Share This Post

Botafogo

‘Direito de sonhar’, olho no caixa e Niltão: Botafogo busca virada apoiado em pilares

‘Direito de sonhar’, olho no caixa e Niltão: Botafogo busca virada apoiado em pilares

A quarta-feira (03) é de decisão para o Botafogo. A equipe do técnico Zé Ricardo vai ter que vencer o Bahia por 1 a 0 para passar às quartas de final da Copa Sul-Americana, no Nilton Santos, às 21h45 (de Brasília). Isto porque, na Arena Fonte Nova, o Tricolor baiano levou a melhor no primeiro duelo, vencendo por 2 a 1. Com um comandante empolgado, o olho no dinheiro pela passagem de fase e o Niltão cheio, o Alvinegro se apoia nestes três pilares para seguir sonhando em 2018.

Zé Ricardo, inclusive, foi lembrado do único título sul-americano do Botafogo: a conquista da Copa Conmebol completou 15 anos e o comandante destacou que o Alvinegro de 1993 também não era considerado favorito, e que se espelha naquele time para comandar a missão do atual time de General Severiano.





“Muito positiva (a homenagem) e rever jogadores como Sinval, Nelson. Remete a gente a uma grande conquista do Botafogo. Botafogo não era tido como favorito, mas fez por merecer o título, e a gente está no caminho. Talvez não sejamos considerados favoritos, mas estamos na briga. Mas nesse momento temos o direito de sonhar. Na competição de mata-mata, se as coisas forem acontecendo e as coisas derem liga, pode acontecer. Podemos chegar”, afirmou o treinador.

Zé reconhece que o Botafogo não é favorito, mas busca inspiração em 1993 para sonhar com título da Sul-Americana (Foto: Vitor Silva/Press)

 

DESFALQUES, PIMPÃO TALISMÃ E FORÇA DA TORCIDA 

O Botafogo não vai contar com força máxima Isso porque o volante Jean machucou a coxa esquerda e está fora da partida. Além disso, Erik, que já atuou pelo Atlético-MG na competição, também é desfalque. Para os lugares dos inaptos, Matheus Fernandes e Rodrigo Pimpão são os favoritos. Gatito Fernández tinha expectativa de ser relacionado, mas Zé afirmou que ele “não joga amanhã, ainda não se recuperou 100%”. Saulo segue na meta.

Pimpão em sua comemoração marcante nos gols internacionais (Foto: Vitor Silva;/Botafogo)

Para suprir as ausências, dois fatos podem deixar o botafoguense mais otimista para pegar o Bahia: 27 mil ingresso foram vendidos antecipadamente até a última terça-feira (03). Ou seja: casa cheia para o duelo decisivo. Além disso, Pimpão, que vai substituir Erik, tem um histórico animador em competições internacionais pelo Glorioso: ele é o segundo maior goleador da história do Botafogo em torneios internacionais, com sete gols, atrás de Sinval (8).

‘QUEREMOS O BI’ AJUDARÁ NO CAMPO E NO CAIXA 

A fase financeira atual do Botafogo não é das melhores e, o “Queremos o Bi”, lema da torcida e do clube, não premiará o Alvinegro só no lado esportivo caso se concretize. Se o time passar pelo Bahia, receberá US$ 375.000 (cerca de R$ 1,2 milhão) por chegar às quartas de final. Caso continue avançado, são US$ 450.000 (cerca de R$ 1,5 milhão) para a semifinal, US$ 550.000 (cerca de R$ 1,8 milhão) para chegar à final e, sendo vice-campeão, leva US$ 1.200.000 (cerca de R$ 4 milhões).

Caso o ‘Bi’ realmente venha, são  US$ 2.500.000 (cerca de R$ 8,2 milhões). No melhor dos cenários, o time carioca pode arrecadar daqui para frente a quantia de US$ 3.875,000 (12.700,00), mais do que recebe da Caixa (R$ 10 milhões) pelo patrocínio master na camisa, por exemplo. Motivos não faltam. Os pilares são firmes para um time sonhador e que não quer cair tanto na competição quanto no pesadelo de sair sem classificação e já pensando no clássico da próxima terça-feira (09), contra o Vasco, uma batalha para fugir do fantasma do rebaixamento.

 

 

 

Share This Post

Lucas Pedrosa avatar
Jornalista. Cobertura de Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense pelo site Futebolzinho. Passagens por Lance! e Esporte Interativo. Ética. Verdade. Respeito. Sempre apaixonado por esse tal de futebol.