Share This Post

FUTEBOL FEMININO / Seleção Brasileira

Meninas entram em cena em busca do título inédito

Meninas entram em cena em busca do título inédito

Por João Pedro Fragoso e Fernanda Vidon

A Seleção Brasileira Feminina de Futebol estreia na Copa do Mundo de Futebol Feminino contra a Jamaica, deste domingo (09), às 10h30 (de Brasília). Esta será a oitava participação do Brasil em mundiais da modalidade, de oito disputados. Ou seja, o país faz parte de um seleto grupo de seleções que estiveram em todas as Copas do Mundo, tanto no futebol masculino quanto no feminino. A diferença fica por conta do fato de ainda não ter um título mundial nesta categoria.

Entrando no clima da Copa do Mundo, o Futebolzinho relembra a trajetória da seleção no mundial que começou nesta sexta.

CHINA – 1991
Campeã: Estados Unidos
Vice-campeã: Noruega
Terceiro lugar: Suécia

Único país integrante da Conmebol a ir para o torneio, o Brasil caiu no grupo da morte logo de cara, com Estados Unidos (campeã da competição), Suécia (terceira colocada) e Japão. Apesar disso, a seleção começou o torneio com o pé direito.

Estreando diante de 14 mil pessoas contra as japonesas, a seleção venceu por 1 a 0 com gol de Elane. Infelizmente, essa foi a única vitória da equipe brasileira na competição, que perdeu para Estados Unidos e Suécia por 5 a 0 e 2 a 0, respectivamente. Por ter sido o pior terceiro colocado, o Brasil acabou eliminado na fase de grupos.

O time titular comandado por Fernando Pires era: Pioresan; Rosa Lima, Marisa, Elane e Solange; Márcia Silva, Fanta, Rosângela Rocha e Maria Lúcia Lima; Adriana e Roseli. 

Escalação da seleção feminina de 1991 no jogo contra os Estados Unidos. (Foto: Reprodução)

Escalação da seleção feminina de 1991 no jogo contra os Estados Unidos. (Foto: Reprodução)

SUÉCIA – 1995
Campeã: Noruega
Vice-campeã: Alemanha
Terceiro lugar: Estados Unidos

Na edição de 1995, o Brasil continuou sendo o único representante sulamericano a ir para a competição. Além disso, ficou novamente em um grupo considerado bem difícil, com a anfitriã e terceira colocada do mundial anterior, Suécia; Alemanha, vice-campeã da competição; e Japão. Mesmo assim, a seleção conseguiu um bom resultado em sua estreia na competição, mas não conseguiu passar da fase de grupos, assim como no mundial de 1991.

Com gol de Roseli, o Brasil superou as donas da casa por 1 a 0 e obteve sua segunda vitória em Copas do Mundo. Porém, o bom desempenho da primeira rodada não se repetiu nas outras duas, e a equipe perdeu para o Japão por 2 a 1, e para a Alemanha por 6 a 1. Ou seja, coincidentemente, as piores goleadas dos times masculinos e femininos do país são para a Alemanha.
Esse mundial também ficou marcado como o primeiro de atletas que fizeram história com a camisa da seleção, como Sissi e Formiga, que jogará na França a sua sétima Copa.

O time titular comandado por Ademar Fonseca era: Pioresan; Elane, Suzy e Valéria; Leda Maria, Fanta, Cenira e Sissi; Pretinha, Michael Jackson e Roseli. 

