado. Eu amo o Maracanã, amo mesmo. Já passei os melhores (e alguns piores) dias da minha vida  lá e as vezes não consigo reconhecer minha casa. Essa discussão de canta ou não canta, apoia não apoia, me parece meio confusa. Viramos torcida de resultado? E não me venha com essa de “não confio” e ̶...

Flu de Marcelo Oliveira é um lixo

Fluminense faz vergonha diante do Internacional no Maracanã

Semana fundamental pro Flu

Nesta semana estou tendo oportunidade de escrever antes do jogo. Pra mim é um alívio, quando se trata de Fluminense. Na verdade gosto muito de comentar o pós jogo de qualquer time, menos o do Flu. As razões são muito simples: A primeira é que por mais que me esforce, ainda não consegui analisar um jogo do Flu totalmente sem paixão, independente do resultado, principalmente no dia seguinte. Quando passam os dias e começo a ficar mais propenso a isso e a analisar o que realmente aconteceu, tenho sempre a sensação que tenho muito pouco a acrescentar e que de fato vou apenas ratificar ou retificar uma série de opiniões que já foram dadas. A segunda é que, em caso de derrota, como acontece com qualquer torcedor, posso até comentar o assunto, mas não faço isso com boa vontade e alegria. Assim se...

Os Bravos 9 Anos de Vida

Tricolores, Na segunda-feira passada (06 de agosto de 2018), a Bravo 52 completou nove anos de existência e eu não poderia deixar passar em branco esta data. Afinal, tenho um carinho especial por essa galera que me enche de orgulho nos jogos do Fluminense pelo mundo. Como já disse aqui, acredito que na coluna de sábado passado, participei da Legião Tricolor desde o seu início, em 2006, e permaneci com o movimento popular até o seu esgotamento. As pessoas que tocavam o barco cansaram-se logo após a Libertadores de 2013. Os motivos foram diversos, mas os preponderantes foram a ausência de alguém para assumir, executar e propagar os nossos princípios, o avanço da idade do pessoal e as responsabilidades que advieram por conta deste fato, especialmente em casa perante a família. Muitos começara...

A Sula e o Pedro

Amigos, a hora pede prioridades. Eu sou um ferrenho defensor dos pontos corridos. Acredito que é nesse tipo de torneio que somos capazes de fazer as avaliações mais justas que se podem fazer., quando estamos falando de trabalho de um Departamento de Futebol. Planejamento, modelo, plano, sistema, no ponto corrido, quem faz melhor, ganha. Quem faz mal, fica no meio do caminho. O Fluminense não tem nada disso. Como falar em planejamento num clube, só para ficar num único exemplo, com mais goleiro que meia no elenco? O que resta a um clube que planeja mal seu elenco, que não sabe fazer futebol, que acredita que o caminho é única e exclusivamente o corte nos gastos (olha a asfixia financeira pegando a gente de novo) é o acaso. E onde encontrar o acaso para que o Fluminense não passe mais um ano...

Quem Quer Manter a Ordem?

“… É seu dever manter a ordem? / É seu dever de cidadão?/ Mas o que é criar desordem / Quem é que diz o que é ou não?…” Desordem – Os Titãs – (Sérgio Britto, Marcelo Fromer, Charles Gavin) A última quinzena não foi nada fácil. Dois resultados esportivos negativos, lateral do time principal filosofando no twitter, a volta dos que não foram (sic) de alguns, digamos, radicais… E a cereja do bolo pós derrota na última quarta-feira (8/8), o lançamento oficial de uma das candidaturas à presidência do Clube de Regatas do Flamengo. Prezado leitor, tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor.Os que me prestigiam aqui no Futebolzinho com sua leitura, sabem que normalmente uso imagens para ilustrar determinados assuntos. Essa acima, por exemplo, tem...

