Esse post é sobre Fla-Flu, mas não sobre o fato do Tricolor levar grande vantagem em decisões contra o seu rival. Isso todo mundo já está cansado de saber. É sobre algo um pouco mais específico. Os clássicos entre Fluminense e Flamengo fora do estado do Rio de Janeiro, como o que ocorrerá amanhã, tem sido bastante comuns nos últimos anos. Foram vários, assim como foram várias as matérias já feitas sobre o assunto, mostrando o histórico destes confrontos. Foram ao todo 21 jogos, com seis vitórias do Flamengo, quatro do Fluminense e 11 empates. O clássico mais charmoso do Brasil já passou por São Paulo, Recife, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre, Goiânia, Aracaju, Brasília, Juiz de Fora, Campina Grande, Natal, Cariacica, Cuiabá e até La Coruña, na Espanha.

O que não é tão divulgado, e portanto pouco conhecido, é que estes jogos renderam vários troféus ao Fluminense. Toda vez que alguma taça foi colocada em disputa, ela foi parar nas Laranjeiras. Veja o histórico destas conquistas.

 

Taça Prefeito Acrísio Moreira da Rocha (1949)

Um dos primeiros Fla-Flus fora do Rio foi realizado em Fortaleza, em 1949. Para celebrar a ocasião e dar um pouco mais de motivação ao amistoso, o prefeito da cidade Acrísio Moreira da Rocha colocou em disputa uma taça que levava seu nome.

O Fluminense massacrou o Flamengo, vencendo por 5×2. Simões fez quatro gols, o recorde de um jogador do Fluminense em Fla-Flus (Pirillo em 1945 e Zico em 1976 atingiram esta marca pelo Flamengo). Emílio, com um gol antológico chutando de primeira de fora da área fez o outro gol tricolor.

Simões, autor de 4 gols no Fla-Flu

Ficha técnica:

 

Taça Astério Batista Filho (1971)

Eliminados da fase final do Campeonato Brasileiro de 1971, Fluminense e Flamengo foram convidados a realizar um clássico em Aracaju no dia 28 de Novembro daquele ano. Uma taça homenageando um antigo jogador sergipano, Astério Batista, foi oferecida ao vencedor do jogo.

Não se deve perder nem cara ou coroa para um rival, e foi assim que mais uma taça foi parar nas Laranjeiras. Depois de um empate sem gols a decisão foi na moedinha. E deu Flu.

Ficha técnica:

 

Taça Colmeia (1974)

Em 1974 houve um Fla-Flu amistoso em Brasília, promovido pela Colmeia Associação de Poupança e Empréstimo, na época a maior caderneta de poupança privada do Distrito Federal. A instituição financeira, que faliu nos anos 80, ofereceu uma taça ao vencedor desta partida. O jogo foi no estádio Edson Arantes do Nascimento, o Pelezão, que já não existe mais. Assim como em 1971 houve empate em 0x0. Desta vez a taça foi decidida em disputa de pênaltis e o Fluminense venceu por 5×4.

Ficha técnica:

 

Taça Othelo Rossi e Taça Prefeito Mello Reis (1977)

Em 1977 foi realizado um Fla-Flu em Juiz de Fora para inaugurar os refletores do estádio Procópio Teixeira. O jogo valeu não uma, mas duas taças comemorativas.

Quando este Fla-Flu ocorreu, nada menos que cinco jogadores do Fluminense estavam servindo à Seleção Brasileira, que se preparava para os jogos decisivos das eliminatórias da Copa do Mundo do ano seguinte: Wendell, Edinho, Marinho Chagas, Pintinho e Rivellino. O Flamengo tinha dois convocados: Zico e Rondinelli.

Mesmo estando bastante desfalcado o Fluminense venceu a partida e conquistou os dois troféus.

Ficha técnica:

LEIA MAIS:
O primeiro Fluminense x Grêmio
Chegou a hora de vencer a Chape
Nunca foi contrapeso
Histórico do Fluminense jogando na altitude
A regra não é clara e é seletiva
10 jogos nos quais o Fluminense buscou a vitória em desvantagem numérica
Ousar é necessário

João Claudio Boltshauser avatar

João Claudio Boltshauser (Bolt pra facilitar) curte escrever sobre o Fluminense Football Club, em especial sobre sua história. Aquela que traduz a predestinação para a glória.