Flupress

Blog da Flupress com Gustavo Albuquerque, Dedé Moreira, Caio Barbosa, Emiliano e Bolt.

Valeu!


Caros amigos,   Estou me despedindo deste espaço. Apesar do pouco tempo, foi bem legal escrever sobre o Fluminense na companhia de amigos como Dedé, Emiliano, Caio, Bolt e Leonardo Bagno. Os caras são muito bons e gentilmente aceitaram meu convite para o projeto.   Melhor ainda foi ter convivido com o Frank, Tony e André, os responsáveis pelo Futebolzinho. Pessoas raras, de uma educação e correção ímpares, a quem agradeço demais a oportunidade e a quem desejo todo sucesso no projeto.   Quem me acompanha desde os tempos do GE sabe que não sou de fazer proselitismo e nem de escrever nas entrelinhas. É legal ser direto. E é desta forma que procuro seguir em todos os campos de atuação nos quais me meto. Por aqui não seria diferente.   Minha despedida tem a ver com dois fato...

Projeto Cultural Tricolor


Tricolores, Quem tem lido meus famigerados textos sabe que eu insisto em defender que o Fluminense é a sua torcida. Digo isso por força da nossa história, totalmente construída através do esforço de nós, torcedores. Não tenho certeza do que vou escrever, mas acho que o terreno cedido pela Prefeitura do Rio de Janeiro para a construção do nosso atual Centro de Treinamento foi o único exemplo de ajuda direta da Administração Pública ao Fluminense desde 1902. Pois bem, seguindo nessa linha, a nossa torcida novamente vem inovar com o objetivo de engrandecer o Fluminense (sempre). Neste sábado, 01º de setembro de 2018, às 16h, na Praça Poeta Duque Costa, localizada na esquina das ruas Pinheiro Machado com Moura Brasil, em Laranjeiras, ocorrerá o primeiro encontro de torcedores interessados em c...

O caos absoluto que domina as Laranjeiras


Em meio a tanta notícia ruim, cogitei postar hoje um texto bacana, que escrevi para um livro do Fluminense, a fim de deixar o dia mais leve. Acordei, olhei o clube pela janela para me certificar de que ainda não o transformaram num shopping e… Não vai rolar. Não vai ter crônica, filme, historinha bonita, viagem inesquecível. Se for para ter dor no fígado, que seja por cerveja e churrasco – não por essa gestão absolutamente absurda que se apossou do Fluminense. Caso não desopile, é exatamente o que vai me acontecer. E já basta o que Abad, Flusócio & Cia. fazem ao nosso clube do coração. O tricolor sequer pode dormir em paz. Deita com a notícia de que o Cícero, aquela preguiça monumental em forma de rede em Jericoacoara, tem sete milhões de reais para receber do clube, em sua...

Fluminense 3 x 2 Maldito FC


O torcedor de futebol mais antenado certamente já ouviu falar em Brian Clough. Foi um treinador que fez história no futebol britânico, especialmente nos anos 70, quando conduziu os modestos Derby County e Nottingham Forest ao título da liga inglesa. Com o Forest conseguiu uma façanha ainda mais incrível conquistando o bicampeonato da Champions League. A história de Clough é contada no filme “Maldito Futebol Clube”. Já a incrível saga do Notttigham Forest que foi da segunda divisão ao bicampeonato europeu em 5 anos, é tema no documentário “I Believe in Miracles”. Ambos altamente recomendados para os amantes do futebol. Um fato porém que é bem menos conhecido do público brasileiro é que Clough foi também jogador. Um eficiente centroavante que atuou pelo Middlesbrough ...

A quem interessa?


Pedro machucado. Rumores falam em 21 dias. Ninguém sabe ao certo.   Vi muita gente na nossa torcida “comemorando” o momento da contusão, analisando o assunto sob a perspectiva de que, lesionado, não será vendido na janela que fecha na próxima sexta.   Acho maravilhoso que parte de nossa torcida ainda consiga ver os copos meio cheios eventualmente. Eu não.   A Flusócio é uma espécie de Midas às avessas. Nada sobrevive ao toque desses camaradas. Meu receio, honestamente, é que vendam nosso centroavante na surdina, na calada da noite, por um preço mais “em conta” em razão da lesão.   O Fluminense desses caras é um entreposto. Ou uma vitrine bem localizada num campeonato que ainda desperta a cobiça de clubes europeus e asiáticos. Somos um balcão de negócios. Ídolos são rifa...

Notas: Marcelo Oliveira leva o Fluminense à derrota

Fluminense perde para o Cruzeiro com mais uma escalação trágica.

