Share This Post

Destaque / Vasco

Joia da base, lateral Riquelme fica sem contrato profissional e agita o mercado

Joia da base, lateral Riquelme fica sem contrato profissional e agita o mercado

Ele é uma das promessas da base, mas atualmente está sem contrato profissional com o Vasco. O lateral-esquerdo Riquelme, de 16 anos, coleciona algumas convocações para a seleção brasileira sub-15, se destaca no sub-17, mas, desde que fez aniversário no dia 28 de agosto, aguarda a assinatura do contrato que não chega.

Pessoas próximas a Riquelme dizem que o jovem desperta o interesse de clubes do Brasil e da Europa. Vasco e o empresário dele abriram negociações no fim de agosto para a assinatura do primeiro contrato profissional (três anos), mas desde então, conforme a reportagem do Futebolzinho apurou, o documento não foi sacramentando.





CONVOCAÇÃO PERDIDA E CONTRATO DE FORMAÇÃO
Ainda segundo apuração do Futebolzinho, por conta dos problemas contratuais entre Vasco e Riquelme, o lateral esquerdo deixou de ser convocado há quatro dias para a seleção brasileira sub-17. Os jovens foram chamados pelo técnico Guilherme Dalla Déa para um torneio amistoso internacional nas cidades de Nantwich e Telford (ING), entre os dias 07 e 18 de outubro de 2018, mas o atleta vascaíno ficou fora da lista.

Riquelme posa na Granja Comary em uma de suas convocações (Foto: Reprodução/Internet)

RISCO DE FICAR SEM O ATLETA
Procurada, a diretoria vascaína informou pior meios da assessoria do clube que “Riquelme é jogador do Vasco e tem um contrato de formação. De fato ainda não tem um contrato profissional porque completou 16 anos recentemente e, a partir disso, o clube está se movimentando para assinar o contrato do atleta”. 

Riquelme em ação com a camisa do Vasco (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Segundo Bichara Neto, advogado da Bichara & Motta Advogados, especializada em direito esportivo internacional, o contrato de formação não impediria o jogador de assinar um vínculo profissional com qualquer clube do Brasil ou do exterior. Mas com a compensação financeira em favor do clube formador certificado pela CBF.

Para a assinatura de contrato com um outro clube brasileiro, porém, a “indenização” prevista é de até 200 vezes o valor anual do gasto da formação. Mas para clubes do exterior, a quantia obedece ao “training compensation”, fator criado pela Fifa e que varia de acordo com o continente ao qual pertence o clube de destino.

Share This Post

Lucas Pedrosa avatar
Jornalista. Cobertura de Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense pelo site Futebolzinho. Passagens por Lance! e Esporte Interativo. Ética. Verdade. Respeito. Sempre apaixonado por esse tal de futebol.

1 Comment

  1. Regina Carino avatar

    Meu Deus do céu! Como é difícil pros clubes brasileiros segurarem sua jóias…

Comments are now closed for this post.