O discurso ainda é um pouco ensaiado. Mas nem o contido Carlos Noval, diretor de futebol do Flamengo há menos de três meses, suportou a emoção ao falar da despedida tão próxima de um de seus pupilos. No vestiário, após a vitória por 2 a 0 sobre o Paraná, neste domingo, no Maracanã, o dirigente não aguentou. Abraçou e Vinicius e chorou ao lado do garoto que viu chegar no Flamengo.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, o ex-diretor da base, novo no cargo no futebol profissional, guarda um pouco do sentimento puro que move a emoção de Vinicius. Noval é filho de um ex-diretor de futebol do Flamengo. Prata da casa também, ele sabe que a roda tem que girar e já olha para frente. O garoto de 16 anos Reinier, destaque e camisa 10 do juvenil, é outra grande aposta do Flamengo.





– Reinier tem potencial enorme. Tem que ser tratado com calma. Mas é um jogador que realmente algumas etapas ele vai ter que pular. Temos plano de carreira para ele, está feliz no clube, nós também com eles. Vai ser outro case de sucesso aí para frente – disse Noval, em entrevista no Ninho do Urubu.

No Flamengo, apesar de todas evidências, ainda não se admite a página virada com relação à Vinicius Júnior. Na quarta-feira, contra o Palmeiras, o jogador faz a última partida antes de se apresentar ao Real Madrid.

Questionado sobre o que o Flamengo ainda poderia fazer para manter o atleta, Noval reconheceu que o caso é delicado.

– A gente conversa com o pessoal (do Real), o presidente, pessoal do departamento técnico, mas realmente está difícil. Se realmente isso acontecer, a ideia é trazer alguém para suprir a saída dele. Estamos monitorando o mercado – afirmou Noval, reconhecendo que a ida para Madri já definia a questão. – Ainda não tem essa decisão formada, mas seria essa a ideia (ele ir para a pré-temporada). Se ele for para lá vai fazer a pré-temporada com time principal e aí acho que não tem muito mais o que fazer.

Fonte: Globoesporte.com