Share This Post

Blog da Fuzarca / Vasco

Vasco empata mais uma e mostra estar distante de ser competitivo

Vasco empata mais uma e mostra estar distante de ser competitivo
Pikachu cobra o penal e marca seu quinto gol no ano. Mas mais uma vez, sair na frente no placar não foi o bastante para o Vasco vencer (foto: www.vasco.com.br).

Com uma semana a mais de trabalho, Luxemburgo conseguiu trazer alguma melhora para o time do Vasco (o que seria impossível não acontecer levando em consideração a atuação contra o Avaí). Não que tenhamos visto uma partida primorosa no empate em 1 a 1 com o Fortaleza, claro. De um modo geral, o jogo foi bem fraco tecnicamente, tanto de um lado como do outro. Mas ficou evidente que o profexô conseguiu dar alguma consistência defensiva à sua equipe, diminuindo os espaços entre os setores e aprimorando a recomposição defensiva.

Por outro lado, também ficou claro que falta muito trabalho a ser feito, tanto da parte do Luxa, quanto dos jogadores. Mas pouco conseguiremos avançar sem que outra parte também faça o seu trabalho: a diretoria.

Mesmo longe de fazer um bom jogo, o Vasco poderia – e até merecia – ter vencido, se não esbarrasse na limitação técnica de alguns jogadores. O exemplo mais claro na partida de ontem, os dois gols feitos desperdiçados pelo Lucas Mineiro no primeiro tempo. E também o mesmo Lucas, ao falhar grotescamente no que deveria ser sua função primordial: dar o combate no lance do gol de empate do Fortaleza.

Podem falar que, no fim das contas, foi o próprio Luxemburgo quem escalou o time, tornando o treinador o responsável pelo resultado. Mas sejamos sinceros: se não fosse o Lucas Mineiro naquelas jogadas, que outro volante do elenco nos daria uma certeza absoluta de que não falharia naqueles lances capitais?

Seguimos sem vitórias no campeonato, perdendo pontos preciosos nos minutos finais das partidas e, mais uma vez, contra uma das equipes que tem grandes chances de passar toda a competição lutando contra o rebaixamento. Tudo isso mostra o quanto Luxemburgo está distante de poder dizer que tem uma equipe competitiva. É a mesma distância que está a diretoria de poder dizer, sem soar falsa como sempre, de que montou um elenco competitivo para o Brasileirão.

 

As atuações…

Sidão – mesmo não sendo muito exigido na partida, mostrou insegurança em alguns lances, principalmente nas bolas alçadas na área. Não teve culpa no gol do Fortaleza.

Yago Pikachu – além de ter convertido o pênalti a nosso favor, fez uma boa partida. Mesmo sem brilhar, fez uma partida segura na defesa e foi atuante no apoio.

Ricardo Graça – mais uma boa partida do garoto, indo bem no combate direto, nas antecipações e nas bolas aéreas. Evitou o que certamente seria um gol do Fortaleza cortando uma bola quase em cima da linha.

Werley – também foi bem, principalmente se levarmos em consideração a pouca proteção que a zaga teve por parte dos volantes. Quase marcou um gol em lance de escanteio.

Danilo Barcelos – muito fraco defensivamente, sua lateral foi sempre convidativa ao ataque adversário. No apoio não acertou nada, nem nas bolas paradas (exceto pelo escanteio que quase terminou em gol com uma cabeçada do Werley que carimbou a trave).

Raul – uma atuação discretíssima. Nos melhores momentos, não passou do feijão com a arroz; nos piores, foi facilmente envolvido pelo toque de bola do adversário.

Lucas Mineiro – se formos colocar na conta de alguém a perda de mais dois pontos, não há outro além dele. Além de perder dois gols feitos em questão de minutos no primeiro tempo, era ele quem deveria dar o combate ao Romarinho antes da sua finalização que terminou no gol de empate do Fortaleza. Mas em vez de encurtar o espaço do atacante, deu mais uma das suas migueladas.

Marcos Júnior – não conseguiu mostrar tudo o que poderia na sua estreia. Se limitou na maioria do tempo a dar passes para trás e pros lados. Deu lugar ao Andrey, que até foi mais útil iniciando as jogadas de ataque, mas não muita coisa.

Yan Sasse – disputou com o Valdívia, seu substituto no segundo tempo, a posição de maior nulidade do time. Nenhum dos dois esteve perto de cumprir a função de municiar o ataque.

Rossi – disparado o melhor jogador da partida. Foi a melhor – quase a única – opção ofensiva do time, com suas arrancadas pelos lados do campo. Sofreu o pênalti convertido pelo Pikachu e poderia até ter marcado o seu se tivesse caprichado um pouco mais nas finalizações que fez. Saiu cansado no segundo tempo, dando lugar ao Tiago Reis, que pouco poderia ter feito no tempo em que esteve em campo, mesmo que tivesse sido mais acionado.

Marrony – finalizou com perigo no primeiro tempo e fez uma excelente jogada, que teria terminado em gol se o Lucas Mineiro não tivesse cometido um arremate bisonho. Teve uma atuação acima da média da equipe ontem.

Share This Post

JC Barbosa avatar
Com um pai flamenguista e uma mãe botafoguense, Julio Cesar "JC" Barbosa é a prova viva que ser vascaíno é predestinação, não imposição. Torcedor de estádio, tanto na Colina quanto no antigo Maraca (hoje Arena), escreve sobre o Gigante na internet desde 2007.

1 Comment

  1. ffigueiredo09 avatar

    Passou da hora de barrar o Miguelito. Esse enganador vive em função de uma boa impressão que causou nas primeiras partidas. Mas o time cansa de tomar gols por causa desse arame liso, que só olha, não marca e corre pra não chegar na jogada. Não é azar levar gols dessa forma, é incompetência mesmo!

    O Luxa trabalha com o que foi dado e esse demérito é da diretoria. Num elenco inchado não se tira 11! Ele deu mais consistência, mas não pode ensinar fundamentos ou dar talento a quem não tem. Se não fizerem o esforço financeiro de trazer um meia armador decente, que chegue para jogar, os prejuízos se disputar a série B serão maiores ainda.

Comments are now closed for this post.

P