Share This Post

Emiliano Tolivia

“La Casa de Abel”

“La Casa de Abel”

A reboque da série do momento, a torcida tenta embalar o Fluminense ao som de “Bella Ciao”. Em “La Casa de Abel”, de fato será necessário erguer a bandeira centenária para estancar a sangria do encarnado. Será um ano no qual, de Rio a Tóquio, passando por Berlim e Nairóbi, tricolores em toda a terra deverão estar atentos aos mínimos detalhes do plano do professor. Não há margem de erro.

Bem sei que o Abel desperta amores e, se não ódio, ao menos irritação em nossa arquibancada. Não condeno. A eterna busca pelo novo Gabiru que nunca chega (Maranhão, Romarinho, João Carlos…) estraga segundos tempos, entrega vagas e campeonatos.





Não perfilo entre os que acham Abelão um ultrapassado. Vejam o time atual. É fraco. É o feio, mas arrumadinho. Vence pouco nos momentos decisivos porque não tem qualidade. Também não passa vergonha. Veste camisa de bali, Nauru e calça bag. Tem um jeitão meio anos 90. Se pedir com jeitinho, até dança um Stevie B. Vende caro cada revés porque… Abel.

Conseguiria aceitar a ideia de tentar o novo. Zé Ricardo. Roger Machado. E não com aventuras tais como Ricardo Drubscky (nunca esquecer, nunca esquecer…). Gostaria de ver um Fluminense equilibrado e forte fora de campo para tentar, aí sim, novos caminhos.

Mas não dá para trocar um clínico geral por um podólogo porque a unha encravou. Sua mãe nunca aprovaria, ouça ela.

Queria eu que um técnico do Fluminense hoje, qualquer técnico, não precisasse ser presidente, gerente de futebol, psicólogo, nutricionista, olheiro, assessor de imprensa, pai, buscador de bola na Cidade de Deus e tocador de piano. Abel faz um pouco de tudo isso, a maioria pela metade, mas faz, quando deveria apenas treinar e tocar piano. Com um vinho para relaxar.

Alguém, deixando de lado a pinimba, consegue apontar um único ser humano capaz de preencher tal cargo/fardo nas Laranjeiras? Abel tem muitas culpas, mas essa não é uma delas. O ano de 2018 caminha para que se enxergue nele, Abel Carlos da Silva Braga, com a devida distância histórica, um papel tão importante quanto o de Parreira na reconstrução do clube, nos infelizes idos de 1999.

O Fluminense se mantém hoje com notável dignidade em campo. No entanto, um elenco limitado e curto como este cobra seu preço em campeonatos longos. Por mais que nosso técnico preencha as mil lacunas de poder no clube, ele não é mágico nem astronauta.

É o presidente Pedro Abad se omitindo de respostas; é Flusócio se esfacelando e criando grupos de novos nomes tal qual partido político envergonhado; é oposição que vira situação que vira oposição e segue na situação para ver se a manga madura cai no colo; é discurso mofado do Paulo Autuori; é CEO, CFO, UFC, CCAA; são os vigias que só aparecem no fim de turno; é o diabo.

E aí… “Fora, Abel”. Aí não.

De acordo com uma das milhões de notícias vazadas das reuniões do Conselho, o dinheiro do Fluminense acabará em abril ou, com “sorte”, em maio. Bom, o meu já acabou, mas eu me viro. Vamos ver em qual buraco vão colocar o clube. Já se fala em vender Ayrton Beijoca e Pedro – que, se muito, tiveram um brilhareco no Carioca, mas é o que temos para hoje.

Porém, ganhar dinheiro não é a especialidade dessa turma – aos menos para os cofres tricolores. Abriram mão de milhões pelo Diego Souza, perderam de graça o melhor jogador do time, pagaram pela saída do melhor zagueiro e do melhor goleiro, Marquinho… É uma lista sem fim.

Ano passado, o Fluminense já sofreu um bocado, não custa lembrar. Se, agora, fossem anunciadas as contratações de Diego Cavalieri, Lucas, Henrique, Gustavo Scarpa, Wellington Silva, Henrique Dourado e Richarlison, já estaríamos em fila esperando a CVC abrir as portas para comprar o pacote do Mundial.