Guerrero foi símbolo do “novo Fla”, mas se despede sem deixar saudades

Flamengo e Guerrero se separam oficialmente nesta sexta-feira (10), e o contrato de três anos entre as partes termina de forma bem diferente de como foi celebrado. O marco do clube capaz de investir em grandes jogadores e honrar os compromissos foi visto imediatamente na arquibancada. Mas a euforia da torcida, com direito a música (“Acabou o caô, o Guerrero chegou!”) deu lugar ao rancor, potencializado por inúmeras ressalvas sobre a conduta do atacante ao longo do vínculo, sobretudo recentemente. Paolo Guerrero se despede sem deixar saudades na maioria da torcida rubro-negra. A contratação, de fato, mudou o Flamengo de patamar. Até o meio de 2015, o clube ainda esbarrava no processo de recuperação financeira, e tirar um ídolo do Corinthians por altos valores impactou o futebol no país. A p...

Força máxima ou mistão? Fla precisa controlar os riscos diante do Cruzeiro

Entrar com força máxima e arriscar perder nomes importantes para a partida decisiva pela Copa do Brasil, quarta contra o Grêmio, ou preservar titulares e correr o risco de ver o São Paulo abrir distância na liderança do Brasileirão? A decisão será de Maurício Barbieri, que comanda o Flamengo contra o Cruzeiro, domingo, dias após a dura derrota para o rival mineiro na Copa Libertadores. A reportagem do LANCE! reuniu alguns dos pontos que devem ser levados em consideração pelo técnico, que passa pelo momento mais delicado desde que assumiu o comando da equipe, em maio, com uma decisão atrás de outra. O discurso no clube da Gávea, desde o começo da “maratona de agosto” – nove partidas em 29 dias – é de disputar todas as frentes com força máxima, sem hierarquizar as dis...

Quarta Pobre

Ha uns quatro anos, voltando para casa após uma semana de trabalho, estava no aeroporto Santos Dumont fazendo check-in e despachando minha bagagem para Campinas. Tudo certo – ou quase certo: lhes pouparei dos detalhes, mas eu entrei no avião errado e fui parar em Santa Catarina. Resultado: fiquei à noite em Navegantes e minha bagagem tomou o rumo oposto. Acredito que o futebol do Flamengo passou por situação parecida e pegou um voo diferente em Porto Alegre e só quem veio ao Rio de Janeiro foram os jogadores. O que se viu ontem no Maracanã foi um desastre completo, uma equipe que um desavisado poderia jurar ter se conhecido ali mesmo no estádio, no vestiário. Em nenhum momento da partida, o Flamengo ameaçou o Cruzeiro e, rapidamente, a torcida percebeu que nada de bom aconteceria naq...

O poder do hábito: deixem as manias do torcedor

Começo esta coluna citando novamente um amigo. Desta vez, um risonho tricolor de quatro costados (anda meio redondinho, mas se procurar, encontra os costados), sempre presente aos jogos no Maracanã. O danado não pode ver um livro de autoajuda dando mole que compra, empresta, divulga, faz campanha, emoldura… Tal qual um flusócio repetindo “e-ticket, e-ticket, e-ticket”, meu querido companheiro de arquibancada, em dado momento, tinha em “Sapiens” a resposta para qualquer questão da humanidade. De topada com o dedinho aos buracos negros do universo. – Sapiens explica – repetia. Pois nosso querido Trator deu agora de ler “O Poder do Hábito”. Espinguela caída, unha encravada, tétano, difteria, sarampo ou coqueluche? Como diria Tim Maia, leia o livro – não o “Universo em Desenc...

8 de Agosto na história: garotada do Flu atropela o Vasco

No dia 8 de Agosto de 1976 o Fluminense enfrentou o Vasco pelo 3º Turno do Campeonato Carioca desfalcado nada menos de Rivellino, Carlos Alberto Torres, Gil e Doval. O jogo era decisivo para o Tricolor, que tinha no 3º Turno sua última chance de chegar às finais do campeonato. Com desfalques importantes o Fluminense teve que recorrer aos jovens Erivelto, Gildázio, Geraldinho e Gílson Gênio para formar a equipe para o clássico. Estes se juntaram aos titulares também jovens Edinho (21 anos) e Pintinho (22), e a Rubens Galaxe, também formado em casa mas já um pouco mais experiente, improvisado na lateral direita no lugar de Carlos Alberto. Sete jogadores oriundos da base entre os 12 que participaram do jogo. Completaram a equipe o goleiro Renato, o zagueiro Miguel, o lateral esquerdo Rodrigue...