Seleção Brasileira Feminina no mundial de 1995. (Foto: Reprodução)

ESTADOS UNIDOS – 1999
Campeã: Estados Unidos
Vice-campeã: China
Terceiro lugar: Brasil

A terceira edição do torneio, realizada no país norte-americano, foi a melhor campanha da seleção até então. Em um grupo com Alemanha, Itália e México, o Brasil venceu o México por 7 a 1 – a maior goleada do Brasil na história das copas -, a Itália por 2 a 0 e empatou com a Alemanha em 3 a 3. Com os resultados, se classificou em primeiro lugar, com sete pontos. Nas quartas de final, o Brasil venceu a Nigéria por 4 a 3, em uma virada histórica com o quarto gol brasileiro marcado de falta por Sissi na prorrogação. A meio-campista Sissi foi uma das artilheiras da competição, com sete gols. Veja o lance:

A seleção avançou para as semifinais, mas foi derrotada para os Estados Unidos -futuras campeãs- por 2 a 0. O terceiro lugar veio após o empate em 0 a 0 com a Noruega, em que o Brasil venceu nos pênaltis por 5 a 4.
O time titular comandado por Wilson Oliveira era: Maravilha; Nenê, Elane, Suzana e Marisa; Fanta, Cidinha, Sissi e Raquel; Kátia e Pretinha.

Sissi, que afirma ter sofrido preconceito pelo corte de cabelo e Formiga, que completará sete participações em Copas na edição de 2019. (Foto: Reprodução)

ESTADOS UNIDOS – 2003
Campeã: Alemanha
Vice-campeã: Suécia
Terceiro lugar: Estados Unidos

Apesar do bom desempenho na edição anterior, a seleção brasileira não esteve no pódio na primeira copa do século XXI, mas a virada do século trouxe consigo um fenômeno: foi a primeira Copa que a seleção contou com a participação de Marta, que viria a ser melhor do mundo seis vezes (sendo cinco consecutivas), a maior artilheira das Copas do Mundo de Futebol Feminino, com 15 gols, e a maior artilheira da história da Seleção Brasileira feminina e masculina, com 101 gols.

O Brasil estreou com uma vitória por 3 a 0 sobre a Coreia do Sul, triunfou sobre a Noruega por 4 a 1 empatou em 1 a 1 com a França. A seleção avançou para as quartas, mas foi derrotada por 2 a 1 para a Suécia.

O time titular comandado por Paulo Gonçalves era: Andreia; Juliana, Tânia e Renata Costa; Formiga, Marta, Rosana e Daniela; Maycon, Katia e Simone.

Marta comemorando gol pela seleção brasileira. (Foto: Reprodução)

CHINA – 2007
Campeã: Alemanha
Vice-campeã: Brasil
Terceiro lugar: Estados Unidos

Nas sete edições já disputadas, a campanha de 2007 – coroada com o vice campeonato – foi o auge da seleção feminina, que teve o melhor ataque em suas participações na Copa, com 17 gols. Além de Marta, que foi a melhor jogadora e maior artilheira da competição, com sete gols, Cristiane também se destacou, com cinco gols e duas assistências, tornando-se a terceira melhor jogadora da edição.

O Brasil estreou com uma goleada por 5 a 0 sobre a Nova Zelândia, manteve a disposição para fazer gols na vitória por 4 a 0 sobre a China e triunfou por 1 a 0 contra a Dinamarca. Nas quartas, decidiu a classificação sobre a Austrália, por 3 a 2. A semifinal com os Estados Unidos foi uma inesquecível goleada por 4 a 0. Embalado, o time disputou a final com a Alemanha, mas foi derrotado por 2 a 0. Ao final da competição, as jogadoras fizeram um pedido de apoio ao futebol feminino.

O time titular comandado por Jorge Barcellos era: Andreia; Elaine, Aline, Tânia; Renata Costa, Daniela, Formiga, Marta e Ester; Maycon e Cristiane.