O que temos, porém, são os reservas destes, e mais um ou outro refugo de Ponte Preta e afins. Diante desse cenário, é bom que o dinheiro para os salários deste aguerrido e esforçado Flu não acabe. Como, eu não sei.

Talvez invadindo a Casa da Moeda e fabricando nosso próprio dinheiro.

Aguardemos, pois, se em dezembro estaremos cantando a “Bella Ciao” ou “Abel, tchau”.

ESTREIA FRUSTRANTE

Sobre a derrota para o Corinthians na estreia do Campeonato Brasileiro, tenho pouco a acrescentar já nesta quinta-feira. Atuamos bem durante os trinta minutos iniciais do segundo tempo. Foi quase injusto, se isso existisse no futebol. Só que… Os jogadores podem se coordenar direitinho, bem como soldados de chumbo num indo e vindo infinito. Mas, sem qualidade, vamos viver de achar um gol aqui, outro ali.

Não entendi o Marcos Júnior na reserva, honestamente. Sou suspeito. Defendo o “Resolve” nas arquibancadas desde sempre. Não que ele mude a cotação do dólar ou interrompa a guerra na Síria, mas vinha sendo, vá lá, um dos melhores jogadores do Fluminense do ano. Podia, ao menos, ter entrado antes na partida. Pablo Dyego, brigador e interessante, ainda mostra características de opção de segundo tempo.

Eu também jamais teria tirado o Pedro, nosso Dom Queixote. Centroavante é para deixar lá, a menos em caso de expulsão ou necessidade de contra-ataque em virtude de placar favorável. Muito menos em troca pelo João Carlos. Aí você realmente me complica, Abelão…

CRIME CONTINUADO

Entendo a questão de reduzir custos para jogar no Maracanã. Mas a opção adotada contra o Nacional Potosí foi, a meu juízo, péssima. Torcida enfiada em um curral, muitas reclamações, público péssimo. Quanto menor – e pior – o estádio, menor a presença. Ou não teríamos cansado de jogar para mil e tantas pessoas nas Laranjeiras nos anos 90.

Aliás, o crime cometido contra o Maracanã, pelo visto, é continuado. De legado da Copa do Mundo ficaram essas taxas absurdas, que sufocam os clubes e acabam por transformar um estádio de 200 mil pessoas em Moça Bonita.

Para completar, teremos jaulas para as torcidas. Medida bizarra que o presidente Pedro Abad lamentavelmente concordou, acuado e acovardado por seu erro anterior, na cessão de ingressos para as organizadas, que resultou na prisão de dois funcionários seus (prisões estas, ressalte-se, injustificáveis).

SAIDEIRAS E A CONTA

– Remando contra quase toda a maré, até que não achava o fim dos tempos apostar no Kléber (também fui a favor do Ronaldinho…). Mas, com artrose nos dois joelhos, nem esta gestão seria capaz de fechar negócio – embora ela quisesse fazer contrato até o fim de 2019, o que não seria justificável nem se o Gladiador tivesse vencido a última “Dança dos Famosos”.

– Não conheço Luan Peres, da Ponte Preta. Conheço, porém, o Reginaldo. É, no mínimo, bem melhor que o Frazan. Espero que ao menos quem está bancando esta troca conheça ambos.

– Conca? Hummm… Entendo a irritação. Mas olho pro Sornoza, pro Luquinhas, pro… mais ninguém. Sei lá. Respondo semana que vem.

– Um prazer enorme ocupar este espaço, com tantos amigos juntos. Eu sou, e mesmo assim mais ou menos, dono apenas das minhas verdades. Cornetem à vontade e voltem sempre. Aqui é arquibancada!

 

Share This Post

Emiliano Tolivia avatar
Jornalista e pitaqueiro, andou metendo o bedelho no GloboEsporte.com, LANCE! e no balcão mais próximo.

23 Comments

  1. André Fernandes avatar

    Primeiro comentário: a foto está sensacional!! hahaha

    Eu tenho reclamado demais do trabalho do Abel, mas tenho que concordar que no cenário atual ele acumula um monte de funções que não deveria. Frente a omissão e covardia da diretoria, o Abel acaba sendo o escudo do Abad e Flusócio.