A saída é por onde eu entrei?


Tricolores, Como é a sua experiência quando vão ao Maracanã ver os jogos do Fluminense? O que te motiva a ir aos jogos do nosso clube? Eu, particularmente, costumo ir a todos os jogos do Fluminense no Rio de Janeiro. Em outras palavras, a minha experiência não é importante para o clube como fornecedor de um serviço. O que me motiva a sair de casa para ir ao Maracanã é o mesmo fato que me faz ir à Moça Bonita: ver o Fluminense. Portanto, não sou parâmetro para medir o comportamento da nossa torcida. Contudo, as perguntas acima, dentre outras, são de suma importância para o Fluminense conhecer o comportamento da sua torcida a fim de aprimorar a experiência do seu consumidor e, com isso, tornar o evento mais atrativo, aumentando seus clientes. Basta ver que, atualmente, nossa média é de quinz...

Só o Gum não passará jamais


Entra ano, sai ano, desde quando já nem me lembro mais, e a pergunta sempre se repete, no começo de cada temporada: – Quem vai chegar para o lugar do Gum na zaga? Vai Taça Guanabara, vem Taça Rio, Copa do Brasil e, sem nem perceber, lá está Welington Pereira Rodrigues novamente envergando nossa camisa 3. Tenho a clara impressão de que isso já se repete há décadas. Este cara seria o Thiago Silva? Ou o Lima? Talvez o Ricardo Gomes. Edinho? Abelão poderia resolver. Píndaro ou Pinheiro? Todos tentaram ocupar a posição, mas, num piscar de olhos, é Gum neles. Só o Fluminense tem igual vocação para a eternidade, como diria Nelson Rodrigues. Não dá para dizer que 2018 não prometeu. Chegamos a acreditar em Luan Péres. A boa saída de bola de Nathan Ribeiro nos levou a crer que enfim era hora d...

Notas: Ogum salva o Fluminense diante de um Corinthians entregue

Fluminense vence Corinthians que quer derrubar o técnico.

Top 10 – Jogadores que mais atuaram pelo Fluminense


  Gum quase lá Gum fez seu jogo de número 395 contra o América-MG no último domingo. Está a apenas duas partidas de entrar para o seleto grupo dos 10 jogadores que mais vezes vestiram a camisa mais bonita do mundo. A cinco da marca de 400 jogos, ultrapassada por apenas nove ídolos ao longo dos 116 anos de vida do clube. O zagueiro que veio da Ponte Preta em Agosto de 2009 construiu uma bonita história ao longo de seus nove anos nas Laranjeiras. Conquistou os títulos de Campeão Brasileiro em 2010 e 2012, da Primeira Liga em 2016, do Carioca em 2012, da Taça Guanabara em 2012 e 2017 e da Taça Rio em 2018. Em 90 dos 395 jogos que disputou foi o capitão do time.   O Fluminense mais Fluminense de todos Uma curiosidade sobre a lista dos 10 jogadores que mais jogaram pelo Fluminense é q...

O 1º Turno em números


Se vocês tiverem curiosidade entrem no site do Fluminense, na parte de Xerém. Está escrito ali: “O Fluminense adota a mesma filosofia de jogo para todas as categorias. Priorizando o jogo bonito, a molecada de Xerém tem na posse de bola com objetividade a principal característica, sempre buscando o gol adversário, trocando passes e dando dribles. As bases da filosofia do Fluminense são a posse de bola objetiva, a busca constante por espaço, intensidade de jogo, futebol com prioridade no passe e no drible, busca na recuperação da bola e Fair Play”. E continua: “O Fluminense tem como marca principal a formação de grandes jogadores e a filosofia de jogo ofensiva é fundamental para o crescimento do futebol brasileiro”. Depois do primeiro ano de gestão e com um elenco rep...

Duas realidades


Das duas últimas apresentações do Flu, contra o Defensor e na sequência contra o América MG, vimos duas realidades. A primeira, surpreendente. Em que pese a indigência técnica do Defensor, achei q o time jogou corretamente e pro gasto, levando emconsideração o resultado feito no Rio. Se fechou e aguardou oportunidades de sair, o que normalmente não consegue fazer. É reconhecida há anos a dificuldade q o Flu tem de jogar dessa forma. Jogou bem? Não, mas jogou conforme o jogo pedia e isso é uma novidade. Ainda acabou coroando a classificação com mais um belo gol de Pedro, com extrema categoria e frieza na saída do goleiro. Passado isso, como sempre após as vitórias, ânimos renovados para a partida seguinte. Agora vai ! Que venha o América! E aí, meus queridos, como já é de praxe também, bald...