Share This Post

Vasco

Fernando Miguel é vetado. Planejamento arriscado remete a 2013 e assusta a torcida

Fernando Miguel é vetado. Planejamento arriscado remete a 2013 e assusta a torcida

O Vasco enfrenta o Santos hoje (quarta-feira, dia 17) pela quarta fase da Copa do Brasil, na Vila Belmiro, às 19h15. A desagradável surpresa para a torcida vascaína é que a equipe comandada pelo técnico Alberto Valentim não contará com o goleiro titular, Fernando Miguel. O arqueiro vem sentindo dores na panturrilha direita desde o duelo contra o Avaí, pela Copa do Brasil, na última quinta-feira (11). Gabriel Félix, de 24 anos, será o substituto.

No primeiro jogo da decisão do Estadual, contra o rival Flamengo, ele voltou a sentir dores e preocupou a torcida com sua possível substituição, mas se manteve em campo até o minuto final. Fernando Miguel será submetido a um tratamento específico, para que o quadro não piore.

A CONSTRUÇÃO DA TITULARIDADE DE FERNANDO

No início da atual temporada, o Vasco liberou o goleiro Martín Silva, considerado ídolo da nova geração e que estava no clube desde 2013 com contrato vigente até o fim desta temporada, para negociar com o Libertad do Paraguai. O jogador tinha um salário considerado alto para os padrões do clube e, na ocasião, a decisão da diretoria dividiu a torcida: parte acreditou no alívio financeiro, outros alertaram para a necessidade de buscar um reserva de confiança para Fernando, que se consolidou como titular após a saída de Martín.

Contratado ao Vitória, Fernando, de 34 anos, chegou ao Vasco em 2018, para a reserva de Martín, mas assumiu a vaga antes do previsto. Na temporada passada, conquistou a confiança de Alberto Valentim e passou a ser a primeira opção. Hoje, vive bom momento no clube. No Campeonato Carioca, atuou em 17 jogos e sofreu 12 gols. Ao lado de Castán e Werley, é um dos pilares para a defesa sólida que o técnico vem tentando construir.

PLANEJAMENTO DO CLUBE

Na segunda-feira (15), o Vasco anunciou o empréstimo do goleiro Jordi para o CSA. O jogador de 25 anos, que tem contrato com o time carioca até maio de 2021, reforçará o time alagoano na disputa da Série A do Brasileiro. Jordi foi revelado pelo Vasco em 2013, mas nunca assumiu a condição de titular e no ano passado chegou a ser emprestado ao Tractor Sazi, do Irã. Jordi seria o reserva imediato de Fernando, além de ser o mais experiente entre os outros dois.

Ou seja: após perder o ídolo e não poder contar com o goleiro titular em um dos jogos mais importantes do time na temporada, o problema que não foi resolvido pela diretoria vem à tona. E vale lembrar que a Copa do Brasil é a única competição que o clube participará ao longo do ano, além do Estadual e do Brasileiro.

OS RESERVAS

O Vasco conta agora com Gabriel Félix, de 24 anos e Alexander, de 19. Félix jogou ao todo sete partidas pelo clube e chegou a ser emprestado ao Fortaleza em 2018. O atleta não conta com a simpatia da torcida, por conta da polêmica que se envolveu com outros jogadores do clube em uma publicação no Instagram, às vésperas de um jogo decisivo contra o Universidad do Chile, em Santiago, valendo vaga na Sul-Americana, em maio do ano passado. Na publicação, ele e outros 6 jogadores – todos já fora do clube – perguntavam de quem seria a culpa das derrotas do time. Ele possui contrato até fevereiro de 2021.

A curiosidade positiva que envolve Félix é que sua estreia como profissional no Vasco foi justamente em um jogo contra o Santos, também na Vila, pelo Campeonato Brasileiro de 2017. O Vasco venceu a equipe paulista por 2 a 1, de virada, com gols de Evander e Nenê.

O goleiro Alexander foi um dos destaques do cruz-maltino na Copa São Paulo de Futebol Júnior neste ano, especialmente pela sua habilidade em pegar pênaltis. O fator que pode preocupar a torcida é que o jovem atleta nunca atuou no profissional.

MÁS LEMBRANÇAS

A falta de planejamento do clube nesse quesito, não é, no entanto, novidade para os torcedores cariocas. Em 2013, ano do seu segundo rebaixamento, o Vasco teve um retrospecto complicado com goleiros – sobretudo no período entre a saída de Fernando Prass e a chegada de Martin Silva. Prass deixou São Januário no final de 2012, a caminho do Palmeiras, e Martin Silva foi contratada em 2014. Com isso, o Vasco se viu em um rodízio entre três goleiros durante a temporada de 2013: Diogo Silva, Alessandro e Michel Alves.

Os três cometeram falhas que interferiram diretamente nas derrotas do time e foram preponderantes para a queda do clube à Série B. Foram pelo menos dez pontos perdidos no Brasileirão. Diogo Silva defendeu a meta em 22 ocasiões, tendo sofrido 22 gols. Michel Alves foi titular em oito jogos e foi vazado 17 vezes. Alessandro fez oito partidas e buscou a bola no fundo das redes 12 vezes. No total, o Vasco sofreu 61 gols no Brasileirão, tendo a terceira pior defesa da competição, atrás apenas do lanterna Náutico (79) e do Criciúma (63).

A torcida vascaína espera que o Vasco e Gabriel Félix possam reviver a felicidade da noite em que o goleiro fez sua estréia nos profissionais, mas não aprova a falta de planejamento da diretoria, sobretudo em um setor que já assombrou a história do clube e trouxe momentos de sofrimento para o torcedor.

FOTO DESTACADA: Divulgação/Vasco

FOTO NO CORPO DA MATÉRIA: Marcelo Sadio/Vasco

FONTE: GazetaEsportiva, Globo Esporte.com e Notícias Vasco

REDAÇÃO: Futebolzinho.com

Share This Post