Share This Post

Campeonato Carioca / Fluminense / Vasco

Filas extensas e confusões na disputa pelo Setor Sul do Maracanã: confira como foi o primeiro dia de vendas para a final da Taça Guanabara

Filas extensas e confusões na disputa pelo Setor Sul do Maracanã: confira como foi o primeiro dia de vendas para a final da Taça Guanabara

Em busca de um ingresso para a final da Taça Guanabara entre Vasco e Fluminense no Maracanã, neste domingo (17), 17h, os torcedores de tiveram de sair de casa sem informações oficiais sobre os postos de venda, valores dos bilhetes e horários de abertura e fechamento das bilheterias. A disputa pelo Setor Sul do estádio e a desorganização influenciaram para os guichês só serem abertos por volta das 15h30, com torcedores enfileirados desde 10h, o horário padrão.

Desorganização causou transtorno aos torcedores. (Foto: Matheus Reis/Futebolzinho.com)

No palco da final, a venda causou transtorno para quem estava na fila. Os poucos seguranças da Sunset presentes não conseguiram solucionar os casos, acarretando em uma demora além do esperado. Discussões e conflitos começaram a tomar conta do ambiente, tornando-o hostil. Algumas pessoas encurtavam o caminho, entravam pelo setor preferencial e chegavam na frente de torcedores que aguardavam a vez, ordeiramente. Outros personagens característicos deixavam a bilheteria 3 do estádio com vários ingressos, gerando mais confusão e obrigando intervenções do policiamento.

 

Policial Militar tenta acalmar a situação com um fuzil pendurado no pescoço (Foto: Matheus Reis/Futebolzinho.com).

Como o Vasco é o mandante da final, cabe ao clube a responsabilidade de comandar e organizar a venda dos ingressos. Somente 15h20, a pouco mais de 48 horas da final, o clube divulgou informações oficiais sobre a venda em seu site oficial. Uma explicação possível para a situação é que o rival Fluminense se sentiu prejudicado por não utilizar o Setor Sul. O clube notificou o Complexo Maracanã Entretenimento (CME) e buscou na Justiça o cumprimento do contrato.

Também em seu site oficial, o Fluminense publicou o processo em que a Justiça concede liminar ao ao clube para a utilização do Setor Sul do estádio, punindo a Ferj e o Vasco com multa de R$ 50 mil por cada hora de ingressos vendidos em desacordo com a decisão.

Apesar da confusão e da liminar obrigar a devolução do Setor Sul ao Fluminense, torcedores do Vasco adquiriram arduamente ingressos da setor em todos os postos de venda nesta sexta-feira (15). A produção do “Futebolzinho.com” tentou contato com as partes, mas não obteve posicionamento oficial sobre a solucionar do caso. O tricolor continuará com a posição de esperar o cumprimento da liminar determinada pela Justiça.

Sobre o conflito em questão, o presidente do Fluminense se posicionou de forma polêmica, chamando de “abursdo” a atitude da diretoria do Vasco de anunciar que a torcida ficaria no Setor Sul. A entrevista foi concedida ao GloboEsporte.com:

O Fluminense vai até o último recurso judicial para impedir isso. Inclusive com responsabilização ao Maracanã e ao Vasco. Isso gera uma confusão enorme, inclusive com risco de encontro de torcedores no mesmo setor do estádio. O Vasco será responsável se houver alguma confusão” – disse o presidente, para completar: Outras vezes, essa discussão aconteceu e foi respeitado o contrato. Agora, por motivos que a gente não sabe, o Maracanã quer descumprir atendendo a uma posição do Vasco. O Vasco também sabe do contrato e quer burlá-lo”.

Confira em seguida o tweet oficial do Vasco, publicado 11h04 de sexta-feira (15), garantindo o Setor Sul para a torcida vascaína:

Processo eletrônico completo que garante a utilização do Setor Sul aos tricolores.

CONTEXTO DA SITUAÇÃO

Para entender a complexa disputa pela utilização dos setores do lado direito da tribuna de honra – hoje nomeado de Setor Sul -, é necessário voltar para 1950, o ano de inauguração do Maracanã, na época o maior estádio do mundo. A decisão do Campeonato Carioca da temporada, que só seria disputada em janeiro de 1951, daria ao clube vencedor o direito de escolher o lado que abrigaria sua torcida nas arquibancadas e cadeiras do estádio. Por motivos próprios e principalmente pela sombra, o clube de São Cristóvão conquistou o título e optou pelo “lado direito”.

image

Diploma de campeão cedido ao Vasco após vencer o America (Fonte: Centro de Memória do Vasco).

image

Reprodução da capa da seção de esportes do jornal O Globo destacando o título histórico (Foto: Reprodução/GloboEsporte.com).

O “Expresso da Vitória”, alcunha dada ao magnífico time do Vasco da década de 50, conquistara o direito da torcida frequentar o “lado direito” até o ano de 2013, quando o Fluminense fechou um contrato com o Consórcio Maracanã S.A. e escolheu abrigar sua tircida no Setor Sul, decisão que perdura até hoje, transformando o clássico Vasco e Fluminense em uma rivalidade que foge do gramado.

A rivalidade tomou conta da arquibancada e, no mesmo ano, a torcida tricolor organizou um mosaico com a frase “É o destino”, em referência ao lado do Maracanã e também para as finais vencidas em cima do rival. Na decisão do Campeonato Carioca de 2015, contra o Botafogo, torcedores vascaínos organizaram um mosaico fazendo alusão ao lado direito conquistado na tradição, com a frase “O Maraca é nosso desde 50”.

mosaico torcida fluminense é o destino (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

(Foto: André Durão/GloboEsporte.com)

(Foto: Reprodução/Vasco)

Desde a conquista do lado em julho de 2013, 17 confrontos foram realizados entre os clubes e a equipe detentora do Setor Sul pro tradição saiu vitoriosa em dez oportunidades. O Tricolor, detentor do lado por contrato, saiu vitorioso apenas em três oportunidades, com quatro empates no confronto.

FOTO DE CAPA: Matheus Reis/Futebolzinho.com.

 

Share This Post

Matheus Reis avatar
Roteirista por formação, estudante de Jornalismo na UniCarioca e Ciências Sociais na Uerj. Cobertura do Vasco no Futebolzinho.Com.