Fluminense

Notícias do Fluminense

Flu de Marcelo Oliveira é um lixo

Fluminense faz vergonha diante do Internacional no Maracanã

Semana fundamental pro Flu

Nesta semana estou tendo oportunidade de escrever antes do jogo. Pra mim é um alívio, quando se trata de Fluminense. Na verdade gosto muito de comentar o pós jogo de qualquer time, menos o do Flu. As razões são muito simples: A primeira é que por mais que me esforce, ainda não consegui analisar um jogo do Flu totalmente sem paixão, independente do resultado, principalmente no dia seguinte. Quando passam os dias e começo a ficar mais propenso a isso e a analisar o que realmente aconteceu, tenho sempre a sensação que tenho muito pouco a acrescentar e que de fato vou apenas ratificar ou retificar uma série de opiniões que já foram dadas. A segunda é que, em caso de derrota, como acontece com qualquer torcedor, posso até comentar o assunto, mas não faço isso com boa vontade e alegria. Assim se...

Os Bravos 9 Anos de Vida

Tricolores, Na segunda-feira passada (06 de agosto de 2018), a Bravo 52 completou nove anos de existência e eu não poderia deixar passar em branco esta data. Afinal, tenho um carinho especial por essa galera que me enche de orgulho nos jogos do Fluminense pelo mundo. Como já disse aqui, acredito que na coluna de sábado passado, participei da Legião Tricolor desde o seu início, em 2006, e permaneci com o movimento popular até o seu esgotamento. As pessoas que tocavam o barco cansaram-se logo após a Libertadores de 2013. Os motivos foram diversos, mas os preponderantes foram a ausência de alguém para assumir, executar e propagar os nossos princípios, o avanço da idade do pessoal e as responsabilidades que advieram por conta deste fato, especialmente em casa perante a família. Muitos começara...

A Sula e o Pedro

Amigos, a hora pede prioridades. Eu sou um ferrenho defensor dos pontos corridos. Acredito que é nesse tipo de torneio que somos capazes de fazer as avaliações mais justas que se podem fazer., quando estamos falando de trabalho de um Departamento de Futebol. Planejamento, modelo, plano, sistema, no ponto corrido, quem faz melhor, ganha. Quem faz mal, fica no meio do caminho. O Fluminense não tem nada disso. Como falar em planejamento num clube, só para ficar num único exemplo, com mais goleiro que meia no elenco? O que resta a um clube que planeja mal seu elenco, que não sabe fazer futebol, que acredita que o caminho é única e exclusivamente o corte nos gastos (olha a asfixia financeira pegando a gente de novo) é o acaso. E onde encontrar o acaso para que o Fluminense não passe mais um ano...

O poder do hábito: deixem as manias do torcedor

Começo esta coluna citando novamente um amigo. Desta vez, um risonho tricolor de quatro costados (anda meio redondinho, mas se procurar, encontra os costados), sempre presente aos jogos no Maracanã. O danado não pode ver um livro de autoajuda dando mole que compra, empresta, divulga, faz campanha, emoldura… Tal qual um flusócio repetindo “e-ticket, e-ticket, e-ticket”, meu querido companheiro de arquibancada, em dado momento, tinha em “Sapiens” a resposta para qualquer questão da humanidade. De topada com o dedinho aos buracos negros do universo. – Sapiens explica – repetia. Pois nosso querido Trator deu agora de ler “O Poder do Hábito”. Espinguela caída, unha encravada, tétano, difteria, sarampo ou coqueluche? Como diria Tim Maia, leia o livro – não o “Universo em Desenc...

8 de Agosto na história: garotada do Flu atropela o Vasco

No dia 8 de Agosto de 1976 o Fluminense enfrentou o Vasco pelo 3º Turno do Campeonato Carioca desfalcado nada menos de Rivellino, Carlos Alberto Torres, Gil e Doval. O jogo era decisivo para o Tricolor, que tinha no 3º Turno sua última chance de chegar às finais do campeonato. Com desfalques importantes o Fluminense teve que recorrer aos jovens Erivelto, Gildázio, Geraldinho e Gílson Gênio para formar a equipe para o clássico. Estes se juntaram aos titulares também jovens Edinho (21 anos) e Pintinho (22), e a Rubens Galaxe, também formado em casa mas já um pouco mais experiente, improvisado na lateral direita no lugar de Carlos Alberto. Sete jogadores oriundos da base entre os 12 que participaram do jogo. Completaram a equipe o goleiro Renato, o zagueiro Miguel, o lateral esquerdo Rodrigue...

