gum

De saída do Fluminense, zagueiro Gum interessa ao CSA

Diretoria e jogador de 32 anos não chegam a acordo para renovação do contrato que se encerra nesta segunda-feira (31), e acertam o encerramento do vinculo.

Poupado pela torcida, Gum se diz confiante e conta com ‘atmosfera’ para seguir na Série A

O capitão Gum foi o único jogador do Fluminense que contou com a paciência da torcida na eliminação diante do Atlético-PR na semifinal da Copa Sul-Americana. Com vaias ao restante do time vindas das arquibancadas, o zagueiro pediu que os tricolores não desanimem para o último compromisso do ano. No domingo, também no Maracanã, o Tricolor recebe o América-MG e joga por um empate para permanecer na Série A do Brasileiro. Gum, que parabenizou a torcida pelo clima criado na Sul-Americana, pediu apoio semelhante para o próximo jogo. – O torcedor acreditou e criou a atmosfera, está de parabéns. Não acaba hoje, acabou a Sul-Americana e precisamos deles. Domingo temos uma decisão e precisamos desse clima. Eles têm que vir junto, porque podemos salvar o Fluminense. E não descontem no time mui...

Gum reafirma confiança no grupo, cobra erros do time e diz: ‘Eu continuo acreditando’

A primeira partida das semifinais da Copa Sul-Americana não foi boa para o Fluminense. E o zagueiro e capitão Gum sabe disso. O placar de 2 a 0 construído pelo Atlético-PR, na Arena da Baixada, deixa o time rubro-negro em boas condições para o duelo de volta no Maracanã, mas para o ídolo tricolor, não tem nada decidido. “Estamos jogando uma semifinal de campeonato. Muitos não acreditavam que chegaríamos até aqui, mas eu continuo acreditando. Sabemos que o Atlético é uma grande equipe, mas tenho certeza e consciência de que não acabou. Agora é continuar acreditando, trabalhar bem nessa parada agora até dia 28”. A partida de volta acontece no dia 28 de novembro, no Maracanã, e Gum acredita que o Fluminense tem muitos pontos a melhorar, principalmente na defesa. Além disso, o zagu...

Ainda com dúvidas na equipe, Fluminense enfrenta o Nacional-URU em Montevidéu

Nesta quarta-feira (31), o Fluminense enfrentará o Nacional-URU, em Montevidéu, às 19h30 (de Brasília) valendo vaga nas semifinais da Sul-Americana. O clube carioca precisa de uma vitória simples ou empate por dois ou mais gols para avançar de fase. No entanto, há outra dor de cabeça para Marcelo Oliveira: Gum e Léo não estão confirmados e, segundo o treinador, o caso do Léo preocupa mais para o confronto decisivo. “Léo preocupa um pouco mais. Ainda está um pouco inseguro e temos a chance de testá-lo pela última vez nesta terça para decidir. Sobre o Gum a expectativa é melhor. Ele está sentindo um pouco o tornozelo, mas é um tipo de lesão que dá para jogar. Gum se posiciona muito bem, é importante, experiente. Vamos aguardar. O importante é entrar forte, com bom equilíbrio entre a de...

Gum e Léo viajam para Montevidéu, mas não sabem se enfrentam o Nacional-URU

O zagueiro Gum e o lateral Léo participaram das atividades da manhã de domingo (28), no CT da Barra da Tijuca, e viajam com a delegação do Fluminense para o Uruguai, nesta segunda-feira (29). Apesar de confirmados na delegação, ainda são dúvidas para o jogo contra o Nacional (URU), na quarta-feira (31), às 19h30, em Montevidéu. Os dois começaram as atividades na academia e depois foram para o gramado, mas não treinaram com o restante do time. Gum se lesionou no jogo contra o Nacional na última quarta-feira (24), no Engenhão, e o exame de imagem apontou entorse no joelho direito, com inchaço no tornozelo da mesma perna. Léo se recupera de um edema muscular. Fonte: NETFLU

Substituído por lesão, Gum revela dores no joelho e tornozelo: ‘Senti uma pontada nos dois’

Autor do único gol do Fluminense no duelo frente ao Nacional (URU), pelas quartas da Sul-Americana, que terminou em 1 a 1, Gum deixou o campo mais cedo. Sentindo muitas dores, o atleta chegou a chorar. No fim da partida, ele explicou o que aconteceu, mas espera que não tenha sido na grave. – Estou preocupado, chateado. É ruim de ter que sair antes do fim. Travei o chute e ele caiu em cima de mim. Não sei direito, foi muito rápido. Mas virou o joelho e o tornozelo. Senti uma pontada nos dois. Tomara que não seja grave – disse. Fonte: NETFLU

Marcelo Oliveira mostra confiança para jogo da volta: ‘Absoluta certeza que é possível’

O Fluminense quase conseguiu sair com uma vantagem para o jogo de volta, mas pagou o preço pelo excesso de erros e acabou ficando somente no empate em 1 a 1 contra o Nacional-URU, no Estádio Nilton Santos. O gol no fim foi um balde de água fria nos torcedores e jogadores. Porém, não para o treinador do clube carioca. Em entrevista coletiva após o duelo, Marcelo Oliveira lamentou o placar e disse acreditar na classificação fora de casa. “Temos absoluta certeza que é possível. Esse grupo se superou várias vezes. Da mesma forma que o Nacional conseguiu gol no fim, podemos buscar a vitória lá. Nacional jogou muito bem, é um time bom. Não foi surpresa. Deve ser um jogo muito bom lá. Vamos nos preparar bem para tentar trazer a classificação”, analisou Marcelo Oliveira O treinador tam...