    Acho que poderíamos ter um técnico mais atualizado e ter o Abel como o responsável pelo futebol. Colocá-lo num cargo onde ele vá exercer oficialmente a função que já faz, blindar o elenco, fazer a ponte com a diretoria, segurar o tranco de maneira geral.

    O time não é fraco, você foi bonzinho. O time é muito ruim e o elenco é sofrível, mas mesmo assim poderíamos ter ganho alguns jogos a mais por teimosias e substituições equivocadas.

    Sobre Kleber e Conca, o fato de estarmos cogitando um cara encrenqueiro e mediano e outro que não joga tem uns 3 anos e foi dispensado da China mostra nossa situação crítica.

    Vida longa a Flupress e que a torcida esteja sempre representada!

    • Emiliano Tolivia avatar

      Rsrs só acho que não podemos abrir mão dele de jeito algum, seja onde for. Valeu, André!

  2. Emiliano, só discordo do curral no Maracanã. Não achei tão ruim assim não. No mais, ótimo texto.

    • Emiliano Tolivia avatar

      Obrigado, Gisele! Sobre o curral, eu também não me incomodo pois vejo o jogo em pé e na escada. Mas muita gente reclamou. Ter gente incomodada num estádio daquele tamanho, com seis mil pessoas, é dose.

  3. Não consegui entender sua posição quanto ao Conca. Contra? A favor? Bom, como todos nós, fui fã incondicional do hermano. Já sai fantasiado no carnaval do nosso camisa 8. Mas, o cara não tá mais andando, tem 35 anos, cirurgia no joelho. Se o tricolor ta com saudade, pega o DVD de 2010 e veja no repeat. Não faz sentido gastar mais esse dinheiro, que de merreca em merreca, vamos perdendo poder de disputar qq jogadorzinho até com as pontes pretas

    • Emiliano Tolivia avatar

      Fala, Ivo. Nem eu sei rs. Por isso deixei pra próxima coluna – ou não. Não é simples por todos os motivos, inclusive os que você citou

  4. Dedé Moreira avatar

    Excelente Emiliano

    Se a gente não pode abrir mão do Abel que haja uma estrutura de suporte ao cara

  5. Tarik Moussallem avatar

    Concordo em tudo, Emiliano! Pra mim, o trabalho do Abel em 2018 difere bastante do que vinha fazendo em 2017.

    Ano passado, o critiquei bastante: após um começo animador, a perda em organização foi crescente no Brasileiro. Começamos bem, e terminamos um bando, além das Abelices terem nos perseguido (Maranhão no Carioca, Romarinho na Sula…). Contudo, defendi sua permanência para 2018, porque, como o ambiente era péssimo e o elenco jovem, julguei necessário um treinador “costas largas” pra não passar o rojão pros moleques.

    Já em 2018, nosso time, apesar de não tão moderno, é organizadinho. Organização é diferente de sofisticação! Podemos não ter conceitos revolucionários no time, mas no futebol nacional a mera organização já nos coloca na frente de vários concorrentes. E a organização só é possível com paz para trabalhar, algo que não teríamos com um treinador menos cascudo.

    STs e parabéns pelo novo portal!

    • Emiliano Tolivia avatar

      Ano passado ele achoi um time na lesão do Scarpa e depois se enrolou. Até aqui, o trabalho é melhor, mesmo com um tkme6 bem pior. Valeu, Tarik!

  6. Regina Carino avatar

    Emiliano, adorei seu texto!!!
    Análise mais gostosa que manteiga, mais bela que um vestido novo e mais sensata que conhecer o mundo!
    Além do mais…bom-humor é tudo!
    Seja mto bem-vindo!!!

