Share This Post

Fluminense

Após duas cirurgias e 14 meses parado, Calazans comemora retorno: ‘Muito feliz’

Após duas cirurgias e 14 meses parado, Calazans comemora retorno: ‘Muito feliz’

Dentre um dos destaques da goleada tricolor versus o Paraná, válido pela 28° rodada do Campeonato Brasileiro, certamente está Marquinhos Calazans. Engana-se quem acha que não tem direito a esse posto, uma vez que não foi autor dos gols ou assistência. Porém, foram longos 14 meses impossibilitado de fazer o que mais gosta. Além disso, duas cirurgias e um caso criminal. Essa é uma pequena parte da história, que dia 8 de outubro de 2018 deu a volta por cima.

“Ali foi a redenção de tudo que passou. Fiquei emocionado. O momento que veio na minha cabeça foi a primeira lesão. Era um momento muito bom na minha carreira. Melhor momento da minha vida. Aquele filme passou na minha cabeça. Estou muito feliz”, disse, Calazans

O camisa 30 entrou aos 23 minutos e já arrancou elogios do técnico Marcelo Oliveira. Participou da jogada do último gol, acertou 12 passes, deu seis dribles, chutou uma vez ao gol e sofreu três faltas. Para quem estava inativo há bastante tempo, mostrou confiança, procurou o jogo e configurou-se como mais uma opção para a reta final de temporada. Indagado sobre a emoção de voltar aos gramados, o garoto que pensou em até parar de jogar futebol.





“Fiquei um pouco emocionado. Um ano e dois meses sem jogar… Um momento muito difícil da minha carreira. Pensei em parar muitas vezes, mas com a ajuda dos meus companheiros e da minha família puder voltar a jogar e ajudar a equipe. Ver todo mundo jogando, todo mundo podendo ajudar e só poder ficar na torcida. Isso é o mais difícil para o atleta, ver que os outros podem ajudar, menos você”, declarou o atacante.

A sua volta teve que ser adiada em oito meses – após a primeira cirurgia, a previsão inicial era que com seis meses voltaria a atuar-  por causa de um lamentável ocorrido na final entre Flamengo e Independiente pela Sul-Americana. Isso é, dia 15 de dezembro de 2017, Marquinhos foi agredido dentro de uma lanchonete no Rio de Janeiro por dois flamenguistas. Sobre o assunto, Calazans disse que não gosta muito de lembrar e perdoa seus agressores, mesmo sem saber quem são.

“É um momento que não gosto muito de lembrar. Não descobri quem foram as pessoas que fizeram ainda, mas perdoei mesmo sem saber quem são. Porque se eu não perdoar eu sou uma pessoa pior do que eles foram, do que fizeram”.

Sobre o clássico contra o Flamengo, Marquinhos colocou-se à disposição. Perguntado se a agressão serve de motivação, ele negou:

“Não diria que tem motivação por causa da agressão. Isso foi um caso isolado, independente do time que a pessoa torce. A motivação é o clássico”, disse o atacante, complementando: “Todo o jogo é importante. Quando tem clássico, tem aquele gosto especial. É a maior rivalidade do estado. Então, a vontade de ganhar é maior”, finalizou.

Share This Post

Gabriel Lutterbach avatar
Jornalista em formação, 19 anos, mais carioca do que mineiro, mesmo sendo ao contrário na realidade. Setorista do Fluminense pelo Futebolzinho. O que eu subentendo do ser humano, devo ao futebol.

Leave a Reply