Eu quis cantar / Minha canção iluminada de sol / Soltei os panos sobre os mastros no ar / Soltei os tigres e os leões nos quintais / Mas as pessoas na sala de jantar / São ocupadas em nascer e morrer…” (Panis et Circenses – Os Mutantes – Caetano Veloso, Gilberto Gil)

Só que, entre o nascer e o morrer existe o espetáculo do Futebol, e, com sua permissão (ou quase), abuso e uso mais uma expressão em latim, língua que eu tenho uma grande vontade de aprender:

Refazendo então… Só que, entre o nascer e o morrer das pessoas ocupadas existe o espetáculo do futebol, “cui prodest?” ou “A quem beneficia?”

Saudações Leitores!

Estamos na época da Copa do Mundo na Rússia e automaticamente vem a lembrança da Copa anterior, a que foi realizada aqui no “picadeiro” de extensão continental abaixo da Linha do Equador.

A imagem acima descreve talvez um dos maiores crimes contra o patrimônio, a cultura e a paixão de muitas pessoas, não há a menor necessidade de legendas ou maiores explicações, talvez o único objetivo seja manter sua memória ainda ativa com os nomes dos que se beneficiaram e para seguir a mesma linha, como pronunciado por Medeia na tragédia homônima de Sêneca, “cui prodest scelus, is fecit” ou “aquele que lucra com o crime foi quem o cometeu“.

Medeia – Paul Cézanne

Maldito seja! Aquele ex-governador do Rio de Janeiro com crueldade par com a de Medeia e que não ouso escrever seu nome. Você sabe a quem me refiro.

Caso queira saber mais sobre o “Crime Maracanã”, o grande Jornalista e Historiador, Lúcio de Castro em seu site agenciasportlight.com.br detalha todos os pormenores, vale muito a sua leitura.

… Não é nossa culpa / Nascemos já com uma bênção / Mas isso não é desculpa / Pela má distribuição… Com tanta riqueza por aí, onde é que está? / Cadê sua fração?…” (Até Quando Esperar – Plebe Rude – Philippe Seabra, André X, Gutje)

Me perdoe ainda leitor um duplo lamento: O meu velado, ao unir as fotos acima e o de Doce Ledinha que, em mensagem também lamenta não poder mais sentar “no cimento”, ora quente, ora frio em cada derrota do nosso Flamengo. Quantas tardes de domingo, Doce Ledinha cantou “Ju Baiano é mau! Pega um, pega geral! Oh Oh…” ao lado do meu cunhado que tem o tamanho de um goleiro de futebol de botão. Ledinha ficava orgulhosa de ver seu irmão carregando uma bandeira gigante onde se lia no filó… RAÇA – Sim, fui Raça Rubro Negra com muito orgulho e isso um dia será contado aqui.

… Se lembra do futuro / Que a gente combinou / Eu era tão criança e ainda sou / Querendo acreditar / Que o dia vai raiar / Só porque uma cantiga anunciou…” (Maninha – Miúcha, Tom Jobim, Chico Buarque – Chico Buarque, Miúcha e Tom Jobim)

Coisas que eu acho que acho

Quando resolvo escrever esse texto algumas dúvidas permanecem mesmo sabendo que atualmente a informação flui mais por diversos canais (inclusive os não esportivos), ou seja, você tem o direito (e o dever) de conhecer várias versões de um mesmo fato, entretanto, o “Espetáculo Copa do Mundo” como “vendem” a você ao meu modo de ver, todas as formas comerciais são parecidas, um discurso só!

Porque o mercado é mais amplo e ao mesmo tempo menos seletivo, pessoas não têm o interesse em saber o que um evento desse porte é capaz de gerar. Não faz muito tempo em que o futebol era usado como válvula de escape para nossa política interna, alguns vão lembrar, por exemplo, da frase “Arena vai mal, mais um clube no Nacional (campeonato)” ou a que eu mais gosto para algumas gargalhadas, “Seleção Brasileira é a Pátria de Chuteiras”. Assim mesmo, como se o certame fosse influenciar o nosso dia a dia com uma vida melhor em Pindorama. Não amigo… Não será todo dia, dia de índio.Ainda em Pindorama, abro mais uma vez o parêntese e lembro a você que, para alguns canalhas do Poder Executivo, seja Estadual ou Federal, o evento de 2014 foi “A Oportunidade”… Fecho parêntese.

Não seja tão exigente, Pascoal! Dirão alguns. Afinal:

… A gente não quer só comida / A gente quer bebida / Diversão, balé / A gente não quer só comida / A gente quer a vida / Como a vida quer / Bebida é água! / Comida é pasto! / Você tem sede de quê? / Você tem fome de quê?…” (Comida – Os Titãs – Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer, Sérgio Britto)

E de quatro em quatro anos existe a oportunidade de matar a sede de vários e a fome de outros tantos em qualquer dos continentes.

Judge in The Wall – Gerald Scarfe

Você, Nobre Leitor, tem o direito de se manter isento e pensar apenas no resultado esportivo e quão é importante saber como o povo da Islândia torce através das palmas, sejam no estádio ou em algum parque gelado.

Pode dar a impressão que estou analisando só o lado ruim do evento, mas não é isso, apenas tento mostrar alguns dos exageros em cada esfera e não é só a esportiva que cito. Redundante, convido a você a pensar e não se isentar.

Não concordo que o evento deva ser desprezado pelo simples motivo que é somente a grana que está envolvida, respeito o trabalho sério de muitos profissionais envolvidos.

Não se esqueça também que sou um apaixonado pelo esporte e deixei de ser “pacheco” há muitos anos, mas mantenho o direito reservado de quem quer ser. É só um torneio de futebol e que em nada vai beneficiar ao cidadão médio, contraditoriamente uma alegria efêmera.

Entenda, por favor, que Futebol é um produto comercial como outro qualquer, precisa ser vendido como um bonito rótulo em ótima embalagem e é exatamente neste item que entra os exageros que por alguns segundos foram esquecidos pelo narrador número um da TV que detém os direitos de transmissão para o Brasil, quando citou no meio de sua narração, que nosso país é cheio de problemas, mas que alegria não deve ser deixada de lado. Dourou a pílula, como diz a antiga expressão.

A cada coluna escrita aumenta a responsabilidade desse péssimo escriba aqui e faço um Esforço Hercúleo (mais mitologia, nesse caso mal comparada) para trazer o debate e não o Juízo de Valor como eu sempre insisto.

Rogo para que, a cada dia cresçamos quanto cidadãos. Acredito absolutamente na evolução da espécie humana, lógico, um tomógrafo, satélite e o VAR estão aí para provar o quanto evoluímos e ainda há muito a evoluir.

Acredito em um mundo melhor e para dizer que não falei “dele”, sigam o líder! Gosto assim, no plural… Sigam, porque, Flamengo é amplo como o Universo.

Não hesite em deixar a sua crítica no espaço desejado, ela é muito importante.

Até breve, Leitores!

SRN.

Pascoal Grisolia avatar

Carioca e Flamengo desde a geração da primeira célula.

Twitter: @pascoalgrisolia