Share This Post

Caio Barbosa / Fluminense / Flupress

Notas: Ogum salva o Fluminense diante de um Corinthians entregue

Notas: Ogum salva o Fluminense diante de um Corinthians entregue

Há quatro décadas assistindo a Fluminense x Corinthians, não me recordo de ter visto o Fluminense enfrentar o time paulista tão apático como ontem. Foi uma importantíssima vitória, mas com outra atuação para esquecer. Um jogo horroroso. A transmissão pela Globo para a capital esvaziou o estádio. Para a nossa sorte, nem os jogadores do Corinthians estavam a fim de jogo, como também a torcida, que fez-se presente em número muito aquém do normal, não cantou, imitando a do Flamengo, e foi embora no intervalo. Algo de estranho há no time do Parque São Jorge, e parece claro ser a derrubada do péssimo Osmar Loss, que já passou por Xerém sem deixar saudades.

Sornoza errou praticamente tudo.

Como o Fluminense nada tinha a ver com isso, ganhou. Graças a Ogum, o zagueiro guerreiro, que não à toa tem mais títulos conquistados que o Zico. E à inteligência da defesa, que sabedora de que no ataque não iria arrumar nada com Sornoza e Matheus Alessandro, tocou muito bem a bola fazendo o tempo passar, aproveitando-se do fato que o Corinthians atuou boa parte do jogo com dez jogadores, contra nove do Fluminense. Vamos às notas.





JÚLIO CÉSAR – Saiu de campo penteado, mais uma vez. O Corinthians não queria jogo – SEM NOTA.

CARLOS GILBERTO TORRES – O melhor em campo, mesmo preso atrás. Tocou a bola com inteligência, ainda produziu poucas, mas boas jogadas ofensivas. Pela inteligência no toque de bola e evitar que ela chegasse tanto a Sornoza, leva NOTA DEZ.

GUM – Tem mais título que Zico e fez o gol da vitória. E jogou bem. Pela inteligência no toque de bola e evitar que ela chegasse tanto a Sornoza, leva NOTA DEZ.

DIGÃO – Pela inteligência no toque de bola e evitar que ela chegasse tanto a Sornoza, leva NOTA DEZ.

AIRTON BEIJINHO – Foi atrapalhado o tempo todo por Matheus Alessandro, o firuleiro, que não consegue fazer uma tabela sequer, ou se posicionar decentemente em campo. NOTA SEIS.

RICHARD – Pela inteligência no toque de bola e evitar que ela chegasse tanto a Sornoza, leva NOTA DEZ.

DODI AL FAYED – Mais uma boa partida desse jovem rapaz, mas não tem com quem jogar. Uma lástima. NOTA SEIS.

MARCOS JÚNIO – Entrou, correu, acertou todos os passes. No primeiro, bola na cabeça de Gum e gol. Mas o juiz anulou. Tivesse jogado desde o início, seria goleada histórica e consagraria Pedro. Mas o treinador é um lixo. NOTA OITO.

JADSON – Mais uma partida para esquecer – NOTA TRÊS

MATHEUS NORTON – Horroroso. O treinador é um horror. NOTA ZERO.

SORNOZA – Uma merda. Acertou um chute o jogo inteiro. NOTA ZERO.

EVERALDO PÉ NA COVA – SEM NOTA.

MATHEUS ALESSANDRO – O de sempre. Sornoza não faz nada. Matheus erra tudo. Ontem, dada a inoperância corintiana, acertou umas duas ou três bolas. E errou 792, nas contas do amigo jornalista Marcio Nogueira, o Mossoró. NOTA ZERO.

PEDRO – Consertou um cruzamento de Sornoza que resultou no gol. Deveria se recusar a jogar com Matheus Alessandro. NOTA OITO.

Share This Post

Caio Barbosa avatar
Jornalista desde o século passado. Estudou na Universidade Federal FLUMINENSE e foi setorista dos clubes cariocas, inclusive o FLUMINENSE, pelo Diário Lance!, UOL/Folha, Jornal Extra e Globoesporte.com

3 Comments

  1. Raimundo Santana avatar

    Perfeita análise!!!

  2. Carlos Mucury avatar

    hahahahaha! Notas com a excelência costumeira.

  3. Carlos Gaia avatar

    hahahahahahahahaha

Comments are now closed for this post.