Share This Post

Campeonato Brasileiro / Vasco

Vanderlei exalta São Januário e mantém disciplina para fugir da má fase

Vanderlei exalta São Januário e mantém disciplina para fugir da má fase

A primeira vitória no Campeonato Brasileiro mudou o ambiente na Colina Histórica. Mas, para o técnico Vanderlei Luxemburgo, é preciso disciplina e consciência para manter o padrão de trabalho e sair da zona de rebaixamento. O comandante explicou o motivo de utilizar a formação 4-3-3, com três volantes de origem atuando no meio, dois pontas de velocidade e um centroavante. Vanderlei também exaltou a torcida vascaína após a vitória, tratando São Januário como “nossa casa”.

Vanderlei deixou a comemoração efusiva para os jogadores e a torcida e citou a recuperação do dia seguinte (sábado) já no planejamento para enfrentar o Ceará, próximo adversário também em São Januário.

“Estou bem feliz, mas tem de ser uma felicidade controlada. Mas tem muita coisa pela frente. Vamos ficar felizes, vamos para casa. Saborear uma vitória, amanhã (sábado) fazer uma recuperação e semana que vem temos um confronto contra o Ceará. A vitória é boa, deixa todo mundo contente. São três jogos jogando da mesma forma, com três do meio campo, dois de velocidade e o Tiago Reis no meio. A equipe ainda não está preparada para jogar se expondo”, explicou Luxemburgo.

Luxemburgo rasgou elogios ao volante Andrey, que ganhou espaço com sua chegada e antes amargava o banco de reservas ou fica de fora da relação de jogadores para as partidas. Vanderlei também citou a forte cobrança feita em cima dele e de outros integrantes do elenco.

“O Andrey fez um grande campeonato no ano passado. Uma temporada boa. Você vê o que o Andrey jogou. Mas eu não vejo o que ele jogou. Eu vejo o que ele tem feito. Andrey passou de 13% de percentual de gordura para 11%. Você vê que ele está bem diferente de quando eu cheguei. Falei para ele: “vou cobrar de você, camarada”. Ele e outros jogadores entraram num processo. Aqui é Vasco, não dá para ficar mais ou menos”, disse o treinador.

Apesar da vitória, as cobranças não cessaram. Vanderlei ainda se estressa com a zona de rebaixamento e relatou a grandeza do clube como forma de motivação – para os jogadores – em busca de sair da má fase no Campeonato Brasileiro. Luxemburgo cobrou sacrifício dos jogadores, como o de Oswaldo Henríquez, zagueiro colombiano que deslocou o braço no meio da partida e, após a correção feita por especialistas, continuou o jogo até o apito final.

“Isso aqui é Vasco da Gama. Tem que se sacrificar. Não adianta ficar aqui e achar que as coisas não vão acontecer. Não é assim. Estamos na zona de rebaixamento, é um clube de tradição e as coisas não vão ficar assim. Aqui é a nossa casa. A torcida está carente. Processo dos últimos anos. Estamos na zona de rebaixamento, então tem uma intolerância muito maior. Mas eu percebi: quando chamei o Bruno, um pessoal chiou, mas um pessoal ali atrás começou a gritar o nome dele. Aí ele deu um carrinho, o que ele não estava fazendo. Eu acho que é isso que eu quero. Mostrar para o torcedor que está querendo a vitória”, contou o treinador.

A pausa para a Copa América poderá ser diferente no Vasco, servindo de trabalho e como forma de preparação física, em virtude da pré-temporada limitada. Para Luxemburgo, é nula a possibilidade de dar 13 dias de folga para os jogadores.

“A nossa folga será de cinco ou no máximo seis dias. Não estamos no momento de dar 13 dias de folga para ninguém. Não estamos lá em cima. Estamos na confusão. Temos de pegar esse tempo e trabalhar o máximo possível”, comentou Vanderlei.

Luxemburgo já planeja a partida contra o Ceará, no próximo dia 13, em São Januário, 19h15, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.

FOTO: Rafael Ribeiro/Vasco.

Share This Post

Matheus Reis avatar
Cobertura do Vasco da Gama no Futebolzinho.com. Estudante de Jornalismo da UniCarioca e Ciências Sociais pela Uerj.

Leave a Reply

P