Share This Post

Blogs / Fazendo a "de fora"

Detalhes de mais um Fla x Flu

Detalhes de mais um Fla x Flu

Meu trabalho não permitiria chegar ao Maracanã no horário do jogo, então não comprei ingresso antecipadamente.

Consegui sair, muito excepcionalmente, pouco antes das 20 horas. E até pensei em encarar um metrô e tentar arrumar um ingresso nas imediações do estádio. Mas como a possibilidade de conseguir algum lá me parecia pouco provável, corri pra arrumar uma mesa num boteco com TV em Botafogo, o já tradicional Zuzu Goró.

Peguei a última que sobrou, longe pra Carlinhos da TV pequenininha, e lutei de forma hercúlea para manter duas cadeiras a mais na mesa para amigos que estavam vindo. Foram diversas abordagens:

– O senhor vai usar esta cadeira?

– Vou sim, queridos …

O amigo “garçom” me cumprimenta e vai logo dizendo:

– Ramos, tô sem Heineken. Vai de Brahma?

– Vou, né …

Pela televisão vi um pouco da homenagem da torcida aos meninos mortos no CT rubro-negro e a chegada de um dos meninos feridos ao Maracanã. Esta sim uma homenagem verdadeira, sem hipocrisia e oportunismo barato e marqueteiro.

Não consegui segurar a lágrima. Estamos tendo dias com tragédias e acidentes terríveis, mas de todos estes, por mais que não tenha sido o mais destruidor deles quantitativamente, foi com o qual acabei me identificando mais, por conhecer bem como é a vida e os sonhos destes garotos. Não porque poderia ter sido eu … mas porque não poderia e não deveria ter sido ninguém.

Aí vem o meu amigo garçom com um sorriso maroto:

– Ramos, achei doze Heineken’s escondidas numa geladeira aqui no fundo, ainda não falei pra ninguém …

– Reserva tudo!! Mas nunca mais me faz tomar três Brahmas sem necessidade, meu caro …

Gargalhadas gerais. Bora pro jogo.

Enfim, poderia destrinchar aqui noventa e poucos minutos de jogo cheio de visões táticas e avaliações técnicas, mas sempre gostei do estilo “João Saldanha”.

Se eu não estivesse comprometido afetivamente com uma das camisas,  diria, tranquilamente, que foi um jogo bem ruim e muito aquém das expectativas. Festival de erros de lado a lado, defesas levando muita vantagem sobre os ataques e criatividade zero.

O Fluminense, de fato, teve uma única chance real de gol, que nem foi exatamente criada por ele, numa falha imperdoável de um jogador de extrema qualidade (Arrascaeta), que brincou e se enrolou todo, no pior lugar possível, numa hora em que tinha o resultado na mão e o jogo já tinha “acabado”. É pra tomar “corredor polonês” no vestiário.

O Flamengo precisa rever o sistema de jogo que pretende adotar. Com um elenco de tanta qualidade, parece não estar conseguindo usar os jogadores adequadamente. Ao contrário de muitos rubro-negros, nem vi o Flamengo tão mal. Marcou bem o Flu, que não conseguiu jogar do meio pra frente, e tinha o empate. Mas com as características dos jogadores que tem, não poderia perder o meio de campo. Não vou entrar aqui pra crucificar o Abel, mas todos (principalmente os tricolores) sabemos que ele é um cara que resiste demais às variações. Vai precisar mexer alí. A boa notícia (pra ele) é que segue tendo elenco pra isso.

O Fluminense joga com garra, o time corre e a saída de bola da defesa, de matar o coração de qualquer tricolor, está sendo feita com qualidade, principalmente com o uso do Rodolfo como sobra. Ele tem mais calma e categoria no domínio e no passe que muito zagueiro de time grande aí, além de ter feito uma defesa espetacular à queima roupa, numa das pouquíssimas vezes que foi acionado como goleiro. Entretanto, a ligação do meio com o ataque não funcionou de jeito nenhum e já tinha sido complicada contra o Vasco, mesmo tendo ido melhor no jogo. Faz o meio ora com volantes ora com atacantes. Danielzinho não está funcionando. Talvez o Ganso resolva este problema. Não credito o gol ao fato de o Diniz ter tirado os laterais pra colocar jogadores mais pelo meio, mas sim à marcação forte no terceiro terço, principalmente no fim de jogo. Tomou a bola e conseguiu acertar finalmente um chute a gol. Um belo gol do Luciano, que vem bem desde o início do ano.

Para o Fla, vida que segue, tem Libertadores aí. Não vejo motivo pra caça às bruxas.

Para o Flu, final da taça Guanabara. É um time nivelado tecnicamente com o Vasco, mas me parece melhor no conjunto e melhor treinado, com mais potencial de crescimento. Isso não faz do Flu favorito, mas espero que seja um ingrediente que faça a torcida aparecer no peso que é necessário no Maracanã, o que nesta quinta-feira (14) não aconteceu. Ficam os parabéns para os que puderam e quiseram ir.

Conta fechada, acabei indo abrir outra. Afinal, não escondo de ninguém que sou tricolor, muito pelo contrário. Depois de analisar, comemorar. E agora curtir as consequências da noite mal dormida. Aliás, a foto acima demonstra exatamente como eu estava vendo o copo de cerveja no final do dia …

Abraços.

Share This Post

Antônio Ramos avatar
Ex-jogador, auxiliar técnico e instrutor de futebol, escrevendo sobre o tema há mais de 20 anos. Torcedor do Fluminense Football Club.
P