O palco da partida de hoje entre Croácia e Inglaterra pelas semifinais da Copa do Mundo, assim como da final, domingo, será o Estádio Lujniki, em Moscou. Você sabia que o Fluminense já jogou lá? Foi em 1963, durante uma excursão na qual o Tricolor passou por Suécia, Finlândia, Rússia, Ucrânia e Armênia, os três últimos então parte da União Soviética.

O estádio, inaugurado em 1956, na época se chamava Estádio Central Lênin. Foi também o palco das cerimônias de abertura e encerramento dos jogos olímpicos de 1980, eternizadas pelo seu simpático mascote, o urso Misha. Apenas em 1992, após o fim da União Soviética, passou a ser chamado Lujniki. Entre 2013 e 2017 foi completamente reformado para receber os jogos da Copa do Mundo. Apenas a fachada original foi preservada.





Mas vamos ao que interessa. No dia 6 de Junho de 1963 o Fluminense jogou no estádio Lênin/Lujniki contra o Dinamo Moscou diante de um público de mais de 50 mil pessoas. O Dinamo, campeão soviético daquele ano, caiu diante do Flu. O ótimo meia Joaquinzinho, que segundo a lenda quase foi trocado por Pelé quando atuava pelo Brasil de Pelotas, marcou o único gol da partida.

Ao longo da vitoriosa excursão o Fluminense fez 11 jogos, com nove vitórias, um empate e apenas uma derrota.

Ficha técnica:

 

Jornal “A Noite” de 7 de Junho de 1963

 

O time do Dinamo Moscou campeão soviético de 1963. Ao centro, de preto, o lendário goleiro Yashin, que não atuou contra o Fluminense

 

Joaquinzinho, autor do gol da vitória

 

O Estádio Central Lênin / Lujniki, em seu formato original

 

LEIA MAIS:

Jogadores da base do Fluminense em Copas do Mundo
Os gols tricolores em Copas
A participação do Fluminense em Copas do Mundo
Um clássico de 100 anos
Se vale trófeu, dá Fluminense
O primeiro Fluminense x Grêmio
Chegou a hora de vencer a Chape
Nunca foi contrapeso
Histórico do Fluminense jogando na altitude
A regra não é clara e é seletiva

 

João Claudio Boltshauser avatar

João Claudio Boltshauser (Bolt pra facilitar) curte escrever sobre o Fluminense Football Club, em especial sobre sua história. Aquela que traduz a predestinação para a glória.