Share This Post

Fluminense

Gum desabafa em tom de despedida: ‘Saio com sentimento de dever cumprido’

Gum desabafa em tom de despedida: ‘Saio com sentimento de dever cumprido’

Alívio. Emoção. Despedidas. Desta forma, termina a temporada do Fluminense. Com 36 mil torcedores no Maracanã, eles viram Júlio César defender um pênalti quando o placar ainda estava zerado, e Richard fazer o único gol (1 a 0) que garantiu o Fluminense na Série A do ano que vem. Após oito jogos sem vitórias e balançar as redes, a carga emocional em conjunto com a pressão fizeram os jogadores desabafarem. Não foi diferente com o zagueiro e capitão Gum.

“Amei essa camisa, me entreguei mais do que eu poderia, no limite físico e mental. Guardei fé, esperança e caráter, e hoje talvez seja meu último jogo. Já me emocionei, já chorei. Saio hoje com sentimento de amor ao clube e dever cumprido”, disse Gum

Sobre o alívio com a fuga do rebaixamento, Gum ressaltou a pressão e que vários jogadores passaram do próprio limite.

Foi muita pressão em cima desse grupo, esse jogo teve uma carga emocional muito grande. Vários jogadores passaram do limite. A torcida não sabe a carga emocional, o quanto esse grupo sofreu, por isso ficaram chateados com a produção, que caiu. O time estava chateado com a torcida, porque cobraram muito os jogadores. Todo mundo está de parabéns”.

O zagueiro ainda falou no nome de Kayke, Júnior Dutra e Richard em especial. Por fim, revelou que o volante Richard está vendido faz tempo.

“Jogadores que vieram e que tiveram história no futebol ajudaram muito porque não remaram ao contrário. Todos são importantes. Agradeço ao Kayke, ao Junior Dutra, que sempre ajudaram fora de campo. O Richard porque Deus abençoou muito esse rapaz hoje aqui. Muitos jogos no limite, fazendo tratamento para dor, vendido faz tempo, mas em nenhum momento deixou de ajudar”, finalizou.

Com o resultado, o Fluminense termina o Campeonato Brasileiro com 45 pontos, em 12° lugar, e classificado para a Copa Sul-Americana.

Share This Post

Gabriel Lutterbach avatar
Jornalista em formação, 19 anos, mais carioca do que mineiro, mesmo sendo ao contrário na realidade. Setorista do Fluminense pelo Futebolzinho. Tudo que eu entendo do ser humano, devo ao futebol.
P