A culpa é sua, torcedor!

  O torcedor quer ter orgulho do seu time. Quer ir aos jogos achando que o Fluminense irá vencê-los. Quer sentir que não importa o adversário, que não importam as probabilidades. Quer ver o Fluminense de camisa centenária jogando como gigante, competitivo, mordendo, propondo o jogo. Quer olhar a tabela e mirar o topo. Quer ganhar, chegar no trabalho no dia seguinte e tirar onda com todo mundo. Quer olhar pro seu filho e renovar a alegria da escolha rodada após rodada. O torcedor que ser feliz.   Mas querem saber? O torcedor aceita quando não dá. É do jogo. Vinte clubes, apenas um campeão. Comemora-se a classificação para a Libertadores, vibra-se coma a vitória sobre o rival acima da tabela. O futebol talvez seja o entretenimento que mais imita a vida, com suas alegrias e tristeza...

A Presença Digital e a Relação com o Torcedor do Fluminense

Em 2018, estar bem posicionado no mundo digital já deixou de ser uma opção, virou necessidade. E esse é um dos pontos que falaremos hoje. O acesso a internet cresce a cada ano que passa, novas ferramentas e soluções digitais são criadas todos os dias buscando facilitar algum aspecto das nossas vidas. E isso não pode ser ignorado pelos nossos clubes. Como falei em uma coluna no ano passado, o torcedor de futebol é o cliente mais mal tratado e aquele que nunca abandona o seu time. Ainda existe muito potencial a ser explorado. Não sou da área de marketing e, tampouco, tenho a intenção de dizer como devem trabalhar. A ideia aqui é apenas comparar alguns aspectos relevantes no que tange a relação do Flu e seus torcedores com nossos concorrentes e adversários. Sobre o que pretendo falar? –...

Chegou a nossa vez

Tricolores, Que jogo maravilhoso o de quinta-feira. Não pela qualidade técnica apresentada pelos jogadores, mas pelos gols no final da partida e pelo comportamento da torcida que, no pós-Copa, tem sido espetacular. Não em quantidade, pois neste quesito ainda estamos devendo (quando o pessoal perderá a preguiça e encontrará o caminho para o Maracanã?). Mas a qualidade do torcedor que tem ido aos jogos tem sido fantástica. São jogos como este que me fazem ter a certeza de que ir ao estádio é o único lugar possível de estar quando o Fluminense estiver jogando. Nada se compara à emoção sentida no local do acontecimento. O ambiente gerado pela explosão da torcida no gol, o abraço coletivo nos amigos que estão ao redor, a música que vem forte logo em seguida da bola encostar na rede, o bandeirin...

Fluminense supera Luganês e Mujiquês do Defensor

Tenho um amigo, filho de uruguaios, que diz: – Montevidéu é o melhor lugar do mundo para não se fazer nada. Eu não sei se vocês já foram à capital do Uruguai. É uma delícia de cidade. O tempo passa mesmo em outro ritmo. As ruas são silenciosas até. São três milhões de Pepes Mujicas, em seu sítio, bebendo mate e cuidando de galinhas. Você almoça, toma um vinho, dorme, acorda e ainda está de dia, com muito a se aproveitar. As pessoas são extremamente simpáticas, educadas e amáveis. Um povo ímpar entre os que eu conheci. Aí vem o futebol. Uma chave vira, e nossos vizinhos viram todos Luganos. O que fez o Defensor no jogo de ontem no Maracanã, da forma como fez, eu nunca havia visto em todos estes anos de janela. De acordo com o scout do Dedé, o Fluminense – este Fluminense! –...