Finalmente entramos na era VAR. Não temos dúvidas que a parceria entre homem e máquina será fundamental para o sucesso desta empreitada. Eliminador de polêmicas ou criador de polêmicas? Cheio de sobrenomes, chegou a nossa hora de usar o VAR, ou árbitro de video.

A partida entre Santos x Cruzeiro nesta quarta será a primeira a contar com a tecnologia. As demais partidas válidas pelas quartas de final da Copa do Brasil completarão o quadro dos jogos que usarão o VAR neste primeiro momento.





Sem dúvida será um grande progresso para o nosso futebol e a princípio influenciará nas seguintes situações:

  • Gols – Se a bola entrou ou não; Se houve infração na hora do gol.
  • Cartão vermelho direto – Se houve a gravidade para o tal.
  • Identificação dos jogadores
  • Pênaltis…

Ah os pênaltis… Este merece um parágrafo.

Passando rapidamente entre alguns programas esportivos ou até comentaristas de TV, já dá pra notar que há uma eterna ambiguidade nas interpretações. Vamos a algumas:

 

“Mal tocou na perna e ele já veio caindo” x  “Veja o toque! Há o toque que desloca o jogador”

O jogador já veio caindo ou o toque o derrubou?

“Toque involuntário, o jogador não teve intenção” x  “O toque é claro e desvia a direção”

O que seria toque voluntário? Uma cortada de vôlei?

“O agarrão na área é normal” x “Foi agarrado enquanto ia subir pra cabecear”

Mais um lance “normal”?

 

Futebol é cheio de lances “normais” e interpretações “anormais” quando conveniente a alguns formadores de opinião.

Minha torcida fica para que a galera do apito utilize a tecnologia para o bem do esporte mais amado planeta.

Seja bem-vindo VAR!