Share This Post

Fluminense

Fernando Diniz elogia postura do Fluminense e lamenta pênalti não marcado: ‘Lance muito fácil’

Fernando Diniz elogia postura do Fluminense e lamenta pênalti não marcado: ‘Lance muito fácil’

Apesar da derrota por 1 a 0 para o Vasco, neste sábado (02), no Mané Garrincha, em Brasília, Fernando Diniz não ficou preocupado com a atuação do Fluminense. Ao contrário, o técnico parabenizou seus comandados pelo início de temporada e elogiou a maneira de como o grupo assimilou o modelo de jogo. Mesmo com a derrota, o Tricolor avançou para a semifinal da Taça Guanabara e aguarda a definição do adversário.

“Acho que quanto mais o tempo passar, o time vai melhorar e indo ajustando os detalhes. Principalmente, quando a gente encontra dificuldades como a de hoje, no segundo tempo. A avaliação dos cinco jogos é positiva. A gente conseguiu adotar o modelo e os jogadores estão muito desejosos e estão de parabéns pelo o que fizeram, inclusive, hoje. Temos que sempre olhar a partida em dois aspectos: o resultado e o que aconteceu fora dele”, disse Fernando Diniz.

Assim como Pedro Abad, Fernando Diniz lamentou o pênalti não marcado em cima do Bruno Silva, ainda no primeiro tempo. De acordo com o técnico, era muito mais fácil assinalar essa infração no volante comparado ao pênalti marcado para o Vasco, que resultou no gol da vitória, de Yago Pikachu.

“Na minha modesta opinião, o lance em si – já vi na TV – foi um pênalti muito mais fácil de ser marcado do que o pênalti para o Vasco, que é uma bola que cruza, o jogador está com o braço um pouco aberto, não estou falando que não foi pênalti, porque foi. Mas o Bruno Silva tomou um puxão muito claro. A camisa estica. O jogador do Vasco nem está olhando para a bola. Ele puxa e depois empurra. O juiz estava perto e era um lance muito fácil de ser marcado”.

“O presidente tem todo o direito de se manifestar. Ele está aqui há muito mais tempo que eu. Se é uma coisa que acontece sistematicamente, ele tem todo o direito de se manifestar. Quanto ao que vai acontecer no campeonato, é uma coisa que vamos ter que resolver internamente, ainda não conversamos sobre isso. Vamos esperar esfriar do que aconteceu do jogo, se é uma coisa sistemática você se sentir prejudicado, a manifestação é mais que justificável”.

CONFIRA OUTROS TÓPICOS DA COLETIVA:

GRAMADO
“Não dá para justificar o resultado só por conta disso. Mas claro que atrapalha, principalmente porque temos a característica de usar o goleiro e jogar tocando perto da área, e era onde o campo estava mais machucado. Isso gerou uma insegurança dos jogadores de trás e preferimos em alguns momentos fazer ligação direta. Se fosse em um gramado de melhor qualidade, teríamos optado um outro tipo de jogo em alguns momentos.”

SEMANA IMPORTANTE
“Temos que ir um jogo de cada vez. Temos que encarar o River como encaramos o Vasco. E depois falaremos do fim de semana, projetando a semifinal. Temos um elenco enxuto e vamos procurar recuperar os jogadores para que em Teresina tenhamos um time consistente, forte e que vá encarar o River da mesma maneira que encaramos o Vasco, com muita seriedade.”

GANSO: 

“Claro que pode mudar, mas não podemos colocar toda a coletividade em cima de um jogador. O Ganso é um dos melhores jogadores que o Brasil produziu nos últimos 15 anos, seguramente. A gente espera que ele consiga colocar para fora o talento dele de uma maneira mais perene. Se isso acontecer, claro termos um salto de qualidade, mas vai precisar de um tempo de adaptação e uma série de coisas. Um esforço imenso da diretoria do Fluminense para trazer ele.”

ANÁLISE DO ADVERSÁRIO:

“Quando você joga contra um time como o Vasco, que coloca todos os jogadores marcando em um espaço de 15m, é difícil para qualquer time no mundo. Se você acompanhar, até Manchester City, Chelsea, a Espanha na Copa, times que têm essa proposta de jogo, tiveram essa dificuldade. Quando você joga com uma dificuldade muito grande e uma limitação de espaço, é o tipo de jogo mais difícil de fazer. Qualidade técnica ajuda, padrões de movimento com mais tempo de treino ajudam. Mas sempre vai ser difícil quando você encontra um time que marca lá atrás com muita gente e bem treinado.”

FONTE: Globoesporte.com/Lance!

REDAÇÃO: Futebolzinho.com

FOTO: Edu Andrade/Fatopress/Estadão Conteúdo

Share This Post

P