Share This Post

Fluminense

Após jogo da permanência, Igor Julião deixa o Maraca de metrô: ‘Precisava desse momento’

Após jogo da permanência, Igor Julião deixa o Maraca de metrô: ‘Precisava desse momento’

A pressão foi grande. Depois de oito jogos sem vencer e sem marcar gols, o Fluminense entrou na última rodada do Campeonato Brasileiro correndo risco de rebaixamento. O alívio só veio com o gol de Richard e a vitória por 1 a 0 sobre o América-MG. Após o apito final, teve jogador se emocionando, teve jogador desabafando. Mas Igor Julião foi além: em busca de um momento de reflexão, o lateral-direito deixou o Maracanã de metrô.

Igor costuma voltar para casa com os pais depois dos jogos. Neste domingo, porém, ele pediu para os familiares ficarem em casa. Após a vitória, foi acompanhado até a estação de metrô por alguns seguranças do Fluminense.

Chegando lá, se dirigiu até o caixa e foi reconhecido por um torcedor. Ganhou dele um bilhete que estava sobrando. Desceu na estação Jardim Oceânico, na Barra, onde encontrou a esposa Carol e completou o trajeto de bicicleta, primeiro para jantar e depois para seguir até em casa.





“A pressão foi grande e eu precisava desse momento para mim. O metrô já estava vazio, eu não queria me sentir jogador, queria lembrar os tempos de moleque. Foi tranquilo”, disse Julião ao GloboEsporte.com.

Ainda no metrô, Igor Julião foi reconhecido por outro torcedor e teve uma foto sua publicada no Twitter. O próprio lateral retuitou com os dizeres ”Até 2019!”. Antes, na zona mista do Maracanã, ele se emocionou após o apito final e desabafou.

Igor viveu uma temporada difícil. Depois do empréstimo ao Samorin, a filial do Fluminense na Eslováquia, o lateral voltou ao Tricolor sem perspectiva alguma de ser utilizado. Ficou seis meses apenas treinando com o grupo, mas sem fazer parte do elenco principal oficialmente. Até receber a primeira oportunidade já quase no fim de outubro, com a lesão de Gilberto. A partir daí, foi ganhando espaço e atuou em algumas partidas como titular.

“Tiramos um peso grande com essa vitória. Esse grupo é muito unido. Isso que nos fortaleceu. Eu me emocionei no final porque foi sinistro o que vivie esse ano. Fiquei um mês treinando sem que os fotógrafos pudessem tirar uma foto minha, estava sendo escondido do grupo. Conversei com a assessoria e liberaram. Depois passei dois meses sem ter a minha foto no site como jogador. Ia olhar e ficava chateado”.

”Segui trabalhando e esperando uma chance. E até hoje não tem a minha foto no vestiário. Mesmo assim não desanimei. Tive que ser muito forte para passar por tudo isso e correr para salvar o clube desse pesadelo”.

Conhecido por sua consciência social, pelas posições políticas, pelo amor à filosofia e à leitura, Julião às vezes parece um peixe fora d’água no mundo do futebol. Aos 24 anos, o lateral tem contrato com o Fluminense até dezembro de 2020 e espera permanecer no clube na próxima temporada.

– É o meu time do coração, fiquei emocionado por tudo. Espero continuar, tenho contrato. O que aconteceu não foi culpa de ninguém. São pequenas coisas que deixam passar, mas é pesado para alguns jogadores. Me fortaleceu mais do que magoou. Só tenho gratidão por esse clube, espero continuar, quero conquistar um titulo internacional e dar para esse clube tudo o que ele me deu.

”O que fica no fim é meu amor e minha gratidão pelo Fluminense. O clube precisa se planejar melhor, esse ano aconteceram coisas que ninguém queria”, encerrou.

Fonte: Globoesporte.Com

Share This Post

Comente nesta notícia!

Comentários

No comments yet