Share This Post

Blog da Fuzarca / Vasco

Reforços do Vasco seguem tradição recente

Reforços do Vasco seguem tradição recente
Primeiros reforços da era Luxemburgo, Marquinho e Richard foram apresentados na sexta passada (foto: www.vasco.com.br)

Não teve jogo do Vasco essa semana, mas teve reforços chegando. Na sexta-feira foram apresentados o meia Marquinho e o volante Richard, vindos do Atlético-PR e do Corinthians, respectivamente.

São posições carentes no time, mais pela qualidade que pela quantidade de jogadores no elenco. Mas os dois reforços resolverão os problemas do Luxemburgo e da equipe?

Richard vem de uma boa temporada pelo Fluminense no ano passado, o que lhe garantiu o interesse do alvinegro paulistano. Mas chegando ao Corinthians, o volante não teve muitas chances, atuando por 16 jogos este ano. Ainda assim, Richard participou da última rodada do Brasileirão, atuando na derrota corintiana para o Santos. Ou seja, não deve ter problemas de condicionamento físico, já podendo disputar imediatamente uma vaga no meio de campo vascaíno.

Já o Marquinho, com seus 32 anos, é diferente. Quando aventou-se sua chegada, muito se falou da sua boa passagem pelo Flu, sua ida para a Roma e do prêmio como melhor jogador do campeonato paranaense deste ano, vencido pelo Furacão.

O que não comentaram é que seu melhor momento no Flu foi há quase uma década, que depois de duas temporadas na Roma o Marquinho foi emprestado para times menores na Itália com idas e vindas ao fraco futebol da Arábia Saudita e que o meia se destacou no estadual jogando com o time de aspirantes do Furacão, evidenciando o nível de competitividade do campeonato paranaense.

Sem falar que, ao fim do estadual, Marquinho decidiu não permanecer no Atl-PR por reconhecer que não teria espaço no seu elenco principal. Com isso, o meia ficou apenas treinando para manter a forma, esperando por propostas. Sua última partida, pelas finais do paranaense, aconteceu em abril deste ano.

Com isso parece óbvio que até o Marquinho ter condições de jogo, ainda levará um tempo. E, não só isso, mesmo quando estiver fisicamente bem, não há como saber se o meia será uma opção melhor que as que já temos no elenco. Veterano por veterano, já temos o Bruno Cesar que, mesmo não rendendo nem de longe o que esperávamos, é mais novo e tem muito mais currículo que o Marquinho.

Dificilmente os primeiros reforços da era Luxemburgo seriam de empolgar a torcida. A realidade financeira do clube é complicada e todos sabemos disso. Mas se a grana a curta, as contratações devem ser cirúrgicas. Reforços devem chegar para, efetivamente, reforçar o elenco. Se o Richard tem potencial para qualificar o time, o Marquinho parece ser apenas mais uma aposta em um veterano. E uma aposta arriscada, diga-se.

Se a vinda do Marquinho foi uma indicação ou mesmo um nome aprovado pelo técnico, o Profexô não fez nada diferente do que tantos outros treinadores que passaram pelo Vasco nos últimos tempos. Ou seja, aceitar como reforços a chegada de jogadores que, normalmente, só farão peso na folha salarial.

***

Tinha pensado em publicar esse post ontem, o que não aconteceu por conta do falecimento do Thalles. Não havia clima para falar de reforços depois de uma perda tão sofrida. Reforço por aqui os desejos de força para todos os familiares e amigos do atacante.

Share This Post

JC Barbosa avatar
Com um pai flamenguista e uma mãe botafoguense, Julio Cesar "JC" Barbosa é a prova viva que ser vascaíno é predestinação, não imposição. Torcedor de estádio, tanto na Colina quanto no antigo Maraca (hoje Arena), escreve sobre o Gigante na internet desde 2007.

3 Comments

  1. Regina Carino avatar

    JC, vc é mto 10! Que texto bom!

Comments are now closed for this post.

P