Flamengo

Notícias do Flamengo

Mau recomeço

Estamos de volta ao Brasileirão nosso de cada dia. Após uma decepcionante participação do Brasil na Copa, nosso time terá a brava missão de se manter líder em um campeonato dificílimo, participando de outras competições que tornarão o mês de agosto uma provação enorme. Para falar do jogo de ontem, queria voltar um pouco à Copa, em especial à eliminação da seleção brasileira. Mais do que a teatralidade de Neymar, o que pesou naquele jogo foi a ausência de Casemiro e a opção em seu lugar por um jogador sem a menor condições de suprir sua falta. Além, claro, de um centroavante absolutamente inoperante. Esse cenário te lembra algum time? Voltamos ao trabalho ontem, no Maracanã, para mais de 50 mil pessoas. E já deu pra sentir que o Flamengo acusou o golpe do êxodo desde o fim da temporada pass...

Eu só quero é ser feliz

E depois de um longo mês, o Flamengo volta a campo. Se engana quem pensa que ficamos todos de férias do vermelho e preto. Jamais! A “indústria” de boatos e especulações ferveram como nunca, e quem teve calma e discernimento, ignorou como sempre. Eu penso seriamente no Flamengo que vai entrar em campo amanhã e tá muito dificil controlar a empolgação. Acredito realmente que voltaremos melhores. Ok que o próprio chefe, Barbieri, me lembrou que os outros times tiveram o mesmo tempo de preparação que a gente. A diferença é que eles não tem Diego, Diego Alves, Everton Ribeiro, Paolo Guerrero, Paquetá, Thuler, Léo Duarte e sim, Fernando Uribe! A cada treino desse colombiano eu vejo a estrelinha do hepta piscando mais próxima. Pode ser que eu esteja enganada por que futebol nunca será ...

Flamengo em sua Batalha de Zela

Me impressiona como fatos históricos, personagens, letras musicais (parecem propositais) ou locais se encaixam de forma análoga em um assunto atual como se fosse um cubo mágico. Neste caso um Cubo Mágico Flamengo… “… Mas sua verdade não me engana / Nesse termo de maldade / Que piração / Eu tô na terra ou no céu / Ninguém se entende / Nessa Torre de Babel / O mundo tá acabando, não vai sobrar quase nada / A nossa hora tá chegando / E ainda fazem piada…” Torre de Babel – Barão Vermelho, Roberto Frejat, Guto Goffi, Ezequiel Neves Ainda fazem piada diz o trecho musical… Pano rápido. Antes gostaria de agradecer a todos que dedicaram seu tempo para ler esta coluna. Como eu disse ao “culpado”, André Tozzini, nem no meu maior devaneio (e tenho muitos) eu esperava tantos lei...

A prata da casa… Dos outros

Desde que eu me entendo por gente, ouço cada torcedor do Flamengo se vangloriar da fábrica de fenômenos que temos na Gávea. A fábrica! Craque a gente faz em casa. E o que fazemos com eles? Ou melhor, o que pensamos realmente sobre esses meninos? Tenho certeza que a maioria que está lendo isso está pensando que sou maluca, estou viajando, já que valorizamos muito a base e vivemos criticando o técnico malvado e o dirigente acéfalo que não faz uso dessa maravilha no Fla. Porém, cada vez mais vejo que não é bem assim que funciona. Explico. Temos uma excelente safra no Ninho, correto? Isso acho que não tem como discordar, porém, a janela de transferências ainda nem abriu e o pau já está comendo porque até agora só contrataram um cara para reforçar o elenco. Mas pera aí, cara pálida! Temos (anot...

E agora, José? Futebol – Alegrias e Tristezas

Quando um resultado esportivo adverso serve para uma reflexão sobre vários aspectos.

Uma espetacular, porém difícil, realidade

Por muitos anos amargamos a fama (justa) de mau pagadores e de clube falido. Os bons jogadores não queriam jogar no Flamengo, a não ser os corajosos Rubro-Negros de coração, e nos acostumamos a acumular e contar com tralhas. Acredito que vem daí o famoso “era ruim, mas tinha raça”. Mas isso acabou. Hoje nossa realidade é bem diferente, toda hora vemos jogadores mundialmente famosos, em grandes clubes europeus, dizendo que jogariam com o Manto Sagrado. Temos um plantel bom e que pode render muito mais. Faltam peças de reposição e pontuais, mas temos um time! Podemos cobrar eficiência, competência, porque tem! Conquistamos! Isso nos envaidece, claro! Mas estamos pagando um preço que talvez, ainda seja muito alto, o mercado, pra gente, está mais caro. O Flamengo não está conseguin...