  7. Douglas Berndt avatar

    Em relação ao Abel, temos duas coisas, que não são exatamente boas ou ruins, são contra pontos, digamos assim.
    A primeira é: Ruim com Abel, bem pior sem ele. Ou vocês já esqueceram dos Ricardo Dubrisky da vida? Imagina agora, um Dubriskyniano(Termo que inventei agora para os “professores” que passaram pelo Fluminense de 2013 pra cá.) no comando desse time, nesse momento atual, de tamanha instabilidade fora de campo, com um time jovem, talentoso, mas também muito mimado(Olhem as entrevista de Marcos Jr, Jadson…)… Abel é hoje, o grande escudo disso tudo.
    O segundo ponto, é: Ele vem errando, mas errando muito, no que era para ser sua principal função, ser técnico. Ano passado, com Cavalieri, Henrique, W. Silva, Scarpa, Dourado, lutamos para não cair até o final do campeonato. 5 jogadores que bens fisicamente, seriam titulares em quase todos os times do país. Ele não tem culpa da dispensas completamente bizarras, mas ele tinha peças boas e mesmo assim o Fluminense não produzia, sempre com o discurso de estar tirando leite de pedra e mais blábláblá que cansamos de escutar. Agora, com um time inferior, a coisa é a mesma, o time não rende, perde jogos nos momentos finais, suas substituições na maioria das vezes não fazem sentido algum. Puxando rápido, sem nem pensar muito: Maranhão na final do carioca, Romarinho na Sulamericana, Marlon na meia contra o Vasco, e agora, a cereja do bolo: O possante João “Ibra” Carlos. Fica difícil, Abel parece querer achar o novo Gabiru em toda oportunidade minimamente provável que isso aconteça. Mas não para por ai, as escalações inicias também não fazem sentido. Renato Chaves falha TODO JOGO, mas se mantém de titular. Reginaldo é completamente renegado, tendo claramente mais condições de jogar que ele. Como técnico, essa passagem do Abel pelo Fluminense é um completo fracasso. Perdemos finais, fomos eliminados por times pequenos, tomamos surras dos grandes e nada parece afetar a estabilidade dele no cargo. É sempre o mesmo discurso, o time brigou, tenho orgulho do meu time, Renato Chaves foi perfeito hoje, Pedro é melhor que 90% dos centroavantes da série A…

    Eu sinceramente, não sei se é melhor procurar outro técnico, ou manter o Abel. Nossas escolhas são limitadas, nossa diretoria é inoperante, não temos condições de conseguir fazer uma transição para um novo técnico nesse momento, mas o Abel vem mal demais. Vida difícil a nossa.

    ST.

    • Emiliano Tolivia avatar

      Fala, Douglas. Citei algumas dessas questões no texto. Eu ainda prefiro com Abel. Mas vai ser um longo ano, sem dúvida.

      Valeu!

  8. Carlos Gaia avatar

    Seja bem vindo ao futebolzinho Emiliano.
    Já vou começar a pesquisar pacotes da série B 2019.
    Parece que o teto salarial no Flu é 150 mil, li em algum lugar.

    Permita-me um parêntese: Muito cuidado qd for citar o Bangu (bairro e time) ou Moça Bonita……meu coração ainda mora por aquelas bandas….rsrs

    ST

    • Emiliano Tolivia avatar

      Rsrsrs não cairemos, Carlos. Por mais que essa turma se esforce. Ah, eu curto Bangu! E o Proletário. Mas transformar o Maracanã em Moça Bonita é um feito, convenhamos.

      Abraço!

  9. Tô alinhado com você, meu amigo, não me surpreendi. Abel neles, só não peço contrato vitalício pra não acomodar. Errar, vai errar, como todos, mas acertar com esse time é que são elas… E ele acertou o time do ano passado e acertou esse, foda são as trapalhadas da Diretoria que vão minando o grupo, Affff. Tamo junto, sempre.

  10. Essa coisa de dizer que Abel tira leite de pedra eu discordo totalmente. Pelo contrário, seus erros nos momentos cruciais nos fizeram ser eliminados em competições importantes. Tem erro de leitura dos jogos igualmente ao dos cartões de crédito, mas não sei que tanto crédito ele tem assim, já que erra sequencialmente.

    • Emiliano Tolivia avatar

      Concordo que erra quando não pode. Citei no texto. Assim como os motivos que me levam a aprovar todo o crédito que ele tem. Mas é sempre bom ter visões diferentes. Abraço.

