Share This Post

Flapress

Noval fala em plano para Paquetá, mapeia reforços e abre portas para Guerrero

Noval fala em plano para Paquetá, mapeia reforços e abre portas para Guerrero

Carlos Noval vive o Flamengo há anos, mas é um cara discreto, tranquilo e avesso aos holofotes. Assumir o comando do futebol não estava nos planos. Mas o chamado do presidente Eduardo Bandeira, com o clube no olho do furacão, foi tratado como uma convocação. Na verdade, uma “missão”, com descreve o diretor.

Logo nos primeiros dias de abril, Noval topou trocar a estabilidade da base – onde em quase oito anos ajudou a conquistar três Copas São Paulo e revelar jogadores como Vinicius e Paquetá – pela pressão dos profissionais. O cenário era assustador.





– Fui pego de surpresa. Estava na Itália, em uma competição com o sub-15. O presidente pediu para eu voltar, porque tinham saído seis membros do futebol. Momento delicado do clube, no meio de uma Libertadores, começando o Brasileiro, eleição no fim de ano, sem treinador… Complicado. Mas quem está dentro do Flamengo tem que estar preparado para essas situações – diz o dirigente.
Entre as atribuições de Noval, a principal é controlar o entra e sai de jogadores. Com o mercado aquecido e o Flamengo em evidência, segurar os protagonistas e repor as perdas talvez seja a maior dificuldade. Após perder Vinicius para o Real Madrid, manter Paquetá é prioridade. O dirigente prepara um plano de carreira para o camisa 11, revela que as conversas já começaram, mas admite a dificuldade diante do assédio e do dinheiro europeu.

– Sempre tem (assédio). O Paquetá tem se destacado muito, é um dos melhores jogadores do Brasil. Não chegou nada oficial. Sempre há especulação. A partir do momento que chegar algo, vamos conversar com o empresário e com o atleta.

– Nossa ideia sempre é segurar. Mas se pagarem a multa não tem jeito. Mas a ideia é fazer um plano de carreira e fazer com que o Paquetá vire um ídolo aqui. A princípio, só sai pela multa.

Fonte: Globoesporte.com

Share This Post