Abel pediu pra sair. Vejam vocês o quão forte é a Flusócio e seu presidente. Pela primeira vez na longa carreira Abel pediu para se desligar de um clube sob contrato. Justo seu clube de coração. O Fluminense comandado por amadores não é para amadores. Eis nossa terrível contradição.

Evidentemente que ninguém sabe quem irá substituí-lo. Temo, e acho que todos vocês também devem temer, que nosso presidente opte por uma solução baratinha, pinçando no mercado, ou até em nossa base, um nome sem impacto para dirigir esse elenco que é fraco e que passará a ser mais fraco após as vendas de seus principais jogadores no pós copa.

Mas independentemente de quem venha – torço para que seja o Zé Ricardo – a situação de penúria não se afastará de um clube desgovernado e sem comando firme.

Imagino a dor sentida pelo Abel ao pular fora do barco. Ele vinha sendo um péssimo treinador, mas sempre foi um cara de caráter. E se abandonou os jogadores o fez porque sentiu de nosso presidente que as coisas ficariam ainda piores após o recesso da copa do mundo.

Quem vai servir de escudo a partir de agora? Quem vai dizer que o presidente é um cara fantástico, blindando o cara que é o responsável por toda a fraqueza da equipe após tantas e tantas escolhas absurdas no futebol e na governança do clube?

Podemos melhorar alguma coisa com um treinador mais arejado que o Abel. Mas quando o momento de crise se aprofundar (e isso pode acontecer) quem irá dar a cara pra bater?

O Presidente, que já fugiu pela cozinha na reunião do conselho e que já deixou o Abel praticamente sozinho no aeroporto diante de torcedores ensandecidos?

O vice de futebol que ninguém sabe se é branco ou negro, alto ou baixo, gordo ou magro? Um cara que já está na frente da pasta há um bom tempo e nunca, jamais, concedeu uma entrevista coletiva?

Os remanescentes da moribunda Flusócio, que míngua a cada dia porque finalmente os membros que não faziam parte da cúpula que de fato decide as coisas perceberam que estavam sendo usados como massa de manobra?

Ah! Bingo! O Paulo Angioni, o novo contratado para exercer uma função na qual fracassou terrivelmente na última passagem pelo clube!

Não, amigos. Ninguém poderá fazer o papel do Abel fora das quatro linhas.

Ou vocês acham que os jogadores olham pro Abad, discípulo do maior mentiroso da história do Fluminense, e acreditam em alguma palavra que ele venha a dizer sem lembrar da forma amadora com a qual conduziu a saída de jogadores importantes do time neste início de ano?

Aí vem o Blog da Flusócio e constrói uma narrativa nauseabunda recheada do mais puro coitadismo, dizendo que a culpa é da Receita Federal, do Horcades, do Maracanã, da Unimed, do Mário, do Peter (!), deixando nas entrelinhas que quem tem que salvar o clube do caos é o seu torcedor.

Não estou exagerando. Leiam. Está lá no blog deles. Um show de horrores.

É muita cretinice um grupo político, depois de sete anos colecionando sucessivos fracassos nas áreas comerciais, de governança e esportiva, chegar nessa altura do campeonato colocando a culpa no torcedor.

Bom, certamente estamos todos perplexos. O Fluminense de hoje lembra muito a filosofia dos Alcóolicos Anônimos: um dia de cada vez. Esperemos a definição do treinador, a venda dos jogadores, eventuais e improváveis contratações que venham de fato ajudar o time. Depois, um dia após o outro, vamos torcer para que o desfecho óbvio de uma gestão como a que temos não se materialize levando nosso clube para uma segunda divisão mais uma vez.

Abad, se há de verdade algum sangue tricolor correndo nas suas veias, saia do clube. Você não leva jeito para isso. Leve contigo esses embustes que te auxiliam. Marcelo Teixeira e os que sobraram de seu grupo político que hoje te trai, assim como te traíram os que antes traíram o clube ao se coligarem ao projeto inviável de erguer um gigante diminuindo-o dia após dia.

Você está sozinho, deve ter índices de aprovação mais baixos do que o do Temer. Acho que isso é inédito no clube. O torcedor vai continuar mandando você tomar naquele lugar.

E você, ainda que nunca dê a cara a tapa, vai continuar usando seu blog oficial para mandar recadinhos para ele.

Não dá para perceber que você jamais irá vencer essa briga? O Fluminense é seu torcedor, e ele é infinitamente maior do que você.

Corra, Abad, corra!

Ninguém te aguenta mais.

44 anos,  é advogado, autor da Ação Popular que possibilitou a volta do Pó de Arroz aos estádios e escreveu sobre Fluminense no Blog do Torcedor do Globoesporte.com entre 2012 e 2018.