Blog da Fuzarca

Blog da Fuzarca

Campello não é a mudança que o torcedor do Vasco esperava

O que falar do resultado das eleições no Vasco? Ver as ações e falas do presidente eleito, o antigo médico das gestões Miranda, é o que basta. Alexandre Campello nem precisou assumir o cargo para dar uma ideia do que podemos esperar das suas atitudes no cargo. Ele já começou muito bem esperando a véspera da votação dos conselheiros para anunciar seu rompimento com Julio Brant, declarar que se sentiu traído e pagar com a mesma moeda: se candidatar ele mesmo à presidência. Não sem antes, obviamente, costurar uma aliança com o grupo político ao qual sempre disse se opor. Já eleito, Campello pôde falar bastante e muitas das coisas que disse foram preocupantes: Atacou veementemente a Sempre Vasco (grupo político do Julio Brant), falou mal da atual gestão, reforçando sua posição de sempre ter si...

A definição do “tanto faz”

Esse ano, o Vasco passou de “favorito ao rebaixamento” a time classificado para a Pré-Libertadores. E depois de ter calado a boca e cauterizado a língua de praticamente toda imprensa esportiva e torcidas rivais, o Gigante e sua torcida precisam “enfrentar” mais uma situação antes de 2017 acabar. Torcer ou não torcer pela mulambada? Eis a questão. É uma questão menor, obviamente. Mas a torcida está de férias. Então é inevitável que essa dúvida ronde a cabeça de qualquer vascaíno. Primeiro, vamos pensar exclusivamente no que é melhor para o Vasco. Nesse caso, a urubulândia conquistar o título da Sul-Americana é o melhor. Uma vitória mulamba nos daria acesso à fase de grupos da Libertadores. E com isso,  não teríamos a necessidade de passar por dois mata-matas para che...

Eurico paga mico e o Vasco paga junto

Uma das características mais peculiares – ou irritantes, como queiram – do Eurico Miranda é a pretensão de personificar o Vasco,  como um Rei-Sol fora do tempo. O Dotô tem a mania de considerar os ataques pessoais que sofre como insultos a instituição Club de Regatas Vasco da Gama. Até aí, ok, cada louco com sua mania e concorda com esse tipo de birutice quem quer. Mas há dois problemas decorrentes dessa atitude. Um, é quando ele justifica punições, vetos, proibições e até ações judiciais contra atletas, jornalistas e etc, alegando “desrespeito ao Vasco” quando há críticas aos seus atos pessoais. O outro é que, aparentemente, Eurico não pensa que, sendo o “Vasco personificado”, não pode ficar pagando mico por aí. Afinal de contas, se ele se considera o próprio clube, quando queima o própri...

O voto dos indecisos e as segundas intenções da diretoria

A Diretoria fez uma pesquisa, via telefone, com 1000 sócios do clube. Pelo resultado, o Dotô tem 53% da intenções de voto. A chapa formada por Brant/Campello  teria 18% e Fernando Horta, 10%. Os indecisos seriam mais numerosos que os eleitores das chapas de oposição (19%). Não entremos no mérito da metodologia das pesquisas, ainda que a pesquisa da oposição tenha sido encomendada a um instituto independente e a da diretoria tenha sido feita por ela mesma. Não sabendo os critérios utilizados para selecionar quem foi abordado nos dois casos, vamos dar o benefício da dúvida para ambas. Mesmo que a diretoria tenha diversas informações sobre o quadro social e possa ter escolhido para quem ligou. Ignorando para quem a diretoria ligou perguntando sua intenção de voto, ainda fica uma dúvida. Nos ú...

Horta, a “oposição” que ajuda a situação

Em pesquisa realizada pelo Instituto GPP, os candidatos à presidência do Vasco têm as seguintes intenções de voto: Eurico Miranda com 31,7%, Julio Brant com 23,9%, Fernando Horta com 14,9%, e Alexandre Campello com 13,7%. Ainda restam 15,8% de eleitores indecisos. O Dotô lidera as pesquisas, mas não com folga o bastante para vencer caso dois candidatos se unam. E foi isso que aconteceu: a chapa Sempre Vasco, de Brant, e Frente Vasco Livre, de Campello, se uniram após a divulgação dos números. A se confiar na pesquisa, a chapa agora chamada Vasco Sempre Livre soma mais de 37% das intenções de voto. O ideal seria haver uma chapa de oposição única, que teria mais força para derrotar o candidato à reeleição. Mas para isso, seria necessário a adesão do Fernando Horta, um nome que conta com o ap...

Esqueçamos o STJD e falemos da torcida do Vasco

Foi por causa de uma confusão entre a própria torcida do Vasco que o clube pegou um gancho e perdeu um monte de mandos de campo, prejudicando claramente sua campanha no Brasileirão. À época, muito se falou a respeito e todos pediram uma punição exemplar, que foi implacavelmente dada pelo STJD. Claro. Afinal de contas, é um absurdo permitirem a balbúrdia dentro ou no entorno de um estádio. Poucos discordarão disso. Essa é uma lógica que não se discute. Assim como pouco foram discutidas as confusões no Engenhão – na semifinal da Copa do Brasil entre Botafogo e Flamengo, jogo no qual apenas a torcida alvinegra estava presente – e, mais recentemente, na Arena Maracanã, na final da mesma competição, com flamenguistas. Os lamentáveis acontecimentos foram amplamente noticiados. Uma possível puniç...

