O retrospecto do Fluminense jogando na altitude até que é bom. Se considerarmos os jogos disputados a mais de 2.500 metros acima do nível do mar (limite para partidas internacionais imposto pela FIFA em medida adotada em 2007, e logo revogada) o Tricolor tem ao longo de sua história 16 confrontos com oito vitórias, três empates e cinco derrotas. A tabela abaixo mostra a relação completa.

Data Jogo Local Altitude aprox.
02/04/1950 Fluminense 1 x 1 Ferroviário-BOL La Paz 3640
09/04/1950 Fluminense 2 x 1 Bolívar-BOL La Paz 3640
16/04/1950 Fluminense 2 x 2 Litoral-BOL La Paz 3640
14/07/1957 Fluminense 2 x 1 Seleção de Pichincha-EQU Quito 2850
20/02/2008 Fluminense 0 x 0 LDU-EQU Quito 2850
25/06/2008 Fluminense 2 x 4 LDU-EQU Quito 2850
25/11/2009 Fluminense 1 x 5 LDU-EQU Quito 2850
26/07/2017 Fluminense 2 x 1 Universidad de Quito-EQU Quito 2850
21/09/2017 Fluminense 1 x 2 LDU-EQU Quito 2850
10/07/1985 Fluminense 1 x 0 Olmedo-EQU Riobamba 2750
07/07/1957 Fluminense 1 x 0 Independiente Santa Fé-COL Bogotá 2640
14/02/1960 Fluminense 1 x 0 Millonários-COL Bogotá 2640
21/02/1960 Fluminense 2 x 0 Independiente Santa Fé-COL Bogotá 2640
09/02/1964 Fluminense 0 x 1 Independiente Santa Fé-COL Bogotá 2640
16/02/1964 Fluminense 3 x 1 Millonários-COL Bogotá 2640
23/02/1964 Fluminense 1 x 2 River Plate-ARG Bogotá 2640

Como se pode observar, três das cinco derrotas foram para a maldita LDU.

Contra o Nacional Potosí o Fluminense novamente terá que enfrentar o famoso “fantasma da altitude”. Desta vez o desafio vai ser ainda maior pois será o jogo realizado em maior altitude em toda a história do clube. O estádio Víctor Agustín Ugarte na cidade de Potosí fica localizado aproximadamente 3.960 metros acima do nível do mar. Pelas informações que encontrei na internet está abaixo apenas do estádio Daniel Alcides Carrión, na cidade de Cerro de Pasco no Peru (4.378 metros) e do Estádio Municipal de El Alto, cidade próxima a La Paz, inaugurado ano passado e considerado o mais moderno da Bolívia (4.095 metros).

Potosí seria portanto a terceira cidade mais alta do mundo para se jogar futebol profissional. A primeira se considerarmos apenas o futebol a nível internacional uma vez que o estádio de Cerro de Pasco é a casa do modesto Unión Minas, clube de divisões inferiores no Peru, e o novíssimo estádio de El Alto felizmente ainda não entrou no roteiro das competições continentais.

Diante destas condições extremas e da insana logística para se chegar a Potosí, mesmo com a boa vantagem construída no Maracanã não será surpresa se o Fluminense passar por grandes dificuldades amanhã. Vai ser um autêntico jogo para guerreiros.

Uma curiosidade sobre esta partida contra o Nacional Potosí é que ela marca a volta do Fluminense à Bolívia depois de 68 anos. A última (e única) vez que o Flu andou por lá foi durante uma excursão pela América do Sul no ano de 1950. Naquela ocasião o Tricolor fez três partidas em La Paz, empatando com o Ferroviário por 1×1, vencendo o Bolívar por 2×1 e finalmente empatando com o Litoral por 2×2. Apesar da limitada cobertura da imprensa na época os efeitos da altitude não deixaram de ser noticiados. A matéria abaixo relata o drama vivido no jogo contra o Ferroviário.

 

João Claudio Boltshauser avatar

João Claudio Boltshauser (Bolt pra facilitar) curte escrever sobre o Fluminense Football Club, em especial sobre sua história. Aquela que traduz a predestinação para a glória.