Share This Post

Fluminense

Gum, mesmo com dores, joga ‘por fé e coragem’ e diz: ‘Fluminense é na superação’

Gum, mesmo com dores, joga ‘por fé e coragem’ e diz: ‘Fluminense é na superação’

O lateral-direito Léo e o zagueiro Gum eram as dúvidas para o confronto diante do Nacional-URU. O primeiro não teve tempo para se recuperar, devido um edema muscular. Mas o experiente líder da zaga tricolor, que havia sofrido entorse no joelho direito e havia levado forte pancada no tornozelo no jogo de ida, no Estádio Nilton Santos, conseguiu se recuperar para o confronto de volta, em Montevidéu. Mais do que isso, Gum foi um dos destaques na vitória por 1 a 0 de quarta-feira (31), figura importante um jogo em que garantiu o Fluminense nas semifinais da Sul-Americana. E, detalhe: jogando no sacrifício durante todo o segundo tempo.

“Primeira coisa que posso dizer é “Glória a Deus”… Eu podia ter quebrado a perna, podia ter rompido o ligamento do joelho ou do meu tornozelo. Não foi brincadeira, foi algo muito sério. Saí muito triste do jogo de lá. Joguei esse jogo por fé e por coragem”. disse o Guerreiro Gum.

Gum foi fundamental num sistema defensivo que foi perfeito por cima, ganhando várias bola alçadas na área pelos jogadores do Nacional-URU. Os uruguaios não conseguiram acertar um chute sequer na meta de Júlio César.





“Meus companheiros, comissão técnica e o professor Marcelo merecem muito. Sabemos do trabalho do dia a dia, sabemos a dificuldade que é. Muitos não acreditavam, mas nós acreditávamos muito. Hoje a equipe provou para muitos que, mais uma vez, o Fluminense é na superação e coragem”, afirmou o camisa número três

ELOGIOS DO GOLEIRO E PROFESSOR

O goleiro Júlio César comemorou o fato de estar entre os quatro melhores da competição, e deu um “parabéns em especial” a superação do zagueiro, além do trabalho em equipe no campo.

“Estamos entre os quatro e o momento é de parabenizar. Um parabéns muito especial para o Gum, sabemos a luta que ele teve para jogar esse jogo. É um cara que se doa, dá o seu máximo. A gente estava muito concentrado desde o primeiro minuto para não sofrer gol no início. A equipe teve essa tranquilidade e tomou conta do jogo. Mérito nosso, que soubemos jogar”, disse.

Para o treinador Marcelo Oliveira, o fato do Gum ir até o final do jogo, mesmo com dores é um exemplo. Em entrevista coletiva, citou a determinação do seu capitão:

“No intervalo, o Gum falou que o tornozelo dele estava doendo, mas que iria tentar até o final. E ele foi um exemplo para todos”.

O Fluminense volta a entrar em campo no sábado (3), às 17h (de Brasília), no Maracanã, contra o Vasco, jogo válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na Sul-Americana, o time enfrentará o Atlético-PR nas semifinais. O primeiro jogo será já na próxima quarta-feira, 7 de novembro, às 21h45 (de Brasília). A volta, com mando de campo do time carioca, será no dia 27 de novembro, no mesmo horário.

O vencedor do duelo em dois jogos decidirá o título contra o vencedor de Santa Fé, da Colômbia, e o vencedor do cruzamento entre os colombianos do Junior Barranquilla com os argentinos do Defensa y Justicia – os colombianos venceram a partida de ida, em casa, por 2 a 0.

Share This Post

Gabriel Lutterbach avatar
Jornalista em formação, 19 anos, mais carioca do que mineiro, mesmo sendo ao contrário na realidade. Setorista do Fluminense pelo Futebolzinho. Tudo que eu entendo do ser humano, devo ao futebol.