Demissão de Mendes foge ao estilo do Eurico

Primeiramente, é bom que se diga duas coisas sobre Eurico Miranda: 1) Para o bem ou para mal, Eurico não tem por hábito se render à pressões da imprensa ou da torcida para demitir treinadores; 2) Sejam quais tenham sido suas razões para tomar a decisão de demitir Milton Mendes, Eurico ao menos resolveu a situação em um bom momento. Antes que a crise chegasse de vez ao time. Dito isto, é preciso lembrar também que esse é um ano eleitoral. E quando o presidente de um clube precisa de votos para se reeleger, não é uma atitude muito inteligente manter um treinador cuja torcida – incluindo aí os sócios votantes – quer ver longe. O que vimos no Brasileirão de 2015 corrobora essa afirmação. Mesmo com o time afundando na tabela, Eurico demorou séculos para consertar a besteira que fez ao contratar...

Vasco da Gama, 119 anos: parabéns ao gigante!

Hoje o Club de Regatas Vasco da Gama completa 119 anos. Infelizmente, sua “imensa torcida, norte-sul desse país” há anos não tem tido muitos além da sua gloriosa história e tradição para festejar. A derrota para o Bahia ontem e a proximidade do Z4 no Brasileiro não é nem de longe o maior problema dessa que é uma das maiores instituições esportivas do mundo; um tropeço em campo não se compara aos últimos 17 anos de gestões catastróficas. Mas dirigentes ruins vem e vão. O Vasco, gigante como é, é muito maior que qualquer um deles. O clube há de superar a incompetência e o descaso de seus comandantes. A oportunidade da mudança está logo ali, em novembro. Que as próximas eleições tragam gente comprometida com o futuro do Vasco da Gama. E que já em 2018, quando completaremos 12 déca...

Com esses torcedores em São Januário, quem precisa de torcida rival?

Jogando em São Januário, o Vasco teve um aproveitamento de 71,4%. Jogando “em casa”, mas fora da Colina, o aproveitamento é de 11,1%. Contra a matemática, não há argumentos. Desde a confusão no clássico contra o Flamengo, fomos mandantes em três jogos, jogando longe do nosso estádio. E o triste retrospecto: nenhuma vitória, um empate e duas derrotas. Obviamente seria uma leviandade afirmar com certeza que as coisas seriam diferentes se as partidas tivessem acontecido em São Januário, e não no Engenhão ou no Raulino de Oliveira. Afinal de contas, atuações ruins são ruins em qualquer estádio. Mas não há como não considerar alguns fatores nessas três partidas. O conhecimento do campo, a qualidade do gramado, a não necessidade de uma viagem (por mais perto que seja Volta Redonda) e, claro, um ...

Até agora, a oposição no Vasco só tem ajudado a situação

As eleições no Vasco se realizarão – salvo brigas internas, embargos judiciais e outras coisas do gênero – em novembro. Estamos praticamente em agosto e temos um monte de candidatos e, aparentemente, apenas um com chance de vencer. E esse candidato é o atual presidente, Eurico Miranda. Antes que me xinguem, isso está longe de ser algo que me agrada. Pelo contrário. Eu não gostaria de ver a reeleição do Dotô tanto quanto você – Sim, você que está com os olhos nesse texto. Os membros da seita euriquiana dificilmente leem o que eu escrevo. Aliás, eu, você e a grande maioria da torcida vascaína gostaria de ver outra pessoa no comando do Vasco. Mas a realidade é uma só. Enquanto a oposição faz reuniões e não se acerta, o clã Miranda tem seu público eleitor cativo. Construído – com muita c...

Nenê e a inversão de valores

Nenê pediu para não viajar para São Paulo, conversou com a diretoria e deve abandonar o Vasco para jogar no exterior. Ao que tudo indica, a saída do meia deve se concretizar. Em caso positivo, só nos resta agradecer pelos serviços prestados e lhe desejar boa sorte. Lamentar a saída de um bom jogador faz parte. Mas é aquilo: qualquer jogador que não esteja satisfeito em atuar pelo Vasco da Gama deve fazer isso mesmo, procurar seu caminho. Se a proposta recebida do Catar ou da Espanha, é irrecusável, ok. Se a saída se dá por uma insatisfação com o treinador, com a posição em que vem atuando ou substituições, lamento, mas não dá pra defender o Nenê. Por melhor que seja, ver ataque de estrelismo em um jogador com 36 anos de idade é meio constrangedor. Dificilmente há no contrato do Nenê alguma...

As mentiras oficiais do Vasco

No dia 11 de junho, o contrato do Douglas Luis com o Vasco foi rescindido e a imprensa começou a noticiar sua venda para o Manchester City. A posição OFICIAL do Vasco, dada por sua assessoria de imprensa, era de que a rescisão do jogador era para “fazer um novo contrato” e que “não tem nenhuma negociação em curso”. Ontem, em nota OFICIAL, o Vasco anunciou a transferência do volante para o futebol inglês. Ou seja, em quatro dias, o clube – de forma OFICIAL – assumiu que falou mentiras para a imprensa e para a torcida sobre a negociação. Parece bobagem, até porque ninguém deu muita importância ao fato. Mas uma coisa é um dirigente qualquer do clube vir com uma historinha qualquer para não melar uma negociação e não desagradar a torcida. Outra é uma diretoria usar seus canais ofic...