Após vice-campeonato, brasileiras protestam (Foto: Reprodução)

ALEMANHA – 2011
Campeã: Japão
Vice-campeã: Estados Unidos
Terceiro lugar: Suécia

A seleção brasileira chegou na Copa da Alemanha com a moral nas alturas. Depois de uma grande campanha coroada com um triste vice-campeonato, o Brasil chegou no mundial de 2011 como cabeça de chave, o que fez com que a equipe treinada por Kleiton Lima fosse a mais forte do grupo, que tinha também Austrália, Noruega e Guiné Equatorial. Com isso, o Brasil não teve grandes problemas para se classificar em primeiro. Na estreia, vitória sobre a seleção australiana por 1 a 0. Em seguida, venceu o time norueguês e a equipe de Guiné com dois 3 a 0. Porém, o que era uma campanha tranquila, logo se complicou.

Nas quartas de final, a seleção brasileira enfrentou os Estados Unidos. Em um jogo duro, a seleção empatou por 2 a 2, com dois gols de Marta, e a classificação foi para a decisão por pênaltis. Na ocasião, Daiane, que já havia marcado um gol contra no tempo normal, perdeu o pênalti decisivo e o Brasil foi eliminado.
O time titular comandado por Kleiton Lima era: Andreia; Fabiana, Daiane, Aline, Rosana e Erika; Maurine, Ester, Formiga e Marta; Cristiane.

Seleção Brasileira Feminina de Futebol na Copa do Mundo da Alemanha de 2011. (Foto: Reprodução)

Rosana, Cristiane e Marta em comemoração de gol na Copa do Mundo de Futebol Feminina de 2011. (Foto: Reprodução)

CANADÁ – 2015
Campeã: Estados Unidos
Vice-campeã: Japão
Terceiro lugar: Inglaterra

Na edição do Canadá, a expectativa em cima da seleção brasileira era enorme, por conta do vice campeonato de 2007, da boa campanha de 2011 (apesar da eliminação nas quartas) e pela quantidade de boas jogadoras no time, que contava com Andressa Alves, Cristiane, Formiga e Marta. Porém, a expectativa não se tornou realidade.

Em um grupo considerado tranquilo, com Coréia do Sul, Espanha e Costa Rica, a equipe brasileira se classificou em primeiro sem dificuldades. Venceu a equipe coreana por 2 a 0, e venceu espanholas e costa riquenhas por 1 a 0.
Porém, já nas oitavas de final, contra a Austrália, veio a precoce eliminação. Mesmo jogando melhor que as australianas, a equipe brasileira não conseguiu transformar a superioridade em gols, e viu as adversárias marcarem o gol que acabou com o sonho do título mundial.

O time titular comandado pelo atual técnico Vadão era: Luciana; Fabiana, Mônica, Tamires e Rafaelle; Andressinha,Thaísa, Formiga e Marta; Andressa Alves e Cristiane. 

Seleção Brasileira Feminina de Futebol na Copa de 2015. (Foto: Minas Panagiotakis/Getty Images/AFP)

Formiga comemora gol contra Coreia do Sul no mundial de 2015. (Foto: Agência Reuters)

FRANÇA – 2019
Embora o momento vivido pela equipe treinada por Vadão não seja favorável, já que foram nove derrotas nas últimas nove partidas, o retrospecto é extremamente a favor do Brasil, pelo menos na estreia do mundial da França. Nas 7 Copas, a seleção brasileira estreou com vitória. Além disso, a Jamaica não é um país com tanta tradição no futebol feminino.

Sendo assim, uma vitória na primeira partida é de extrema importância, pois além de manter os 100% de aproveitamento, poderá dar maior tranquilidade para o time, já que a partida seguinte será contra Austrália, seleção que eliminou o Brasil no último mundial.

Slogan da Copa do Mundo Feminina 2019: “Ouse brilhar”

 

FOTO DESTACADA: Lucas Figueiredo/CBF

Share This Post

Fernanda Vidon avatar
Carioca, 18 anos. Cursando jornalismo ou, eu diria... vivendo um sonho! Na cobertura do Vasco pelo Futebolzinho. Além disso, apaixonada por rap br e auto conhecimento. "Prometa a si mesmo que terá uma vida incrível e o Universo entenderá o recado."

Leave a Reply

P