Share This Post

Fluminense

Marcelo Oliveira valoriza elenco no trunfo diante do Nacional: ‘Guerreiros persistentes’

Marcelo Oliveira valoriza elenco no trunfo diante do Nacional: ‘Guerreiros persistentes’

Estratégia, segurança, equilíbrio entre defesa e ataque, pacientes e persistentes. Estas são as palavras-chaves para Marcelo Oliveira definir o que foi a partida. Nesta quarta-feira (30), o Fluminense reuniu todos esses ingredientes da receita do treinador, e saiu vitorioso diante do Nacional-URU, mesmo jogando fora de casa. Desta forma, o clube carioca está classificado para as semifinais da Copa Sul-Americana, uma vez que precisava de uma vitória simples ou de um empate marcando dois ou mais gols para avançar a próxima fase.

“Foi um ótimo jogo do Fluminense. Nos preparamos muito no campo e emocionalmente. Precisávamos ganhar, mas não podia ser de qualquer forma. A equipe do Nacional é muito bem treinada. Preparamos uma boa estratégia. Tínhamos de estar bem seguros e equilibrados entre defesa e ataque. Cumprimos bem esse papel. Os jogadores foram guerreiros, pacientes, persistentes. Controlamos o jogo o tempo todo, com possibilidade de fazer o gol, como fizemos, e até de fazer o segundo. Isso que queremos, um Fluminense cada vez mais forte”, disse o técnico Marcelo Oliveira reconhecido pelo seu sucesso em torneios mata-mata.

Para o treinador, o resultado dá ainda mais confiança ao grupo na busca pelo título inédito da Sul-Americana e na sequência do Campeonato Brasileiro. Esta campanha na competição já é a segunda melhor na história do clube, só perdendo para quando o Fluminense chegou a final em 2009, diante da LDU-ECU.

“Foi uma vitória maravilhosa que nos dá confiança e nos fortalece para a sequência da Sul-Americana e do Brasileiro. E muito valorizada pela equipe do Nacional, que não tinha perdido em casa no torneio, sequer levado gol”, analisou.

Comemoração do gol de Luciano na vitória sobre o Nacional-URU. (Foto: Raúl Martínez/EFE)

Sem o lateral-direito Léo, que não teve tempo para se recuperar de um edema muscular, o escolhido foi o volante Airton. Sendo assim, Jadson foi improvisado na ala. Diferentemente da primeira partida, quando Matheus Alessandro foi escolhido para ocupar a posição, dava a impressão que neste jogo o Flu jogaria mais recuado. Não para o Marcelo Oliveira, no qual afirmou que sua opção não tornou o time mais defensivo.

“A função do técnico é tomar decisões. E todas decisões têm riscos. Por já estar no futebol há muitos anos, eu sabia que se tivéssemos problemas aqui a primeira coisa que diriam é “poxa, mas botou três zagueiros, dois volantes…”. Fazemos o que pensamos ser melhor para o time. Tínhamos que improvisar um jogador do lado, e entendemos que o Airton tem uma saída de bola muito boa. Era a convicção de que poderia dar certo desta forma, pelos treinamentos. Às vezes se tem uma opinião contrária, mas de uma pessoa que não participou do treinamento. Deu certo. Poderia também o Nacional, que tem uma ótima equipe, ter buscado uma classificação. Ao botar dois volantes de contenção, liberei mais o Richard, o Jadson do lado e o Ayrton. Achei que ficou bem equilibrado, ganhamos na bola aérea também. Foi uma decisão bem tomada, que é de risco, pode dar certo como também não pode”, explicou sua opção Marcelo Oliveira

O Tricolor volta a jogar sábado, às 16h (horário de Brasília), válido pelo Campeonato Brasileiro. Marcelo Oliveira admitiu que poderá poupar os jogadores que estiverem mais desgastados. O treinador aproveitou para criticar o calendário de jogos do futebol brasileiro.

“Vitórias e uma classificação difícil como essa, contra um adversário muito bom, precisam ser comemoradas. Nós temos que aproveitar esse gostinho, esse sabor da vitória, da superação. A partir de amanhã vamos pensar nesse jogo importante que temos. Lamento que no futebol brasileiro tenhamos que jogar tanto em tão pouco tempo. Sair de um jogo como esse, desgastante, ter uma viagem amanhã desgastante e já ter um clássico contra um adversário que não jogou durante a semana… Este jogo poderia ser no domingo. Um pouco de coerência seria bom para que os jogadores descansassem um pouco. Vamos usar todos aqueles que estiverem se sentindo bem. Se um ou outro estiver muito desgastado, com probabilidade de lesão, vamos trocar. Temos um elenco que dá para fazer isso”, afirmou.

Na Sul-Americana, o Fluminense enfrentará o Atlético-PR nas semifinais. O primeiro jogo será já na próxima quarta-feira, 7 de novembro, às 21h45 (horário de Brasília). A volta, com mando de campo do tricolor carioca, será no fim do mês, dia 27 de novembro, no mesmo horário, para saber quem decidirá o título. Em uma eventual final, o Flu também decide em casa.

Share This Post

Gabriel Lutterbach avatar
Jornalista em formação, 19 anos, mais carioca do que mineiro, mesmo sendo ao contrário na realidade. Setorista do Fluminense pelo Futebolzinho. Tudo que eu entendo do ser humano, devo ao futebol.
P