  11. Mauricio Cury avatar

    Emiliano,
    todos os clubes – vou citar os que mais estão contratando ou os mais caros times – contratam ou estão contratando mal: SP, Palmeiras, Cruzeiro, Flamengo .
    Eu afirmaria que esses 4 times é um Fluminense mais caro, só isso. Não vejo nada de especial nesses times, tanto que Curintia, com um time mequetrefe, ganha 2 paulistas e um brasileirão. O maior defeito do Flu é medo de vencer, estão vivendo um momento de não acreditarem neles mesmos.

    Vc postou isso:
    “Ano passado, o Fluminense já sofreu um bocado, não custa lembrar. Se, agora, fossem anunciadas as contratações de Diego Cavalieri, Lucas, Henrique, Gustavo Scarpa, Wellington Silva, Henrique Dourado e Richarlison, já estaríamos em fila esperando a CVC abrir as portas para comprar o pacote do Mundial.”
    Com exceção ao Cavaliere , eu fui um voraz defensor deste time contra tudo e contra tds, pois a NOSSA TORCIDA, me enchia de porrada verbal pelas redes sociais qdo eu defendia esse time e criticava o Abel – tb ao vivo nas ruas da minha cidade -.
    Qdo Abad aqui esteve, Juiz de fora, fazendo campanha, seu maior compromisso era com a contratação do Abel , chamei-o num cantinho e lhe implorei: ” não faça isso presidente, vc disse que não entende nada de futebol ok, mas vai cometer o mesmo erro do Peter, fazer populismo que vai fuder o Fluminense e vc está querendo agradar a uma maioria.
    Em 2005 o Flu veio fazer pré aqui em JF . Eu fui a tds os treinos e ali pude constatar que o Abel era fraco, fazem 13 anos isso.
    Meu caro amigo no momento, realmente, trocar o treinador seria uma temeridade, nessa altura do campeonato. Invés de chutarmos o balde o Flu, se tivesse alguém inteligente lá, contrataria dois jogadores puta velha do futebol. Pra que? pra fazer justamente o que Deco fez em 2012, Leo Moura faz no grêmio, e o que R Ceni fez no SP e o que Pet fez no Fla em 2009 . Técnico de campo, que tem leitura de jogo, sabe o caminho das pedras o que nosso treineiro desconhece, infelizmente. Leitura do Abel é zero.
    Prezado amigo tricolor, pra trazer a torcida de volta, pra entusiasmar a nova geração de Xerém, é começar a preparar duas contratações de impacto pra 2019 e eu tenho esses dois nomes, que deveriam vir juntos, novo casal 20 (que isso fique entre os tricolores senão os outros, como o Fla ou Porco os mais abastados vão lá e contratam): Ricardo Goulart e Allan. Não sei como poderiam trazer os dois mas já começava a fazer planos, usando força de patrocínio etc etc esse caminho sinceramente desconheço, não é minha seara, mas o Flu tem gente que tem como se virar.
    VOU REPETIR EM CAIXA ALTA: ABEL, INFELIZMENTE, NÃO TEM LEITURA DE JOGO.
    QUANTO DE PREJU JÁ ARCAMOS COM ELIMINAÇÕES IMBECIS. Nem vou selecioná-las pois todos tricolores, de fato, sabem.

    • Emiliano Tolivia avatar

      Boa tarde, Maurício. Em 2005, eu cobria o Flu. Vamoa discordar sobre a qualidade do Abel como treinador. Faz parte. Mas sobre a leitura de jogo, concordo em parte sim. Isso sim. E como você leu, minha defesa ao Abel não é em qualquer circunstância, mas nesta em que o clube vive. Não vejo como abrir mão.

      Também sou a favor de trazer uns “putas velhas”. A ponto de não achar um horror o Kleber, desde que ainda tivesse joelhos. Mas não vejo esses caras arriscando nada além de refugos da Ponte, infelizmente.

      Abraço, ST.

  12. Heitor Maia avatar

    Ótimo texto!!! Mas apesar do Abel ter mil funções e eu o admirar por isso, nada justifica as tentativas de promover um novo Gabiru. E cabe a ele ir a imprensa e explicar pq o jogador do filho dele acabou de chegar e já sentiu na janela…

Comments are now closed for this post.