Tabelinha com Apolinho

Seguindo a programação especial durante a Copa do Mundo, nossa coluna conta novamente com um grande nome do jornalismo esportivo para abrilhantar o espaço. Esta semana, O CARA do rádio carioca apareceu para me dar essa honra: o comentarista de doze copas do mundo, ex-treinador do Flamengo e o mestre da comunicação radiofônica Washington Rodrigues, o Apolinho. Deixa o homem falar! 1) Obrigado por aceitar meu convite. Vamos de Fernando Uribe, o primeiro nome anunciado nesse período de recesso da Copa. Que tal? Não conheço o Uribe, imagino um atacante como tantos outros. Se com 30 anos ainda procura clube, não deve ser nenhum fenômeno. Tomara que acrescente algo. Sou mais o Lincoln. 2) Para você, a “era Guerrero” no Flamengo acabou? Como você classifica sua passagem pelo clube? Gu...

O Pão Nosso de Cada Dia

“… Eu quis cantar / Minha canção iluminada de sol / Soltei os panos sobre os mastros no ar / Soltei os tigres e os leões nos quintais / Mas as pessoas na sala de jantar / São ocupadas em nascer e morrer…” (Panis et Circenses – Os Mutantes – Caetano Veloso, Gilberto Gil) Só que, entre o nascer e o morrer existe o espetáculo do Futebol, e, com sua permissão (ou quase), abuso e uso mais uma expressão em latim, língua que eu tenho uma grande vontade de aprender: Refazendo então… Só que, entre o nascer e o morrer das pessoas ocupadas existe o espetáculo do futebol, “cui prodest?” ou “A quem beneficia?” Saudações Leitores! Estamos na época da Copa do Mundo na Rússia e automaticamente vem a lembrança da Copa anterior, a que foi realizada aqui no “picadeiro” de extens...

Imponderável Futebol Clube

“… Quanto tempo? Não muito, porque você colhe o que planta.” – Wake Up, Rage Against The Machine, álbum Rage Against The Machine, 1992 – Tema que encerra o filme The Matrix, 1999. Saudações, Leitores! Eu queria terminar o artigo postado semana passada (mistura de Shakespeare, Lenine e Tristania – leia aqui), onde uma pergunta e uma afirmação poética convidam você a uma reflexão: que “nada é bom ou mau, a não ser por força do pensamento” e o trecho musical em que o compositor pergunta “será que tempo que lhe falta pra perceber”. “Fatos cibernéticos” (me refiro à algumas postagens lidas no twitter) na semana entre 17 e 21 de junho ainda me impedem e outros que, doravante acontecerão. Afinal… O instinto humano… Antes de prosseguir, aviso que me manterei no “campo do futebol”...

Tabelinha com Roberto Assaf

Nesta parada imposta pela Copa do Mundo, até o retorno do Brasileirão, nossa coluna fará um bate-bola rápido com nomes do jornalismo esportivo do Rio de Janeiro. Serão entrevistas rápidas e objetivas, inspiradas na seção “5 perguntas para” da Revista Veja. Começamos esta iniciativa com o jornalista, historiador, escritor e pesquisador Roberto Assaf, que já passou pelas redações da ESPN Brasil, Sportv e Lance e escreveu várias enciclopédias do futebol, tais como “Almanaque do Flamengo”, “Flamengo x Vasco, o Clássico dos Milhões”, “Fla x Flu, o Jogo do Século” e “Seleção Brasileira (1914 – 2006) – O livro oficial da CBF”. Hoje, administra o site Rua Paysandu, dedicado à memória do Flamengo, à crônica cotidiana do time nos principais campe...

A menina e a bola

Quando eu penso na infância, eu lembro com saudade das tardes depois da escola. A maior galera se reunia no campinho na frente lá de casa (minha mãe odiava porque eu e meu irmão vivíamos pegando carrapato) pra jogar bola. Era uma delícia! Muita briga, chinelo ou tijolo marcando o gol, muita correria, briga e palavrão (eu só podia falar lá). Na hora de ir embora nos despedíamos exaustos. Muitos sem a cabeça do dedão, outros com joelho sangrando, mas todos suados e imensamente felizes. E a gente nem  se dava conta dessa felicidade fácil, simples de viver, tranquila pra conquistar. Naquele momento, ninguém se dava conta de quem era quem ali. Não tinha rico, não tinha pobre, menina, menino, branco, preto, católico, judeu. Era só a galera da bola. Eu amava que me deixavam jogar, tive e tenho os...

O Caráter (ou a falta dele) e o Jogo de Futebol

“… Bem-vindo, meu amigo / (Agora) É você e eu / Você sente o olho que vê você? / Você pode sentir seu grito silenciado? / Este é o nosso sonho próprio horrível…” – The Wretched  – Tristania, álbum Ashes, 2005. E chegamos ao nosso segundo texto e antes que você prossiga, preciso avisá-lo que não faço nenhum juízo de fato. Sigo na contramão dessa modernidade onde se deve ter cuidado com tudo que se escreve, fala ou desenha sob a pena de estarmos politicamente incorreto. Obviamente que essa minha forma até certo ponto egoísta de ser não me dá o direito de ser incorreto ou grosseiro com pessoas e o título deste texto e a citação inicial de uma letra musical não indica verdades absolutas. Posto isso, convido você a mais uma reflexão relativista baseada em uma...