Share This Post

Marcelo Oliveira mostra confiança para jogo da volta: ‘Absoluta certeza que é possível’

Fluminense

O Fluminense quase conseguiu sair com uma vantagem para o jogo de volta, mas pagou o preço pelo excesso de erros e acabou ficando somente no empate em 1 a 1 contra o Nacional-URU, no Estádio Nilton Santos. O gol no fim foi um balde de água fria nos torcedores e jogadores. Porém, não para o treinador do clube carioca. Em entrevista coletiva após o duelo, Marcelo Oliveira lamentou o placar e disse acreditar na classificação fora de casa.

“Temos absoluta certeza que é possível. Esse grupo se superou várias vezes. Da mesma forma que o Nacional conseguiu gol no fim, podemos buscar a vitória lá. Nacional jogou muito bem, é um time bom. Não foi surpresa. Deve ser um jogo muito bom lá. Vamos nos preparar bem para tentar trazer a classificação”, analisou Marcelo Oliveira

O treinador também lembrou da irregularidade que vem acompanhando o Tricolor. Prova disso é que no Campeonato Brasileiro, por exemplo, o Fluminense ganha uma partida e perde outra desde a 24° rodada. Além disso, dentro do próprio jogo, as atuações têm sido bastante distintas entre o primeiro e o segundo tempo.

“O que precisamos é ter uma atuação mais regular. Começamos bem o jogo, e depois que fizemos o gol demos muita oportunidade para o adversário. No segundo tempo, corrigimos a marcação no meio campo e praticamente não tivemos muitos sustos. Quando eles saíram e nós conseguimos contra-ataques, faltou um pouco mais de capricho técnico e a melhor escolha da jogada na hora de tentar fazer o segundo gol”.

Fluminense e Nacional-URU voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, também às 19h30 (de Brasília), no Estádio Parque Central, em Montevidéu. Antes, o Tricolor enfrentará o Santos, no sábado, às 16h30 (de Brasília), pela 31ª rodada do Brasileirão, na Vila Belmiro. Visando esta partida, Marcelo Oliveira admite que poupará os jogadores, aproveitando que o clube deu uma “respirada” na competição.

“O pensamento é esse. Não deveria ser assim, mas o calendário impõe essa condição. Jogamos quarta, vamos jogar sábado, depois teremos uma viagem internacional para jogar quarta no Uruguai e depois foi marcado um clássico do futebol brasileiro no sábado. Vamos jogar com um time alternativo, é um time que conheço e tenho toda a confiança nos jogadores que entrarão em campo. E esperamos conseguir um grande resultado lá”, afirmou.

OUTROS TÓPICOS DA COLETIVA DE MARCELO OLIVEIRA:

Fluminense jogar mais pelo lado esquerdo do que direito

Do lado esquerdo, os jogadores estão jogando constantemente, Ayrton e Everaldo já têm entrosamento, setor que tem produzido muito bem situações de gol. No lado direito não tem como lamentar muito. Perdemos o Gilberto, perdemos o Léo, e o Julião, que seria o terceiro lateral, não pôde jogar porque a inscrição foi feita antes por determinação da Conmebol – ele fez muito bom jogo (contra o Atlético). Se soubéssemos que o Léo não poderia jogar, teríamos inscrito o Julião.

Opção de Matheus Alessandro por Dodi

Eram duas opções, o Matheus ou Dodi. O Matheus treinou muito bem. Era viável, ele se tornaria um atacante pelo lado em uma expectativa do Nacional mais fechado, mais atrás. Não achei que ele foi mal.

Fizemos uma improvisação. No primeiro tempo o Ibañez virava quase que um lateral para que o Matheus Alessandro jogasse mais adiantado em uma expectativa que o Nacional jogasse um pouco mais atrás e pudéssemos ter mais jogadas individuais pela lateral do campo.

Gol sofrido por bola aérea

Ficou amargo porque levamos o gol em uma jogada que somos muito fortes tanto ofensiva quanto defensivamente. Treinamos muito esse tipo de jogada. E porque foi aos 42… Às vezes em uma competição como essa, mata-mata, se você não pode fazer o segundo, não levar o gol também é uma vantagem.

Situação do zagueiro Gum

O Gum teve uma torção leve de tornozelo e uma pancada no joelho. Fiquei mais preocupado na hora que ele saiu. Ainda não temos a decisão do departamento médico, mas acho que ele vai se recuperar para o jogo de quarta-feira.

Entrada de Airton

Depois, com o 1 a 0, o adversário tendo uma certa liberdade no meio de campo, estávamos perdendo o meio de campo. Eu passei o Airton para fazer o volante e resolvi esse problema. Coloquei o Jadson na direita, pois já está acostumado a fazer essa função e fez bem. Não tem como lamentar, tem que valorizar os jogadores que vão jogar.

Trabalho nos próximos dias

Temos que começar a trabalhar primeiro para o jogo contra o Santos e, posteriormente, analisar bem esse jogo de volta contra o Nacional. Já havíamos enviado um membro da comissão técnica para assistir jogo do Nacional in loco.

 

Share This Post

Gabriel Lutterbach avatar
Jornalista em formação, 19 anos, mais carioca do que mineiro, mesmo sendo ao contrário na realidade. Setorista do Fluminense pelo Futebolzinho. Tudo que eu entendo do ser humano, devo ao futebol.