Só o Gum não passará jamais

Entra ano, sai ano, desde quando já nem me lembro mais, e a pergunta sempre se repete, no começo de cada temporada: – Quem vai chegar para o lugar do Gum na zaga? Vai Taça Guanabara, vem Taça Rio, Copa do Brasil e, sem nem perceber, lá está Welington Pereira Rodrigues novamente envergando nossa camisa 3. Tenho a clara impressão de que isso já se repete há décadas. Este cara seria o Thiago Silva? Ou o Lima? Talvez o Ricardo Gomes. Edinho? Abelão poderia resolver. Píndaro ou Pinheiro? Todos tentaram ocupar a posição, mas, num piscar de olhos, é Gum neles. Só o Fluminense tem igual vocação para a eternidade, como diria Nelson Rodrigues. Não dá para dizer que 2018 não prometeu. Chegamos a acreditar em Luan Péres. A boa saída de bola de Nathan Ribeiro nos levou a crer que enfim era hora d...

Top 10 – Jogadores que mais atuaram pelo Fluminense

  Gum quase lá Gum fez seu jogo de número 395 contra o América-MG no último domingo. Está a apenas duas partidas de entrar para o seleto grupo dos 10 jogadores que mais vezes vestiram a camisa mais bonita do mundo. A cinco da marca de 400 jogos, ultrapassada por apenas nove ídolos ao longo dos 116 anos de vida do clube. O zagueiro que veio da Ponte Preta em Agosto de 2009 construiu uma bonita história ao longo de seus nove anos nas Laranjeiras. Conquistou os títulos de Campeão Brasileiro em 2010 e 2012, da Primeira Liga em 2016, do Carioca em 2012, da Taça Guanabara em 2012 e 2017 e da Taça Rio em 2018. Em 90 dos 395 jogos que disputou foi o capitão do time.   O Fluminense mais Fluminense de todos Uma curiosidade sobre a lista dos 10 jogadores que mais jogaram pelo Fluminense é q...

Fluzão vence Chape em dia de Pedro e Gum

O Fluminense espantou o fantasma de nunca ter vencido a Chapecoense com uma bela vitória. A atuação não foi tão boa quanto as últimas duas, mas o que vale são os três pontos na tabela. Uma outra coisa: é impressionante como Gum e Marcos Junio fazem falta a este time. O Fluminense é um com eles, com muito mais segurança e autoridade, e outro sem. Este outro, ontem, foi bem mal, e acabou salvo pela qualidade individual do Pedro (olha ele aí) num bom lance de Carlos Gilberto Torres. Vamos às notas dos nossos craques. (Acabo de saber do falecimento do jornalista Giuseppe Amato, popular Meinha, tricolor alucinado. Esta coluna é em sua homenagem. “Valeu, OTÁRIO”. Viva o Meinha). JULIO CESAR – Já não há mais dúvidas de que se trata do maior Júlio César da história da goleiragem ...

Aquele bar ruim que você respeita

Sabe aquele botequim, o velho bar de português, o cospe-grosso, o botecaço mesmo, que a gente sabe que não devia estar ali, mas adora? Ok, talvez nem todos saibam ou tenham adotado um para chamar de escritório. Seja por idade, seja por preferir “points da moda com letreiro em neon, visual requintado, camarão com sotaque, tofu defumado”, como canta meu eterno professor de gramática, o tricolor Paulinho do Cavaco, em “Saudade dos meus botequins”. Suponhamos, porém, que o amigo leitor da Flupress entenda do métier, essa palavra tão démodé quanto a expressão démodé. Daqueles que pedem ampola em vez de garrafa, traçam o pernil do mostruário, rebatem com um digestivo e largam a pendura no prego. Deu leitura? Pois bem. O Fluminense, este time do Fluminense, é aquele bar ruim que você respeita. Pa...

Sobre raça

Tive que rever o jogo para definir melhor que tipo de partida fez o Fluminense. Porque esse 1 x 0 pode facilmente ser entendido de diversas formas. E desconfio que várias delas estariam certas, fiéis ao que foi o confronto contra o clube que talvez seja o maior freguês do Fluminense dentre os grandes do país. Vi um Fluminense limitadíssimo em peças e em alternativas, inferiorizado numericamente e incapaz de buscar alguma jogada trabalhada contra um time que nitidamente tem valores individuais melhores que o nosso. Mas ao mesmo tempo vi uma equipe comovente em sua luta para sair com a vitória de um Maracanã incrivelmente coeso, apesar de vazio. O time dos irritantes chutões pra frente foi também o time da recomposição aguerrida; o time com incrível dificuldade de explorar a fraqueza psicoló...