Share This Post

Flupress / João Bolt

1º de Agosto na história: Fluminense campeão da Taça GB

1º de Agosto na história: Fluminense campeão da Taça GB

No dia 1º de Agosto de 1971, há exatos 47 anos portanto, o Fluminense vencia o Flamengo por 3×1 e conquistava a última edição da Taça Guanabara antes dela se tornar um simples turno do Campeonato Carioca.

Vale a pena aproveitar a efeméride para relembrar um pouco a história dessa competição. A Taça Guanabara foi criada em 1965 para definir o representante do estado da Guanabara na Taça Brasil. Era uma competição independente do Campeonato Carioca. Sua criação acabou tirando do Fluminense a vaga na Taça Brasil daquele ano. Pelas regras vigentes até então o Tricolor, campeão carioca de 64, representaria o estado na Taça Brasil de 65. Mas veio a Taça GB, o Vasco levantou o título e ficou com a vaga.





Em 1966 foi a vez do Fluminense conquistar a Taça Guanabara vencendo o Flamengo (sempre o Flamengo) na decisão e ficar com a vaga na competição nacional.

A Taça Brasil foi disputada até 1968 mas curiosamente a Taça Guanabara continuou existindo como uma competição à parte depois disso. Somente em 1972, quando o Campeonato Carioca deixou de ser disputado por pontos corridos e foi dividido em turnos, é que ela foi incorporada à competição.

Coube portanto ao Fluminense conquistar em 1971 a última edição da simpática taça antes dela virar turno. Com o título o Tricolor se firmou como o maior vencedor da competição nesta era. Foram sete edições do certame entre 1965 e 1971 com três títulos do Fluminense, dois do Botafogo, um do Vasco e um do Flamengo.

Essa conquista de 1971 é um título pouco lembrado que merece ser revisitado, por todas as curiosidades que o envolvem….

O Fluminense já era o campeão carioca daquele ano. No dia 27 de Junho, um domingo, venceu o Botafogo por 1×0 na histórica decisão em que Lula marcou o gol do título nos minutos finais, coroando uma arrancada sensacional na qual o Tricolor tirou uma grande diferença de pontos dos alvinegros. Na quarta feira seguinte venceu o São Paulo no Morumbi, também por 1×0, no duelo entre os campeões do Rio e São Paulo. E já no domingo seguinte a Taça Guanabara começaria.

O Fluminense parecia estar desmobilizado para a disputa, que reuniria ainda Flamengo, Vasco, Botafogo, América e Bangu. O técnico Zagallo se ausentou para dirigir a Seleção Brasileira em uma série de amistosos e mais a Copa Roca, levando com ele os convocados Félix, Marco Antônio e Lula. Para dirigir o time durante a ausência de Zagallo o Fluminense chamou Pinheiro, técnico do time juvenil. O lendário Pinheiro, zagueiro de tantas glórias no clube, que havia conquistado com a garotada tricolor no início do ano o título da Taça São Paulo, o primeiro dos cinco que o clube detém. Pinheiro aproveitou a Taça Guanabara para promover vários garotos. Abel Braga, Rubens Galaxe, Zé Roberto e Marquinhos foram alguns dos jovens que tiveram chances naquela competição.

A Taça Guanabara foi disputada em cinco rodadas e teve um desfecho talvez inédito. O Fluminense venceu o América (2×0), empatou com o Bangu (3×3), venceu o Vasco (1×0), perdeu para o Botafogo (0x1) e chegou na última rodada com cinco pontos, mesma pontuação do Flamengo. O Botafogo era o líder com seis pontos e o América corria por fora com quatro. Todos os quatro tinham chances de conquistar o título, que seria decidido em uma rodada dupla no Maracanã. O líder Botafogo faria o jogo principal da tarde, contra o América, as 17:30, enquanto a dupla Fla-Flu faria a preliminar as 15:30.

O Fluminense fez sua parte. Não tomou conhecimento de seu rival e venceu por 3×1, com três gols de Mickey, o artilheiro dos jogos decisivos da conquista do Brasileiro do ano anterior. Zico, que fez uma de suas primeiras partidas entre os profissionais naquele dia, aprendeu logo cedo uma das verdades eternas do futebol: Fla-Flu decisivo geralmente acaba mal para os rubro-negros.

Mickey comemora um de seus três gols na final da Taça Guanabara de 1971

 

Ficha técnica:

Com a vitória assegurada a missão dos tricolores passou a ser secar o Botafogo na peleja de fundo. O alvinegro jogava pela vitória para ser campeão. O América, já sem chances de título devido a vitória tricolor na preliminar, daria o título ao Fluminense se vencesse. E o empate levaria à realização de um jogo extra entre Fluminense e Botafogo.

Mas como lugar de taça é nas Laranjeiras, o Botafogo até saiu na frente mas o América venceu de virada com um gol de Tarciso aos 40 minutos do 2º tempo. Pra desespero dos botafoguenses, pouco mais de um mês depois da traumática decisão do Campeonato Carioca, seu time via mais um título lhe escapar por entre os dedos e o Fluminense dar mais uma volta olímpica.

Há 47 anos.

 

LEIA MAIS:

Ranking dos artilheiros do Fluminense em Campeonatos Brasileiros
Histórico do Fluminense pós-Copa
O Fluminense no Estádio Lujniki
Jogadores da base do Fluminense em Copas do Mundo
Os gols tricolores em Copas
A participação do Fluminense em Copas do Mundo
Um clássico de 100 anos
Se vale trófeu, dá Fluminense
O primeiro Fluminense x Grêmio
Chegou a hora de vencer a Chape
Nunca foi contrapeso

 

Share This Post

João Claudio Boltshauser avatar
João Claudio Boltshauser (Bolt pra facilitar) curte escrever sobre o Fluminense Football Club, em especial sobre sua história. Aquela que traduz a predestinação para a glória.

5 Comments

  1. Bruna Personal avatar

    Parabens Bolt! Sempre uma enciclopédia do Fluminense

  2. Miguel Vasconselos avatar

    Ganhar Fla-Flu é normal!

  3. Raimundo Santana avatar

    Parabéns!!! Você sempre realimenta a alma tricolor.

Comments are now closed for this post.